Zoom indica em Câmera Digital

Cartão de memória: o “filme” das câmeras digitais

Como escolher o melhor para sua câmera digital.

por Felipe Brito - Especialista em Tecnologia.

Cartão de memória substitui filme em câmeras digitaisOs fabricantes de câmeras digitais, durante muito tempo, acreditaram que tinham a solução ideal para o armazenamento das fotos clicadas pelos seus consumidores. Por isso, uma enorme variedade de formatos de cartão de memória para câmera digital invadiu o mercado. Felizmente, a grande maioria das empresas está mudando de comportamento e, mesmo ainda permitindo o uso dos formatos de cartão proprietários, já suporta o uso de pelo menos um modelo "genérico" de memória.

Os formatos proprietários

Diferentes interfaces, números de contatos e, principalmente, dimensões físicas dos cartões de memória caracterizam os formatos criados pelos fabricantes. Mesmo que estejam caindo em desuso, ainda é possível encontrar equipamentos novos que utilizem alguns desses formatos.

Memory Stick

Entre todos os formatos proprietários existentes, provavelmente o mais conhecido – e ainda utilizado em alguns casos – é o cartão Memory Stick, para câmeras Sony. Lançado em 1998, o cartão da fabricante japonesa teve seu tamanho baseado nas gomas de mascar populares naquele país.

Além do original, já fora de linha, a família Memory Stick também conta com as versões PRO – criada para aumentar a capacidade do MS original –, DUO –de dimensões menores e vendido normalmente com um adaptador para o formato inicial – e PRO-DUO, que combinou a capacidade da primeira alteração com o tamanho da segunda. Outros dois modelos de cartão Memory Stick também são produzidos: o MS-Micro, também conhecido como M2 e utilizado principalmente nos celulares Sony Ericsson, e o MSXC, parceria entre Sony e ScanDisk para obter um cartão de memória com capacidade de até 2 TB.

xD

O formato "extreme Digital", do cartão xD Picture Card, foi utilizado principalmente pela Fuji e pela Olympus, e foi abandonado por ambas a partir de 2010, mesmo sem anúncio oficial. Apesar de nenhum equipamento novo suportar o formato, cartões xD ainda são fabricados para atender às câmeras que utilizam o xD. Entre as principais razões para a retirada do xD do mercado pode-se citar o preço normalmente três vezes maior do que um cartão SD de capacidade equivalente e a menor velocidade de transmissão de dados entre câmera e cartão, além da capacidade limitada do formato, que dificilmente ultrapassa 2 GB.

Os "novos" padrões

Os substitutos dos formatos proprietários não surgiram agora, e em alguns casos tem tanto tempo de mercado quanto os cartões "de marca". Porém, devido às especificações livres que barateiam o custo de produção e por atenderem bem às necessidades do mercado, dois tipos de cartão de memória tomam conta do cenário das câmeras digitais.

Compact Flash

O formato existe desde que a ideia de cartão de memória surgiu, sendo então contemporâneo de formatos extintos como o SmartMedia e o Miniature Card. Porém, é o único dessa leva que obteve sucesso de mercado, graças ao preço reduzido e ao apoio de fabricantes como Canon e Nikon, que até hoje utilizam o formato em suas câmeras profissionais.

Entre as vantagens do CF estão a durabilidade e a resistência a choques, superiores a de outros formatos.

Existem dois tipos principais de cartões Compact Flash: o tipo I é mais fino e econômico, enquanto o tipo II tem 5 mm de espessura – contra os 3,3 mm do tipo I – e é mais comum em Microdrives e outros dispositivos que compartilham a mesma interface dos cartões de memória.

Secure Digital (SD)

Provavelmente o formato de cartão de memória mais conhecido do mundo, é utilizado em MP3 players, câmeras digitais e de vídeo, celulares e uma infinidade de outros dispositivos.

Considerado o padrão real da indústria de memória Flash – a mesma usada em outros cartões e em pendrives – o cartão SD tem o tamanho aproximado de um selo postal em todas as suas famílias, e é facilmente reconhecido pelo recorte diagonal no canto superior do cartão.

Além do cartão original – capaz de armazenar até 4 GB de dados –, existem as famílias de alta capacidade (SDHC) que suporta até 32 GB e de capacidade estendida (SDXC), que vai de 32 GB até 2 TB também de armazenagem.

O formato SD (que mede 24 x 32 mm) também deu origem às versões em miniatura do cartão de memória. O formato MiniSD (com 20 x 21,5 mm) existe nas famílias SD e SDHC, enquanto o cartão micro SD (15 x 11 mm) está presente em versões SD, SDHC e SDXC. Todos os tamanhos tem espessura aproximada de 2 mm.

Além de oferecer armazenagem em uma peça de tamanho reduzido, o cartão SD também oferece uma proteção contra gravação acidental através de uma pequena chave deslizante (como os antigos disquetes) na lateral do invólucro de plástico.

Qual o melhor?

A necessidade de cada fotógrafo é diferente, e, portanto, não é possível dizer qual desses formatos é o melhor. Se você tem uma câmera Fuji, por exemplo, o cartão xD é sua única opção, enquanto câmeras Sony limitarão a escolha entre as variações de Memory Stick.

Porém, é importante lembrar que o formato SD vem ganhando espaço continuamente, chegando até mesmo às câmeras DSLRs avançadas. Apesar de ainda não tomar completamente o espaço do Compact Flash, existe a tendência de que o Secure Digital acabe se tornando a única opção de cartão de memória. Além disso, o SD também é o formato mais versátil, já que é utilizado em vários equipamentos diferentes e não apenas em câmeras fotográficas. Assim, se você não depende da resistência mecânica do Compact Flash nem precisa de uma câmera "top" de linha, a opção mais apropriada é, sem dúvidas, o cartão SD.

O artigo foi útil?
Sim
Não
Obrigado!

Top 5 em câmera digital