Mão segurando o Galaxy Z Fold 3 parcialmente aberto, com selo Testamos

Galaxy Z Fold 3: tela dobrável com diversas possibilidades

Testamos o Galaxy Z Fold 3, smartphone dobrável da Samsung com duas telas e ótimo desempenho; veja se vale a pena

Aline BatistaRedatora

Publicado e atualizado 24 min. de leitura.

Compartilhe:

O Galaxy Z Fold 3 é a versão mais recente do celular dobrável da Samsung. O smartphone se destaca por trazer duas telas de alta qualidade, sendo a principal de 7,6 polegadas. O modelo oferece diversas possibilidades de uso, sendo uma ótima opção de celular para trabalho, mas também para entretenimento. Nesta edição, ele ainda ganhou compatibilidade com a caneta S Pen, ideal para quem valoriza produtividade.

Além disso, o Samsung Galaxy Z Fold 3 tem um ótimo conjunto de câmeras: são cinco no total. Uma delas fica debaixo da tela interna, sem causar interferências na experiência com o display grande. O smartphone ainda oferece ótimo desempenho, com processador Snapdragon 888, um dos mais potentes do mercado, e compatibilidade com internet 5G.

O Z Fold 3 chegou ao Brasil em setembro e, atualmente, pode ser encontrado com preços acima de R$ 12 mil no e-commerce. É um valor bem alto para um smartphone, por isso, é comum surgir a dúvida: o Galaxy Z Fold 3 é tudo isso que promete? As inovações realmente valem o preço? Para te ajudar a descobrir, nós testamos o celular dobrável e contamos todas as nossas impressões neste review.

Nossa análise levou em consideração design, qualidade de áudio, bateria e conectividade, recursos extras e custo-benefício. Se quiser entender melhor os nossos critérios, veja como avaliamos celulares.

GIF do Galaxy Z Fold 3 sendo aberto
Galaxy Z Fold 3 é a nova versão do celular dobrável da Samsung (Foto: Aline Batista)

Galaxy Z Fold 3: preço e melhores ofertas

O Galaxy Z Fold 3 está disponível em versões de 256 GB e 512 GB de armazenamento. Confira os melhores preços para cada modelo:

Prós e contras

Prós

O grande ponto positivo do Galaxy Z Fold 3 é o design dobrável. Além de ser visualmente bonito, ele é totalmente funcional. O smartphone conta com duas telas, uma externa e outra interna, que oferecem diversas possibilidades de uso, e têm alta qualidade de imagem.

Outro pró em relação ao design é que a Samsung trabalhou em diversas soluções para deixar o telefone durável e resistente. Ele é construído com um alumínio mais forte, resistente à água e ainda passou por um teste de dobras. Esses detalhes são importantes, visto que se trata de um aparelho caro, que exige alto investimento.

Um dos destaques do Z Fold 3 é o Modo Flex, recurso desenvolvido para aproveitar as possibilidades da tela dobrável. Por isso, falamos que o smartphone é funcional. O usuário pode abrir aplicativos em multijanelas, aproveitar a tela grande para jogos ou dividir a tela para assistir a um vídeo no YouTube sem ficar segurando o celular.

Além disso, não podemos deixar de citar o ótimo desempenho. O aparelho vem com processador Snapdragon 888, um dos mais potentes da atualidade, e memória RAM de 12 GB. Essas especificações são suficientes para garantir ótima performance em diferentes aplicativos.

Outro destaque é o áudio estéreo. Essa é uma característica comum em smartphones premium. Entretanto, vale destacar a solução utilizada pela Samsung, que colocou um alto-falante na parte superior e outro na parte inferior. A experiência de áudio é muito boa, seja com o telefone aberto ou fechado.

Por fim, não podemos deixar de falar do conjunto de câmeras do Galaxy Z Fold 3. O smartphone traz cinco lentes no total e o conjunto traseiro triplo é excelente. Você consegue tirar ótimas fotos em diferentes situações de iluminação e ainda pode usar o conjunto para fazer selfies. Aliás, outro ponto positivo é a quantidade de recursos para fotografia que o dispositivo oferece. Sempre que você mexe no aplicativo de câmera, descobre novas possibilidades, inclusive, com funções que aproveitam a tela dobrável.

Galaxy Z Fold 3 meio aberto apoiado em uma mesa
Design dobrável e funcional é um dos grandes destaques do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Contras

Por conta do visual dobrável, o Galaxy Z Fold 3 sacrifica alguns componentes internos, como a bateria. Apesar de ter capacidade de 4.400 mAh, o smartphone também tem um consumo maior do que a média, considerando que se trata de um aparelho com duas telas. Por isso, a autonomia do celular não é das melhores. Ele até aguenta um dia de uso moderado, mas pode não ser a melhor opção para quem faz um uso muito intenso.

Outro ponto negativo relacionado à bateria é que o aparelho não acompanha carregador. Ele traz apenas um cabo USB-C. Essa tem sido uma prática cada vez mais comuns em celulares premium. Contudo, o acessório faz falta e sua ausência também pode atrapalhar o carregamento rápido, caso o usuário opte por um carregador com potência menor.

Além disso, outra novidade do Galaxy Z Fold 3 é a câmera debaixo da tela. Essa foi uma ótima solução encontrada pela Samsung para aproveitar melhor o display principal do smartphone, dando maior sensação de imersão. Entretanto, a câmera não tem a mesma qualidade das demais e as fotos nem sempre ficam bonitas. Isso não chega a ser um problema tão grande, porque as outras câmeras do smartphone compensam com ótimas fotos. De qualquer forma, destacamos entre os pontos negativos.

Em relação ao design, uma decepção é a falta de resistência à poeira. A Samsung trabalhou em diversas características para tornar o Galaxy Z Fold 3 um aparelho resistente e durável. Entretanto, ficou faltando uma solução para protegê-lo de possíveis problemas causados por partículas de poeira.

Outra característica que vale mencionar é que esse é o primeiro smartphone da linha de celulares dobráveis compatível com a caneta S Pen. O acessório oferece diversas possibilidades de uso e é ideal para quem precisa trabalhar no celular e quer manter a produtividade. O ponto negativo, porém, é que a caneta não vem com o Galaxy Z Fold 3 e você terá que comprá-la separadamente, gastando um dinheiro extra.

O que vem na caixa

Como virou tradição entre os modelos premium da Samsung, o Galaxy Z Fold 3 praticamente não traz acessórios. O smartphone vem apenas com um cabo USB-C e não oferece nem mesmo o adaptador de tomada. Aliás, esse é um dos pontos negativos do aparelho, como veremos em detalhes a seguir.

A caixa do Galaxy Z Fold 3 vem apenas com:

  • Cabo USB-C para USB-C
  • Chave para abrir a gaveta do chip
  • Manual do usuário
Galaxy Z Fold 3 ao lado da caixa e do cabo USB
Galaxy Z Fold 3 vem sem adaptador de tomada na caixa (Foto: Aline Batista)

Ficha técnica

Design

Esse é o grande destaque do Galaxy Z Fold 3, afinal, é um celular dobrável. O smartphone segue o visual do Galaxy Z Fold 2, com uma tela externa e um display interno, que se revela quando o aparelho é aberto. Entretanto, ele foi aprimorado em diversos pontos. O modelo está mais resistente, com bordas menores e mais bem acabado.

De cara, o dispositivo já chama atenção por ser um smartphone muito bonito, e isso é inegável. Ao contrário do Galazy Z Flip 3, que abre verticalmente, o Z Fold 3 abre na horizontal. Quando está dobrado, ele se assemelha a um celular tradicional, com tela de 6,2 polegadas e pode ser usado com uma mão. Quando está aberto, lembra um tablet, com display de 7,6 polegadas, e oferece diversas possibilidades de uso.

É como a Samsung diz na campanha de divulgação do aparelho "vá do compacto ao impacto". De fato, a tela do Z Fold 3 causa um grande impacto quando se abre.

Em relação às dimensões, o smartphone aberto tem 158,2 x 128,1 x 6,4 mm, um pouco menor que um tablet. Fechado, suas medidas são de 158,2 x 67,1 x 16,0-14,4 mm, semelhantes às de um celular tradicional. O peso é de 271 gramas, mais pesado do que outros aparelhos, mas totalmente de acordo com design do aparelho. Segundo a Samsung, esse é o modelo da linha Fold mais fino e mais portátil até hoje.

Falando de construção, tanto a parte traseira como as molduras laterais são de alumínio. Já as telas são produzidas com um vidro mais resistente. Na traseira, temos um conjunto de câmera tripla, disposto na vertical, em um módulo saltado. Nas laterais, ficam os botões power e de volume e a a entrada para chips. Vale ressaltar que o Galaxy Z Fold 3 aceita dois chips, mas não tem entrada para cartão microSD. A porta para o carregador fica na parte inferior e não há entrada para fone de ouvido no padrão P2.

O leitor de impressões digitais também está na lateral direita, embutido no botão power, e responde com bastante eficiência. A Samsung até tem smartphones com leitor de impressões digitais embutido na tela, como o Galaxy S21 e o Galaxy A72. Entretanto, por conta das tecnologias para o display dobrável, é compreensível que o smartphone não venha com o recurso. Aliás, o sensor na lateral está bem posicionado e pode ser acessado facilmente quando o Z Fold 3 está aberto ou fechado.

Mão segurando o Galaxy Z Fold 3 aberto
Galaxy Z Fold 3 aberto tem tamanho semelhante a um tablet (Foto: Aline Batista)

Um detalhe interessante é que o celular traz um conjunto de áudio estéreo, com um alto-falante na parte inferior e outro na parte superior. Assim, você consegue ter uma boa experiência de áudio independente a forma como o aparelho está posicionado. Aliás, vale ressaltar que o som do aparelho é alto e tem ótima qualidade.

Em relação à usabilidade, no começo, tudo causa estranhamento, mas depois você vai se acostumando. O Galaxy Z Fold 3 é grande demais quando está aberto, o que dificulta um pouco o manuseio. Também é possível perceber o vinco na tela dobrável, mas isso não chega a causar impactos durante o uso. Você consegue aproveitar toda a tela touch normalmente.

Por outro lado, quando está fechado, o aparelho é mais estreito do que os celulares tradicionais, mas também é mais grosso. Tudo isso é questão de costume. Com o tempo, você vai pegando o jeito com o Samsung Galaxy Z Fold 3 e esses fatores deixam de ser um incômodo.

Nas versões anteriores do Galaxy Z Fold, era comum ver reclamações sobre a dobradiça do aparelho, mas essa foi uma das melhorias no Z Fold 3. O movimento de abrir e fechar é simples, mas deve ser feito com as duas mãos, porque a dobradiça é um pouco dura. A vantagem dela ser mais firme é que você consegue dobrar o aparelho em diferentes posições.

Por outro lado, inevitavelmente, você vai acabar tocando em uma das telas durante esse movimento, principalmente na tela interna quando for fechar o smartphone. Entretanto, isso não chegou a causar problemas de toque acidental em algum aplicativo durante os testes. Aliás, o smartphone oferece um recurso de proteção adicional contra toque acidental, que pode ser útil para esses casos. É só deixá-lo ativado.

Em relação às cores, aqui no Brasil, o Galaxy Z Fold 3 chegou em preto, prata e verde. A Samsung ainda oferece diversos modelos de capinha para deixar o smartphone mais protegido.

Galaxy Z Fold 3 deitado em uma mesa, com foco nos botões laterais
Detalhe dos botões e sensor de impressões digitais do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Resistente e durável

Uma das novidades do Galaxy Z Fold 3 em termos de design são as soluções da Samsung para deixar o smartphone mais resistente. O modelo é o primeiro celular dobrável resistente à água. Ele traz certificação IPX8, o que significa que pode ser submerso em até 1,5 m de profundidade em água doce por até 30 minutos.

Entretanto, esse "X" da certificação indica que o aparelho não é resistente à poeira. Nesse ponto, a Samsung deixou a desejar, porque seria mais um recurso de proteção para o Galaxy Z Fold 3. Por outro lado, o aparelho teve a tecnologia Sweeper aprimorada. Agora, ele tem cerdas mais curtas dentro da dobradiça, o que ajuda a repelir a poeira e outras partículas.

Além disso, o aparelho é construído com o novo Armor Aluminum, que, segundo a Samsung, é o alumínio mais forte já usado em um smartphone Galaxy. O smartphone ainda conta com proteção Corning Gorilla️ Glass Victus, que é um vidro mais resistente para proteger de arranhões e quedas acidentais.

O Galaxy Z Fold 3 também passou por teste de dobras, verificado pela organização internacional Bureau Veritas. O smartphone foi dobrado mais de 200 mil vezes e resistiu ao movimento. Ainda falando de proteção e resistência, o display do Galaxy Z Fold 3 conta com uma película protetora feita de PET, que deixa a tela principal 80% mais durável do que em modelos anteriores

De forma geral, esse é um ponto muito positivo do design do Galaxy Z Fold 3. O modelo é robusto e foi criado para ser durável. É muito bom que a Samsung tenha apostado nessas características. Afinal, estamos falando de um smartphone caro, que exige um alto investimento.

Traseira do Galaxy Z Fold 3 dobrado
Galaxy Z Fold 3 é construído com um alumínio mais forte e resistente (Foto: Aline Batista)

Tela

Outro destaque do Galaxy Z Fold 3 são as telas. O smartphone tem dois displays, o externo e o principal, que aparece quando o aparelho está aberto. A tela externa tem 6,2 polegadas, com resolução HD+ (2268 x 832 pixels), enquanto a interna tem 7,6" e resolução QXGA+ (2208 x 1768 pixels).

Ambos os displays utilizam um painel AMOLED Dinâmico 2X, que apresenta cores vivas e alta qualidade. Além disso, as duas telas também contam com taxa de atualização de 120 Hz, que faz as imagens atualizarem mais rápido, deixando as transições mais suaves e os movimentos mais nítidos. Essa característica é interessante, principalmente, na hora de jogar ou assistir a vídeos pelo smartphone.

A Samsung fez um bom trabalho nas telas do Galaxy Z Fold 3. Apesar de todas as tecnologias para o display dobrável, a fabricante não deixou a qualidade de lado. As duas telas oferecem imagens nítidas, com cores vivas e brilho alto. Você consegue enxergar com clareza até mesmo em ambientes mais claros ou ao ar livre.

Mas você deve estar se perguntando como é a experiência de utilizar um smartphone com duas telas. E podemos dizer que é excelente. A tela externa é bastante prática, porque permite acessar qualquer aplicativo de forma simples, como em um smartphone comum. Você pode usá-la, por exemplo, para fazer ligações, dar uma olhada no feed do Instagram ou responder mensagens no WhatsApp, apesar de o teclado ser um pouco mais estreito. É possível ainda fazer pagamentos com o Samsung Pay sem precisar abrir o Z Fold 3.

O display principal, por sua vez, abre diversas possibilidades. Você pode acessar qualquer aplicativo, como redes sociais e outras ferramentas, mas também ler livros, jogar, assistir a filmes e até trabalhar em multitarefas, com várias janelas abertas ao mesmo tempo. O aparelho ainda oferece um recurso chamado Modo Flex, sobre o qual falaremos mais a seguir. Com ele, você consegue aproveitar melhor as possibilidades da tela dobrável.

Galaxy Z Fold 3 aberto em uma mesa
Tela principal do Galaxy Z Fold 3 oferece diversas possibilidades de uso, seja para trabalho ou entretenimento (Foto: Aline Batista)

Uma das novidades do Samsung Galaxy Z Fold 3 é a câmera abaixo da tela principal. Isso acontece porque o aparelho conta com uma tecnologia que aplica pixels mínimos no orifício da câmera frontal, que passa despercebida e dá mais visibilidade para o usuário. Assim, ele tem uma experiência de tela ininterrupta e mais imersiva, sem o notch ou furo no display. O recurso de câmera abaixo da tela contribui para uma experiência ainda melhor na tela grande.

Já a câmera frontal da tela externa está alocada em um furo, como vemos na maioria dos modelos atuais.

Outra característica que vale citar é que as telas já vêm com uma película aplicada, o que ajuda a garantir a proteção dos displays. A Samsung, inclusive, não recomenda remover a proteção, nem usar outras películas não aprovadas, pois elas podem danificar as telas. Além disso, para evitar outros danos, a fabricante aconselha não pressionar o display com objetos duros ou pontiagudos, nem dobrar o celular com algum objeto dentro, como cartões ou moedas.

Câmera

Câmera é o que não falta no Galaxy Z Fold 3: são cinco no total. Além disso, o celular dobrável oferece diversos recursos para fotografia. Seu conjunto traseiro tem câmera tripla, com lentes wide, ultra-wide e teleobjetivas de 12 MP. O smartphone ainda conta com foco automático, estabilizador de imagens, zoom óptico de 2x e zoom digital de até 10x.

A câmera principal tira boas fotos em praticamente todas as situações. As imagens são claras, nítidas e bem definidas. Já a lente ultra-wide é ideal para fotografar cenários com ângulos mais abertos e também faz bons registros. Por fim, a câmera teleobjetiva é utilizada para o zoom óptico de 2x, que é bastante satisfatório. Vale ressaltar que, com o zoom digital de 4x, o celular já começa a produzir imagens com qualidade mais baixa.

Foto de uma rua tirada com a câmera principal do Galaxy Z Fold 3
Foto tirada com a câmera principal do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)
Foto de uma rua tirada com a lente ultra-wide do Galaxy Z Fold 3
Foto tirada com a lente ultra-wide do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)
Foto de uma rua tirada com a lente teleobjetiva do Galaxy Z Fold 3
Foto tirada com a lente teleobjetiva do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista) 

De forma geral, as fotos tiradas com a câmera traseira do Galaxy Z Fold 3 são excelentes, independente do objeto fotografado ou das condições de iluminação. Ainda assim, ele não chega ao nível do Galaxy S21 Ultra, que tem 108 MP e lente periscópica, sendo a melhor opção da Samsung para fotografia atualmente.

À noite, o sensor principal também manda bem nas fotos. O smartphone ainda conta com o Modo Noturno, que utiliza inteligência artificial para equilibrar melhor luzes e sombras nas imagens. Entretanto, em alguns cenários, o recurso pode acabar deixando as fotos com um aspecto mais artificial. Já as lentes ultra-wide e telobjetiva já apresentam uma pequena perda de qualidade em imagens noturnas.

Foto de uma rua à noite tirada com o Galaxy Z Fold 3
Foto tirada à noite com o Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)
Foto de uma rua à noite tirada com o Galaxy Z Fold 3
Foto tirada à noite com o modo noturno do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Além disso, existem diversas possibilidades de tirar selfies com o Galaxy Z Fold 3. A melhor delas é usando o próprio conjunto traseiro. O smartphone tem um recurso que permite utilizar a tela externa para visualizar uma seflie feita com a câmera tripla. Para isso, basta abrir todo o aparelho.

Se você quiser, o telefone ainda oferece outras duas câmeras de selfies, uma em cada tela. A câmera do display externo, que fica alocada em um furo, tem 10 MP e faz boas fotos de dia e à noite.

Entretanto, a câmera que fica debaixo do display principal e que é uma das grandes novidades do Z Fold 3 acaba decepcionando. Ela conta com apenas 4 MP e, no geral, deixa as imagens com um baixo nível de detalhes. Também é possível perceber uma dificuldade em equilibrar as cores, principalmente à noite. A inteligência artificial no pós-processamento ajuda a melhorar as fotos, mas o resultado continua sendo inferior ao da câmera de 10 MP.

Para comparar, veja abaixo selfies feitas de dia e à noite com a câmera frontal externa (à esquerda) e interna (à direita) do Galaxy Z Fold 3.

Duas selfies de uma mulher feitas com o Galaxy Z Fold 3
Seflies tiradas de dia com a câmera frontal externa e a frontal interna do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)
Duas selfies de uma mulher feitas à noite com o Galaxy Z Fold 3
Seflies tiradas à noite com a câmera frontal externa e a frontal interna do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Vale ressaltar que, apesar de a câmera debaixo da tela não ser tão boa, o conjunto do Galaxy Z Fold 3 é bastante versátil. O celular consegue fotografar diferetes objetos e cenários com eficiência e oferece diversos recursos para melhorar as imagens. De forma geral, o resultado é muito bom.

Outro destaque é a variedade de recursos que o smartphone oferece. Sempre que você mexe no aplicativo de câmera, descobre algo novo. Ele conta com modos de fotografia mais tradicionais e conhecidos, como Noturno, Retrato, Pro e Panorâmica, mas também oferece funções inovadoras para aproveitar todas as câmeras. Outros recursos são o Single Take, que captura diversas fotos e clipes para selecionar os melhores depois, o Otimizador de Cenas, o Foto em Movimento e diversos filtros.

Em relação à gravação de vídeos, o aparelho captura em 4K a 60 fps nas câmeras traseira e frontal externa. O resultado costuma ser muito bom, com vídeos nítidos e estáveis. Entre os recursos mais interessantes está o Enquadramento Automático. Com ele, o celular é capaz de aplicar o zoom automaticamente, conforme as pessoas se movem, entram ou saem de cena.

Além disso, o Samsung Galaxy Z Fold 3 conta com Super Slow Motion, Câmera Lenta, Timelapse. Outra função de destaque é a Visão do Diretor, que permite alterar entre as diversas câmeras o aparelho. Você ainda pode aproveitar o formato dobrável para apoiar o smartphone em uma superfície e ficar com as mãos livres enquanto faz uma gravação.

Já a câmera debaixo da tela principal faz vídeos em resolução Full HD a 60 fps. Nesse caso, as gravações têm resultado bem inferior às outras. Enquanto as fotos se salvam com o uso da inteligência artificial, os vídeos chegam a ficar com um aspecto meio pixelado, de baixa qualidade.

De fato, essa não é a melhor câmera do Z Fold 3, mas ela pode ser interessante para videochamadas. Você pode apoiar o smartphone em uma mesa, por exemplo, e usar a câmera interna, enquanto acessa outros aplicativos na tela grande. É um smartphone que oferece uma versatilidade muito grande.

Parte traseira do Galaxy Z Fold 3 com foco na câmera tripla
Galaxy Z Fold 3 tem ótimo conjunto de câmera tripla, com sensores de 12 MP (Foto: Aline Batista)

Bateria

Chegamos em um ponto negativo do Galaxy Z Fold 3. O smartphone tem capacidade de 4.400 mAh, um valor relativamente baixo para os padrões atuais, visto que diversos smartphones recentes já vêm com pelo menos 5.000 mAh. A Samsung promete autonomia para um dia de uso, com até 12 horas de acesso a internet.

Em nossos testes, o aparelho cumpriu a promessa, aguentando um dia de uso. Durante o período em que ficamos com o aparelho, ele costumava chegar ao final do dia com a bateria entre 20% e 10%, dependendo do tipo de uso. Entretanto, é importante ressaltar que, no geral, o aparelho foi usado de forma moderada. Alternamos momentos de inatividade, com acesso a redes sociais, jogos leves e aplicativos de streaming.

A tela principal, que deve consumir mais energia por conta do tamanho, também foi bastante utilizada. Para que você tenha uma noção do consumi, 30 minutos de reprodução de filme na Netflix, no display grande, com brilho máximo, gasta cerca de 5% da bateria.

De forma geral, o Galaxy Z Fold 3 não oferece a melhor autonomia de bateria para quem costuma fazer um uso mais intenso do aparelho. Apesar de tudo, é compreensível que o smartphone tenha uma bateria com menor capacidade. Afinal, estamos falando de um celular dobrável. A Samsung deve ter feito diversas mudanças na organização dos componentes internos para comportá-los dentro do dispositivo. Além disso, o fato de ele ter duas telas também contribui para um maior consumo.

Em relação ao tempo de carregamento, o smartphone é compatível com carregamento rápido de 25W. Além disso, oferece carregamento sem fio. O problema é que o Z Fold 3 não vem com carregador. Isso vem sendo recorrente nos celulares premium mais recentes da Samsung, mas o acessório ainda faz falta. O aparelho traz apenas um cabo USB-C para USB-C, sem o adaptador de tomada. Aliás, o cabo também dificulta o carregamento em uma porta USB-A, mais tradicional, em um computador, por exemplo.

Em nossos testes, com um carregador de 20W de outra marca, ele levou cerca de 1 hora e 40 minutos para atingir 100% de carga, um tempo relativamente razoável. Entretanto, se você utilizar um adaptador de tomada com potência menor, pode acabar comprometendo o tempo de carregamento.

Mão segurando o Galaxy Z Fold 3 mostrando a parte inferior do celular
Entrada USB-C e um dos alto-falantes do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Desempenho

Com processador Snapdragon 888, que é um dos mais potentes atualmente, e 12 GB de memória RAM, o Galaxy Z Fold 3 garante ótimo desempenho. O smartphone roda qualquer tarefa com eficiência e sem apresentar engasgos ou travamentos. Em nossos testes, ele não teve nenhum problema relacionado à performance, nem mesmo com jogos mais pesados ou multitarefas. A única questão observada é que, às vezes, em tarefas que exigem mais do hardware, ele pode esquentar um pouco.

O Z Fold 3 chegou ao Brasil em duas versões: com armazenamento de 256 GB e de 512 GB. Ambas oferecem uma quantidade boa de espaço para guardar arquivos, fotos e aplicativos. Entretanto, como ele não aceita expansão via microSD, é importante avaliar bem seu tipo de uso antes da compra. Vale ressaltar que a quantidade de memória interna impacta diretamente no preço do smartphone, sendo a variante de 512 GB mais cara.

Além disso, o celular dobrável traz outros recursos que vão colaborar para uma melhor experiência. Um dos destaques é a compatibilidade com internet 5G, que é mais rápida e deve começar a funcionar no país em 2022. Aproveite para conferir também essa reportagem especial com todos os detalhes da chegada do 5G ao Brasil.

O aparelho oferece diferentes opções de conectividade, incluindo Bluetooth 5.2, que é mais veloz, e NFC, para pagamentos à distância com Samsung Pay. O smartphone também vem com o Samsung Knox, uma tecnologia a nível de hardware e software que oferece mais proteção para seus dados privados.

Uma curiosidade é que o alto-falante para ligações fica na tela externa (a menor). Então, o ideal é que você faça chamadas com o aparelho fechado, o que também é mais confortável do que ligar usando a tela grande. Essa você pode deixar para as chamadas de vídeo, por exemplo.

Mão segurando o Galaxy Z Fold 3 fechado com a tela externa acesa
Tela externa do Galaxy Z Fold 3 é semelhante à de um smartphone tradicional e ideal para fazer ligações (Foto: Aline Batista)

One UI

Assim como outros celulares da marca, o Galaxy Z Fold 3 roda uma interface personalizada pela Samsung, a One UI, que funciona junto com o Android 11. Um ponto positivo é que a fabricante otimiza o sistema para que ele seja funcional. Ou seja, o usuário pode aproveitar recursos exclusivos para o celular dobrável.

Um exemplo disso é a forma como o teclado fica dividido com a tela aberta, deixando a digitação bem mais confortável. Você também pode utilizar a função de Espelhamento de Tela Frontal, para simular dois displays menores na tela principal.

Mais acima, falamos que o Z Fold 3 lidou bem com multitarefas. O smartphone, aliás, tem um modo Multijanelas que permite abrir pop-ups de vários aplicativos simultaneamente. As possibilidades de uso são diversas e você pode ajustar os apps conforme preferir, para melhor visualização. O recurso é ideal para quem trabalha com o smartphone e pode acessar, por exemplo, uma videoconferência, o e-mail e o Google Docs ao mesmo tempo.

Galaxy Z Fold 3 aberto em uma mesa com o modo multijanelas
Modo multijanelas do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Mas o Galaxy Z Fold 3 não é só um smartphone voltado para produtividade e multitarefas, ele também é uma ótima opção para entretenimento. Para quem gosta de jogar, a interface da Samsung traz o recurso Game Launcher. Ele conta com diversas ferramentas para games, como ajustes de som, Modo Prioridade e jogos instantâneos.

Aliás, uma das experiências mais legais durante os testes do smartphone foi jogar o game de corrida Asphalt 9 na tela principal. Os gráficos são incríveis e o celular respondeu muito bem a todos os comandos.

Outro recurso de destaque que aproveita a tela grande do smartphone é o Modo Flex, que também está presente no Galaxy Z Flip 3. A ferramenta deixa a dela dobrável do smartphone ainda mais funcional. No YouTube, por exemplo, dá para dobrar o aparelho pela metade e apoiá-lo em uma mesa para assistir a um vídeo. Já no Spotify, você consegue mexer no aplicativo normalmente em uma parte da tela, enquanto o player pode ser controlado na outra parte.

Enfim, o recurso traz diversas possibilidades de uso, mas é uma pena que vários dos aplicativos populares ainda não aproveitem esse benefício. É o caso, por exemplo, do Instagram e da Netflix. Nessas situações, você precisa fazer ajustes manuais pelas configurações do celular. De qualquer forma, na época do lançamento, a Samsung disse estar trabalhando com diversas fabricantes de apps para deixá-los mais funcionais no Z Fold 3.

S Pen

Outra novidade do Galaxy Z Fold 3 é a compatibilidade com a caneta S Pen. O modelo é o primeiro da linha de dobráveis da Samsung a funcionar com o acessório. Um ponto negativo, porém, é que o smartphone não vem com a caneta e o usuário precisa comprá-la separadamente.

Aliás, ao contrário da linha Galaxy Note, que tinha um compartimento para a S Pen no próprio smartphone, isso não acontece no Z Fold 3. Você, provavelmente, terá que comprar uma capinha com espaço para guardar o acessório.

Mão segurando o Galaxy Z Fold 3 na diagonal, mostrando a dobradiça
Detalhe da dobradiça do Galaxy Z Fold 3 (Foto: Aline Batista)

Em nossos testes, não tivemos a oportunidade de usar o Galaxy Z Fols 3 com a S Pen. De qualquer forma, ela expande as possibilidades de uso, principalmente, para quem usa o smartphone para trabalhar. A caneta inteligente da Samsung permite fazer anotações, desenhos e é ótima para quem quer maior produtividade ao usar o telefone.

Vale ressaltar que o Z Fold 3 é compatível com dois modelos de S Pen: a Fold Edition e a S Pen Pro, que suporta comandos aéreos e gestos. A Samsung recomenda usar somente essas duas versões da caneta para evitar problemas na tela do smartphone.

Galaxy Z Fold 3: preço e custo-benefício

Chegamos ao principal ponto da análise do Galaxy Z Fold 3: o preço. O smartphone foi lançado pela Samsung no Brasil em setembro, na pré-venda, e chegou oficialmente por aqui em outubro. Na loja da fabricante, o modelo é vendido R$ 12.799 (256 GB) e R$ 13.799 (512 GB). No e-commerce, porém, ele já sai por R$ 12.420 e R$ 12.740, respectivamente (valores coletados em 25/10).

Você pode estar pensando que esse é um valor absurdamente alto para um smartphone. E, sim, o Galaxy Z Fold 3 é um aparelho caro. Mas aqui, vale fazer a mesma consideração que fizemos no review do Galaxy Z Flip 3: esse é um celular avançado, feito para um público mais específico, que prioriza tecnologia e inovação acima de tudo.

Os celulares dobráveis da Samsung não foram produzidos para o público geral e não têm foco em custo-benefício. O Z Fold 3 tem um caráter mais exclusivo mesmo. E quem quer um smartphone com todos esses benefícios e inovações está disposto a pagar mais caro por ele.

Galaxy Z Fold 3 parcialmente fechado apoiado em uma mesa
Samsung Galaxy Z Fold 3 tem preço bastante elevado, mas está de acordo com as tecnologias que o smartphone oferece (Foto: Aline Batista)

Além disso, a compra do aparelho também considera outros possíveis custos, como a caneta S Pen, um adaptador de tomada e um fone de ouvido Bluetooth. Ou seja, é um investimento bem alto mesmo. Talvez, quando a tecnologia se popularizar, seja possível encontrar celulares dobráveis mais acessíveis.

Por tudo isso, não vamos colocar o preço como um fator negativo. O Galaxy Z Fold 3 é uma opção muito completa para quem quer um celular para trabalho, mas também para entretenimento. O smartphone oferece um ótimo conjunto, com diversas inovações. Seus pontos negativos são poucos e não chegam a prejudicar o aparelho, como a bateria e a câmera debaixo da tela medianas. Dessa forma, consideramos que o telefone vale a pena, mesmo custando mais caro.

Acessórios disponíveis

Como falamos anteriormente, quem comprar o Galaxy Z Fold 3, possivelmente, terá que investir em alguns acessórios para o celular. O primeiro deles é um carregador, ou pelo menos o adaptador de tomada, já que o aparelho vem sem. Veja as melhores ofertas de carregadores Samsung.

Além disso, também recomendamos a compra de um fone de ouvido Bluetooth. O modelo não tem entrada P2 para um fone de ouvido padrão. Então, nesse caso, os aparelhos sem fio são a melhor solução. Uma dica é apostar nos fones da própria Samsung, que têm ótima integração com os smartphones da marca.

O Galaxy Buds Pro, por exemplo, é ideal para quem valoriza um som de alta qualidade. Já o Galaxy Buds 2 é uma opção interessante para quem quer um fone completo, mas mais acessível. Aproveite para conferir o review do Buds 2 e conhecer mais detalhes do modelo.

Se você quiser aproveitar todas as possibilidades de uso ainda terá que comprar uma caneta S Pen para o smartphone. Outra dica é investir em uma capinha protetora para o Galaxy Z Fold 3.

Produtos similares

O Galaxy Z Fold 3 é um produto muito único e praticamente não tem concorrentes diretos. Entretanto, se você quiser conhecer outras opções de celulares dobráveis, vale dar uma olhada no Galaxy Z Fold 2. O modelo tem visual semelhante, com uma tela externa e outra interna. Como a versão anterior já teve uma boa queda de preço, pode ser interessante para quem não quer gastar tanto.

Outro celular dobrável é o Galaxy Z Flip 3, que foi lançado junto com o Z Fold 2. O aparelho tem visual diferente, que se assemelha aos celulares de flip famosos nos anos 2000. Ele é mais compacto e tem uma tela secundária que mostra as notificações. Além disso, conta com câmera dupla e também vem com o poderoso processador Snapdragon 888. Conheça outros detalhes no review do Galaxy Z Flip 3.

Para quem quer um bom smartphone, mas não está disposto a gastar tanto, a dica é conhecer os modelos tops de linha de 2021. Eles vão apresentar desempenho veloz, bom conjunto de câmeras e tela de qualidade. Inclusive, uma ótima opção são os aparelhos da linha Galaxy S21 da Samsung.

Se quiser conhecer outros bons celulares, confira a lista de melhores smartphones de 2021. Nossa seleção inclui opções em diferentes faixas de preço, que vão agradar à maioria dos usuários.

Conclusão

Arte com a nota 9 para o Galaxy Z Fold 3

Em uma escala de 5 a 10 (onde 5 representa aparelhos medíocres, em que não vale a pena investir, e 10 significa um ótimo celular, sem pontos negativos), nossa nota final para o Galaxy Z Fold 3 é 9. Nessa gradação, encontram-se os melhores modelos, com bom desempenho e poucos problemas. Dependendo das características que você procura em um smartphone e do quanto está disposto a pagar, consideramos que produto vale a pena.

O celular dobrável da Samsung é um ótimo smartphone. Ele combina inovação, tecnologia de ponta e alto desempenho. É um aparelho muito versátil, que funciona para quem quer trabalho e alta produtividade, mas também para quem deseja boas opções de entretenimento, como filmes e jogos.

O principal ponto negativo é a bateria, mas que, de qualquer forma, ainda aguenta um dia de uso moderado. Já câmera frontal debaixo da tela, embora não seja das melhores, acaba não fazendo diferença, porque o celular traz outras ótimas câmeras.

O Galaxy Z Fold 3 ainda se destaca pelo ótimo desempenho, com um sistema otimizado para o design dobrável, e pelas duas telas de alta qualidade, especialmente, o display interno. Além disso, o smartphone traz um conjunto de câmeras versátil, com destaque para a câmera traseira tripla. Seu preço é alto e fora do padrão do mercado de celulares, mas vale a pena considerando todas as inovações do aparelho.

Aproveite para conferir reviews de outros produtos da Samsung que nós testamos: