Imagem mostra braço segurando Moto G10 com uma parede de tijolos ao fundo

Moto G10: o básico da Motorola com bateria resistente

Será que o Moto G10 vale a pena? Testamos o celular e, neste artigo, comentamos nossas impressões

João Gabriel LiraEstagiário

Publicado e atualizado 8 min. de leitura.

Compartilhe:

O Moto G10 é um smartphone básico da Motorola. E, como todo modelo dessa faixa, ele é pensado especialmente para ser um aparelho de bom custo-benefício e para uso cotidiano. Isso não o impede de ter alguns destaques interessantes. Dentre eles, estão a bateria de 5000mAh e o conjunto fotográfico com quatro câmeras. Outro ponto positivo é a tela de resolução HD+ estilo IPS LCD, que garante cores mais precisas.

Mas será que este celular Motorola é realmente uma boa opção? Para te ajudar a decidir, nós o testamos e, neste review, você verá nossas impressões. Foram 7 dias de testes com o Moto G10 e levamos em consideração os seguintes aspectos: design, qualidade de áudio, bateria e conectividade, recursos extras e custo-benefício. Se quiser entender melhor os nossos critérios, veja como avaliamos celulares.

Ofertas do Moto G10

Confira os melhores preços para o Moto G10 abaixo:

Prós e Contras do Moto G10

Imagem mostra prós e contras do Moto G10, que são explicados no texto a seguir

Prós

O maior destaque do Moto G10 definitivamente é a bateria resistente. Apesar dos 5.000mAh suportarem, na maioria das vezes, até dois dias de uso, eu consegui chegar aos três dias usando aplicativos leves, sem assistir vídeos e nem usar as câmeras. É uma excelente especificação principalmente para um celular básico.

Sem falar no conjunto fotográfico. Este foi um dos pontos que ganhou destaque. Não tanto pela qualidade das fotos, mas pela quantidade de recursos que o smartphone oferece. Usei e abusei do modo Pro, Retrato e da foto panorâmica.

A tela de resolução HD+ também chamou a atenção e mereceu destaque pela nitidez, equilíbrio de cores e saturação equilibrada. Gostei muito da experiência de assistir vídeos e séries com esse aparelho.

Contras

O principal contra do Moto G10 está no processador. O Snapdragon 460 é ultrapassado, e já existem outros processadores básicos e de qualidade superior. De qualquer forma, apesar de alguns travamentos e demora para realizar algumas ações, ele não foi de todo ruim e não me impediu de usar o celular normalmente em uso cotidiano.

A câmera de selfies também foi classificada como um dos pontos negativos. Apesar de não ser tão ruim, sua resolução de 8MP é considerada baixa.

O que vem na caixa do Moto G10

Já que as fabricantes estão retirando fones de ouvido carregadores das caixas dos celulares, podemos dizer tranquilamente que a Motorola caprichou nos acessórios do Moto G10. Ele traz até capinha de silicone. Como a prática vem se tornando cada vez mais difícil, acho que já podemos chamar de diferencial.

Imagem mostra Moto G10 acompanhado dos acessórios da caixa
Moto G10 traz lista completa de acessórios na caixa (Foto: Mosaico)

Por padrão, a caixa do Moto G10 vem com:

  • Carregador
  • Cabo USB-C
  • Capa protetora
  • Fone de ouvido estéreo (com dois pares extras de ponteiras de silicone)
  • Ferramenta de remoção de chip
  • Kit de manuais do usuário

Moto G10: ficha técnica

Imagem mostra ficha técnica detalhada do Moto G10

Design do Moto G10

O design do Moto G10 destaca por dois fatores principais: o aproveitamento de tela e as cores. A primeira coisa que me chamou atenção no celular foi a parte traseira, com formato e um efeito metalizados que fazem com que o celular mude de cor a depender do ângulo de visão. Apesar de ser um aparelho construído em plástico, esse efeito deixa o telefone com ar moderno.

Ainda na parte traseira, o celular conta com o módulo de câmeras quádruplas, na parte superior esquerda. Já o sensor ID (que é o próprio símbolo da Motorola) fica na parte central e superior do aparelho. Isso não facilita muito para quem é acostumado, como eu, a usar o celular em cima da mesa.

Imagem mostra parte traseira do Moto G10, com foco no conjunto quádruplo de câmeras
Design do Moto G10 tem ar moderno (Foto: Mosaico)

Ter que pegar o celular para desbloquear poderia ser uma tarefa mais simples se a Motorola colocasse o sensor ID na própria tela. Muitos celulares intermediários e até mesmo básicos já apresentam essa possibilidade.

O modelo que recebemos para testar era da cor Branco Floral, que ora está mais para azul, ora se parece com lilás.

Na parte frontal, o que se destaca são suas bordas finas. Elas se somam ao bom aproveitamento de tela e ao notch (também chamado de entalhe), em forma de gota, na parte superior central do aparelho.

Na lateral direita, o Moto G10 traz os botões de volume, o de liga/desliga e o de Google Assistant. Já na lateral esquerda, está a gaveta para chip e cartão microSD.

Em relação às dimensões, o Moto G10 tem 16.5cm de altura por 7.5cm de largura e 0.9 cm de profundidade, o que garante uma boa pegada. O smartphone pesa 200 gramas. Ele não é leve se compararmos com a maioria dos celulares. Isso, contudo, foi algo fácil de se acostumar e não chegou a incomodar.

Tela do Moto G10

O Moto G10 tem tela de 6,7 polegadas, resolução Full HD+ (1080 x 2520 pixels) e seu visor é de tecnologia IPS LCD. É compreensível que a Motorola tenha optado por essa tecnologia ao invés de outra (como OLED, por exemplo). Afinal, o objetivo é ser um celular de bom custo-benefício. Mas isso não me incomodou nem um pouco e passou despercebido conforme o uso cotidiano.

Parte frontal do Moto G10, com parede de tijolos ao fundo
Moto G10 tem visor de tecnologia IPS LCD (Foto: Mosaico)

O display do Moto G10 oferece uma experiência satisfatória, especialmente para assistir a vídeos e séries pelo celular. A taxa de 60 Hz não é das melhores. Mas isso não me afetou tanto durante minhas atividades diárias. A resolução dele é boa, as cores são fiéis e a saturação é bem equilibrada.

Câmeras do Moto G10

Sensor principal

O Moto G10 vem com um conjunto quádruplo de câmeras traseiras. O sensor principal tem resolução de 48 MP. Ele proporciona boas fotos, especialmente durante o dia, onde as fotos saem bem detalhadas.

Imagem mostra duas fotos feitas com o Moto G10: uma é resultado da câmera principal e outra é foi feita com o efeito de visão noturna
Fotos tiradas com a câmera principal do Moto G10 (Foto: João Gabriel Lira)

Ultra-Wide

O sensor ultra-wide é de 8MP e cumpre bem o trabalho de expandir o ângulo de visão. A imagem ganha saturação e não sofre graves distorções que comprometam a qualidade.

Foto de árvores tirada com a câmera ultra-wide do Moto G10
Imagem ganha saturação em foto tirada com sensor ultra-wide do Moto G10 (Foto: João Gabriel Lira)

Macro e sensor de profundidade

Os sensores macro e de profundidade possuem 2MP cada e auxiliam no detalhamento de fotos tiradas de perto, que destacam o primeiro plano e desfocam o fundo. Minha experiência foi positiva. O celular conseguiu focar rápido no objeto que eu desejava, sem ter que ficar clicando para focar ou tirando várias fotos como tentativa.

Foto de flor tirada com a câmera macro do Moto G10
Sensor macro desfoca bem o fundo e dá detalhes ao objeto em foco (Foto: João Gabriel Lira)

Câmera de selfies

Já a câmera frontal conta com 8 MP, nível de detalhamento satisfatório e recursos interessantes, como o retrato, o Night Vision (modo noturno) e o modo selfie em grupo. Não é das melhores resoluções, mas é suficiente para um celular básico.

Duas selfies de um homem feitas com o Moto G10
Selfies feitas com o Moto G10 de dia e à noite (Foto: João Gabriel Lira)

Filmagem

Para vídeos, o celular filma com resolução em Full HD e até 60 quadros por segundo (FPS), tanto na câmera frontal quanto nas traseiras.

Bateria do Moto G10

A bateria do Moto G10 é, com certeza, um dos seus grandes destaques. São 5000mAh, que correspondem a até dois dias de uso. Para um celular básico e de uso cotidiano, essa autonomia de bateria é mais do que suficiente. Ela faz com que a última das preocupações seja colocar o celular para carregar.

Seu carregador é de 10w, que não é o mais rápido do mercado, mas já é o bastante e compensa pelo tempo longe das tomadas.

Desempenho do Moto G10

O processador do Moto G10 é um Qualcomm Snapdragon 460. É um octa-core com velocidade de 1,8 GHz e que trabalha ao lado de 4 GB de memória RAM. Com essas características, o celular rodou tranquilamente os aplicativos mais leves e até mesmo alguns jogos como Temple Run e Subway Surfers.

O armazenamento interno do smartphone é de 64 GB, suficientes para uso básico. Para usuários mais exigentes, pode ser um problema. Mas há também a possibilidade de expansão para 512 GB por cartão de memória.

Mão segurando o Moto G10 com a tela acesa e um fundo de tijolos atrás
Moto G10 é um celular mais básico, com apenas 4 GB de memória RAM (Foto: Mosaico)

Apesar de possuir uma boa fluidez de sistema, o celular apresentou alguns travamentos leves, especialmente na hora de alternar entre muitos aplicativos abertos em segunda mão, o que me gerou um certo incômodo. O Moto G10 vem com o Android 11, versão mais recente do sistema.

Recursos

Para fotos em ambientes com pouca luz, o celular possui recursos interessantes como o Flash LED e a Visão Noturna para capturar imagens à noite. A câmera principal também possui recursos como foto panorâmica, modo retrato, timer, cinemagraph, HDR, entre outros. Ele também conta com conexão via Bluetooth 5.0, Wi-Fi e NFC.

Moto G10: preço e custo-benefício

O Moto G10 é um celular básico, mas que consegue mesclar custo-benefício com algumas especificações dos smartphones intermediários. Atualmente, está na faixa dos R$1.049*. O preço é bom e compatível com as especificações do smartphone.

A bateria impressionou e aguentou até três dias de uso cotidiano. O conjunto fotográfico também surpreendeu. Apesar de a qualidade não ser dos melhores, os inúmeros recursos ajudam no resultado final. E, apesar de alguns travamentos leves, o desempenho também não decepcionou.

Produtos similares

Por um preço aproximado, é possível adquirir o Moto G30, que é da mesma fabricante. Ele possui especificações superiores - como sensor principal de 64MP e também tem 5.000 de mAH - e encontra-se na faixa dos R$1.215*. Por esse valor, seria uma opção melhor. Conheça a ficha técnica do Moto G30.

Se quiser dar uma olhada em outros celulares Motorola, separamos esta lista com os melhores modelos em 2021. Caso não tenha preferência por marca, temos um artigo com os melhores celulares de 2021. Há opções da Xiaomi, Samsung, Apple, entre outros, divididos por faixa de preço.

Conclusão

Arte com a nota 9 do Moto G10

O Moto G10 recebeu, de acordo com as nossas impressões, a nota 9. Em nossos critérios, a menor nota, que é 5, representa aparelhos em que não vale a pena investir. A maior, que é 10, representa aparelhos que não apresentam pontos negativos.

Na faixa 9 de gradação, encontram-se os melhores modelos, com bom desempenho e poucos problemas. Dependendo das características que você procura em um smartphone e do quanto pode pagar, consideramos que produto vale a pena.

Essa nota condiz com seu valor que, em conjunto com algumas especificações intermediárias, desempenho satisfatório e caixa completa com muitos acessórios, tem como produto final um bom celular. Ele, aliás, tem alguns diferenciais em relação a outros da mesma faixa.

*Valores coletados no dia 01/09

Aproveite para conferir o review de outros celulares Motorola que nós testamos: