Parte superior do Moto G60 virado de costas, apoiado em um fundo cinza e com o selo do Testamos

Moto G60: intermediário tem câmera de 108 MP e ótima bateria

Testamos o Moto G60, celular intermediário Motorola com características premium, como tela de 120 Hz e câmera tripla

Aline BatistaRedatora

Publicado e atualizado 15 min. de leitura.

Compartilhe:

O Moto G60 é um celular intermediário lançado pela Motorola em abril de 2021 pelo preço de R$ 2.699. O smartphone tem ficha técnica poderosa e trouxe diversas inovações para a décima geração da família Moto G. Um dos principais destaques é o conjunto de câmera tripla, com tecnologia Ultra Pixel e sensor principal de 108 MP, número que até então só estava presente no modelo top de linha da marca, o Motorola Edge Plus. Além disso, o aparelho tem tela com taxa de atualização de 120 GHz e bateria de 6.000 mAh.

Para te ajudar a decidir se o Moto G60 vale a pena, nós testamos o smartphone por alguns dias. Nesta análise, levamos em consideração os seguintes critérios: design, tela, câmera, bateria, desempenho e custo-benefício. Você confere nossas impressões no review abaixo. Se quiser entender nossos critérios e notas para a avaliação de produtos, veja como avaliamos celulares.

Imagem mostra mão segurando Moto G60 e exibindo parte frontal do celular
Moto G60 é um celular intermediário tem câmera de 108 MP (Foto: Aline Batista)

Moto G60: preço e melhores ofertas

Confira as melhores ofertas para o Motorola Moto G60:

Prós e contras

Prós

De forma geral, a Motorola acertou no conjunto do Moto G60. O aparelho traz boas especificações para um intermediário, incluindo tela com taxa de atualização de 120 Hz, algo inédito entre os aparelhos da marca. A câmera tripla de 108 MP é versátil e produz boas fotos. A bateria de 6.000 mAh também se destaca, com autonomia para mais de dois dias de uso. Além disso, ele oferece bom desempenho, até mesmo em jogos e multitarefas.

Contras

Uma bateria tão grande acaba impactando no design do aparelho. Apesar de ser visualmente bonito, o Moto G60 é pesado e grande. Por isso, pode ser um pouco desconfortável de manusear para algumas pessoas. Outro ponto negativo é o áudio mono, que já se tornou comum entre os intermediários, mas faz falta para quem gosta de ouvir música nos alto-falantes.

Review em vídeo

Veja outros detalhes do Moto G60 no review em vídeo a seguir:

O que vem na caixa

Em uma época em que celulares vêm sem carregadores e fones de ouvido, o Moto G60 se destaca pela variedade de acessórios. Nesse ponto, a Motorola tem feito um bom trabalho e manda até uma capinha de silicone com o aparelho. O G60 vem na caixa com:

  • Cabo USB-C
  • Adaptador de tomada TurboPower de 20 W
  • Capa de silicone
  • Fone de ouvido
  • Chave para abrir a gaveta do chip
  • Manual do usuário
Imagem mostra Moto G60 acompanhado pelo carregador, fone de ouvido, capinha e caixa
Acessórios que acompanham o Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Moto G60: ficha técnica

Design do Moto G60

A Motorola vem investindo no design de seus smartphones e com o Moto G60 não é diferente. O celular tem certa semelhança visual com os demais modelos da linha Moto G de décima geração, com design elegante e acabamento mais premium. A tela ocupa praticamente toda a parte frontal do dispositivo, que tem bordas mínimas, e a câmera frontal fica alocada em um furo no display.

Um ponto que vale ressaltar é que o celular Motorola tem flash de LED frontal para aprimorar as selfies. O recurso se tornou incomum na maioria dos smartphones mais recentes, mas ajuda bastante nas fotos em lugares mais escuros. A parte boa é que a fabricante encontrou uma solução para colocar o flash sem prejudicar o design do telefone. Ele fica bem perto da borda do aparelho e é completamente imperceptível durante o dia a dia. Você só vai notá-lo quando ativar a luz para fotografar.

Mão exibindo parte traseira do Moto G60
Traseira do Moto G60 tem efeito metálico (Foto: Aline Batista)

Já na traseira, o Moto G60 tem visual elegante, apesar da construção do smartphone em polímero, um tipo de plástico. O aparelho está disponível nas cores champagne e azul. Ele tem acabamento refinado, com efeito metalizado, mas fica com marcas de dedo facilmente. Por isso, o uso da capinha que acompanha o telefone é praticamente indispensável. As câmeras têm uma leve protuberância e ficam envoltas por uma caixa em um tom de azul mais esverdeado. O leitor de impressões digitais também está localizado na traseira, no logotipo da Motorola.

Na lateral direita do Moto G60, estão os botões físicos: um para Google Assistente, outro para controle de volume e o botão liga/desliga. Já na lateral esquerda fica a gaveta para chip e cartão de memória. Vale ressaltar que a segunda entrada é híbrida, ou seja, o usuário deve escolher entre usar um cartão SIM ou o microSD. Na parte inferior, estão a entrada USB-C, os alto-falantes e o microfone principal, enquanto na parte superior está o microfone secundário e a conexão P2 para fones de ouvido.

Um ponto negativo do Moto G60 é que, se comparado com outros aparelhos intermediários, o smartphone é grande, pesado e grosso, apesar dos esforços da Motorola para melhorar o design. Suas dimensões são de 16,97 cm de altura, 7,59 cm de largura e 0,975 cm de profundidade, e o peso é de 220 gramas.

Esse visual mais robusto se justifica por conta da bateria gigante, que tem 6.000 mAh de capacidade. Apesar de ser uma excelente vantagem, ela acaba trazendo um ônus e prejudicando o design. Nos primeiros dias, você vai estranhar ao manusear o aparelho, ao usá-lo com uma mão só ou ao guardá-lo no bolso da calça. Depois, acaba se acostumando com a construção mais pesada.

Moto G60 em cima de uma mesa de madeira, com parte traseira voltada para cima
Moto G60 tem visual mais grosso e pesado (Foto: Aline Batista)

Em relação aos acessórios que vêm na caixa, esse é um ponto em que a Motorola está de parabéns. Assim como em outros produtos da marca, o Moto G60 traz carregador, fones de ouvido e capinha protetora de silicone. É interessante observar que a fabricante ainda mantém esses itens, enquanto diversas concorrentes estão retirando os acessórios e obrigando os usuários a comprarem separadamente. Vale ressaltar que não há certificação IP, que protege contra água.

Tela

O Moto G60 tem tela de 6,8 polegadas que a Motorola chama de Max Vision. O painel é do tipo IPS LCD, com resolução Full HD+ e densidade de pixels de 396, que é suficiente para o olho humano. A proporção é de 20,5:9, que deixa o display mais comprido. Além disso, o celular Motorola é compatível com tecnologia HDR10, que promete cores mais vivas, com contraste e brilho aprimorados.

Essas especificações já são suficientes para que a tela do Moto G60 ofereça uma boa experiência. No entanto, o smartphone se destaca pela taxa de atualização de 120 Hz, algo inédito entre os produtos da Motorola. Essa especificação ajuda a deixar as transições de imagens mais fluidas e rápidas, por isso, é interessante para quem gosta de jogar ou assistir a filmes pelo smartphone. Vale ressaltar que o telefone vem com o modo automático ativado por padrão, mas basta fazer o ajuste pelas configurações. Obviamente, a tela em 120 Hz vai consumir mais bateria.

Moto G60 em cima de uma mesa de madeira, com parte frontal voltada para cima
Tela de 120 Hz do Moto G60 é uma das vantagens do celular (Foto: Aline Batista)

Na prática, a tela do Moto G60 oferece uma experiência bastante agradável, seja em tarefas mais simples, como navegação nas redes sociais, ou em jogos. As cores são bem definidas e o usuário tem a opção de alterar a saturação. Além disso, o contraste é eficiente e garante boa visualização em diferentes ângulos. O brilho automático também dá conta do recado, mas em lugares mais iluminados ou sob a luz do sol, você vai precisar deixar no máximo.

Câmera

A câmera é um dos grandes destaques do Moto G60. O smartphone é o segundo celular Motorola a vir com sensor de 108 MP. Até então, essa característica estava presente apenas no top de linha da marca, o Motorola Edge Plus. O modelo ainda conta com mais duas lentes: uma híbrida com sensor de 8 MP, que é utilizada para fotografar nos modos ultra-wide e macro, e um sensor de profundidade de 2 MP, que ajuda nas fotos com modo retrato. Obviamente, a qualidade das fotos não está relacionada só à quantidade de megapixels, mas eles ajudam bastante.

Além do sensor poderoso de 108 MP, o celular Motorola vem com a inédita tecnologia Ultra Pixel, uma evolução do Quad Pixel, que promete fotos com mais qualidade. O recurso combina nove pixels em um único para produzir imagens com 12 MP de resolução e maior nitidez.

Na prática, as fotos tiradas pelo Moto G60 são muito boas, com cores fiéis à realidade, foco preciso e bom nível de detalhes, principalmente, em boas condições de iluminação. Além disso, o celular permite usar os 108 MP em sua totalidade para tirar fotos. Os resultados costumam ser melhores do que as imagens do modo Ultra Pixel, com maior nível de detalhes. Ainda assim, não é uma diferença tão gritante.

Foto de paisagem tirada de dia com câmera principal do Moto G60
Foto tirada com a câmera principal do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

À noite, o Moto G60 apresenta uma dificuldade um pouco maior para fotografar, mas o modo noturno é bastante eficiente e ajuda a salvar as imagens. Sem o recurso, as fotos ficam um pouco pixeladas, com cores e contrastes não muito bons.

No entanto, ao ativar o Night Vision, a inteligência artificial deixa as fotos bem mais bonitas, com cores equilibradas e nitidez. Em alguns casos, o resultado pode sair um pouco mais artificial, com um aspecto de foto editada, mas isso não chega a ser um problema.

Foto de uma rua, tirada à noite, sem modo noturno com o Moto G60
Foto tirada à noite com Moto G60, sem modo noturno (Foto: Aline Batista)
Foto de uma rua, tirada à noite, com modo noturno do Moto G60
Foto tirada com o modo noturno do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Em relação à lente híbrida de 118°, ela ajuda a fotografar em dois modos: ultra-wide e macro. No primeiro caso, é ideal para fotos com ângulos mais abertos. Segundo a Motorola, é possível enquadrar até quatro vezes mais cena. Durante nossos testes, foi possível perceber que qualidade das fotos com a lente ultra-wide é um pouco inferior, em relação à câmera principal. De qualquer forma, é possível obter boas imagens durante o dia.

Foto de uma paisagem, de dia, tirada com lente ultra-wide do Moto G60
Foto tirada com a lente ultra-wide do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

O modo macro também é eficiente e cumpre o que promete: é possível tirar fotos de objetos próximos com bom nível de detalhes. Vale ressaltar que o Night Vision não funciona com a lente híbrida, e as fotos noturnas não ficam tão boas. Inclusive, o aparelho apresentou dificuldades para focar ao utilizar o modo macro à noite. Além disso, sensor de profundidade funciona bem e desfoca o fundo das imagens com precisão.

Foto de uma folha tirada com o Moto G60
Foto tirada com a lente macro do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Já na parte frontal, o Moto G60 tem um sensor de 32 MP, resolução maior até mesmo que a do Moto G100. O aparelho tira boas selfies, especialmente durante o dia. À noite, o celular Motorola tem maior dificuldade para focar e as fotos saem menos nítidas. O modo noturno, mais uma vez, ajuda a salvar as imagens. Além disso, como já citamos, o smartphone conta com um flash frontal de LED, que é muito bem-vindo.

Duas selfies de uma mulher feitas com o Moto G60
Selfies feitas de dia e à noite com o Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Em relação aos vídeos, o smartphone é capaz de gravar em 4K a 30 frames por segundo, tanto na câmera traseira como na frontal. Os vídeos têm boa qualidade, mas ficam tremidos com facilidade. Nesse caso, um estabilizador de imagens faz falta.

A câmera do Moto G60 também chama atenção pela quantidade de recursos e modos de fotografia. Além do tradicional modo noturno, o smartphone conta com os modos Pro, que permite fazer ajustes manuais na câmera, e Cinemagraph, para animar partes das fotos, entre outros. Além disso, também oferece efeitos para os vídeos, como câmera lenta e captura dupla, que faz gravações com as câmeras traseira e frontal simultaneamente. Um ponto que vale ressaltar é o pós-processamento, que é bastante lento.

Parte traseira do Moto G60 sendo segurado por uma mão
Detalhe da câmera traseira do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Bateria

A bateria é outro ponto positivo do Moto G60. Com exceção do Moto G9 Power, esse é o único celular Motorola com capacidade de 6.000 mAh. Segundo a fabricante, o smartphone aguenta até 54 horas de uso. Em nossos testes, o aparelho ficou bem próximo disso, de fato.

Ele aguentou dois dias inteiros de uso e ainda resistiu por cerca de 3 horas no terceiro dia. Vale ressaltar que ele alcança essa autonomia em uso moderado. Por exemplo, nós alternamos acesso a redes sociais, aplicativos de streaming, jogos e navegação na internet com momentos de inatividade. Se você passa muitas horas jogando ou assistindo a filmes, a autonomia será bem menor.

Imagem mostra mão segurando Moto G60 e exibindo parte de baixo do celular, onde fica a entrada para o carregador e uma mesa de madeira no fundo
Moto G60 tem entrada USB-C para carregador TurboPower (Foto: Aline Batista)

A parte ruim de ter uma bateria tão grande, como já comentamos, é que o Moto G60 acaba ficando mais pesado. Além disso, o tempo de carregamento é maior, apesar do carregador TurboPower de 20 W. Em nossos testes, o aparelho levou cerca de duas horas e meia para atingir 100% de carga, um número alto para os padrões atuais. Aliás, esse foi o único momento em que o smartphone esquentou durante o uso, mas a Motorola já adianta que isso é normal por conta do carregamento rápido.

Esse tempo poderia ser menor se o carregador fosse um pouco mais potente. De qualquer forma, com alguns minutos na tomada, você já consegue garantir umas horas de uso. Bateria certamente não será um problema para quem comprar um Moto G60.

Mão segurando Moto G60 e exibindo a parte frontal do celular, com uma parede ao fundo
Moto G60 tem bateria de 6.000 mAh (Foto: Aline Batista)

Desempenho

A ficha técnica do Moto G60 inclui um processador Snapdragon 732G, um modelo intermediário da Qualcomm com oito núcleos e velocidade máxima de 2,3 GHz. O chipset trabalha em conjunto com 6 GB de memória RAM, um valor muito bom para os intermediários atuais. Além disso, o telefone conta com uma GPU Adreno 618, que ajuda com os gráficos, e tem armazenamento interno de 128 GB, que pode ser expandido em mais 1 TB via microSD.

Esse conjunto de hardware é suficiente para rodar os principais aplicativos da Play Store e também dá conta do painel de 120 Hz. Em nossos testes, o sistema Android fluiu bem e o aparelho lidou bem com diversos aplicativos, como redes sociais e streaming, e navegação na internet. Além disso, o Moto G60 não apresentou problemas de desempenho com multitarefas e até mesmo com jogos.

Para este review, testamos jogos leves, com Candy Crush e Farm Heroes, e também com games mais pesados, que exigem mais do celular e ocupam mais espaço na memória, como Asphalt 9, FIFA Mobile e PUBG Mobile. O smartphone demorou um pouco para abrir Asphalt 9 e PUBG, mas rodou todos os jogos bem e não apresentou travamentos. A experiência foi fluida e a Motorola ainda oferece um recurso chamado Gametime, que ajuda a otimizar a performance para games.

Foto mostra Moto G60 em cima de uma mesa e com parte traseira voltada para cima
Moto G60 tem processador intermediário e 6 GB de RAM (Foto: Aline Batista)

Além disso, o Moto G60 roda Android 11 puro, com poucas modificações, como já é tradição entre os celulares Motorola. O aparelho vem com poucos apps instalados de fábrica e o sistema do Google flui bem, oferecendo uma boa experiência de uso. Vale ressaltar que essa é a versão mais atual do Android. A fabricante ainda garante que o telefone vai receber uma atualização de sistema e atualizações de segurança por dois anos.

Em relação à saída de som, o smartphone tem apenas áudio mono, que já se tornou padrão entre os intermediários. Até alguns anos, a Motorola utilizava áudio estéreo nos modelos da linha Moto G, mas acabou abandonando essa característica, porque os usuários utilizam mais os fones de ouvido. A parte boa é que o volume é alto e eficiente, tanto em ligações, como no streaming de filmes ou músicas.

O Moto G60 também manda bem em conexões no quesito conectividade. O smartphone vem com Bluetooth 5.0, padrão mais atual, e conta com NFC, que facilita pagamentos por aproximação. Ao contrário do Moto G100, ele não é compatível com internet 5G, mas isso não chega a ser um ponto negativo, visto que esse tipo de conexão ainda não funciona no Brasil.

Foto mostra Moto G60 em cima de uma mesa e com parte traseira voltada para cima e com foco no conjunto de câmeras
Detalhe dos botões laterais do Moto G60 (Foto: Aline Batista)

Moto G60: preço e custo-benefício

O Moto G60 chegou ao Brasil em abril de 2021 pelo preço de R$ 2.699, mas já está mais barato. Em setembro (data de atualização deste review), o modelo já pode ser encontrado com preços na faixa de R$ 1.800. Até alguns anos, estávamos acostumados com celulares intermediários mais baratos. A linha Moto G, inclusive, ficou bastante popular no Brasil por conta dessa característica. No entanto, por conta da alta do dólar, essa não é mais a realidade e muitos modelos intermediários passam facilmente de R$ 2.000.

Em relação ao Moto G60, apesar do valor mais alto, o smartphone apresenta bom custo-benefício. Considerando sua ficha técnica, que inclui bateria de 6.000 mAh, câmera de 108 MP e tela com taxa de atualização de 120 Hz, o celular Motorola tem preço justo.

A fabricante conseguiu colocar alguns recursos mais premium, sem elevar muito o preço, mantendo o aparelho em um meio termo entre o Moto G100 e o Moto G30. Além disso, o valor faz sentido se avaliarmos a linha Moto G e os modelos da décima geração. Alguns meses após o lançamento, as promoções estão bem mais atraentes e a compra compensa.

Parte traseira do Moto G60 apoiado em uma mesa de madeira
Moto G60 tem bom custo-benefício, mas preço deve diminuir em breve (Foto: Aline Batista)

Acessórios disponíveis para o Moto G60

Como já citamos, o Moto G60 vem com alguns acessórios na caixa, mas um item que é indispensável para a proteção do celular e, provavelmente, você terá que comprar é uma película para a tela. Além disso, se preferir, pode optar por uma capinha personalizada, colorida ou com desenhos, em vez do modelo transparente que acompanha o telefone.

Apesar de o Moto G60 vir com fone de ouvido com fio, um modelo Bluetooth pode ser mais interessante para quem procura mais mobilidade e praticidade. Algumas opções de fone sem fio com preço baixo são o Redmi AirDots 2, que nós testamos e recomendamos, o Edifier TWS1, o JBL Endurance Sprint, e o JBL Tune 500BT, que tem bons graves.

Aproveite para conferir o review do Redmi AirDots 2 e os nossos testes com o JBL Tune 500BT. Vale dar uma olhada também as nossas listas com os melhores fones sem fio de 2021 e os melhores headphones Bluetooth.

Produtos similares ao Moto G60

O Moto G60 tem bom custo-benefício, se considerarmos as funções que o aparelho entrega. No entanto, se você quiser conhecer outras opções de intermediários no mesmo nível, vale dar uma olhada nos novos Galaxy A52 e Galaxy A72. Os smartphones Samsung também foram lançados em abril, têm boa ficha técnica e prometem fotos de alta qualidade. Para quem quer bateria de longa duração, o Galaxy M62 oferece capacidade de 7.000 mAh, sendo uma opção de compra.

Já a Xiaomi tem outros celulares que também tem uma proposta de intermediário premium. Por isso, nossa dica é dar uma olhada na ficha técnica do Poco X3 NFC. Vale conhecer também o Redmi Note 10 Pro, com 8 GB de memória RAM e câmera quádrupla.

Além disso, vale dar uma olhada também nos outros produtos da linha Moto G de décima geração. A Motorola trouxe para o Brasil os Moto G10, Moto G20, Moto G30 e Moto G50, que são alternativas mais baratas ao Moto G60.

Para quem quer mais desempenho, a dica é conferir o nosso review do Moto G100, que se destacou por oferecer um conjunto premium e o novo recurso Ready For. O preço, contudo, é mais alto. Se você gosta dos celulares da Motorola, aproveite para conhecer os melhores modelos da marca e os mais baratos para comprar em 2021.

Confira o comparativo entre o Moto G60 e o Moto G100 e descubra qual Motorola é melhor para você:

Aproveite para comparar também o Moto G60 e o Galaxy M51, intermediário da Samsung:

Conclusão

Imagem mostra infográfico com nota e dias de teste

Em uma escala de 5 a 10 (onde 5 representa aparelhos medíocres, em que não vale a pena investir, e 10 significa um smartphone incrível, sem pontos negativos), a nossa nota final para o Moto G60 é 9. Nessa gradação, estão ótimos modelos, que têm poucos problemas. Dependendo das características que você procura em um smartphone e do quanto está disposto a pagar, consideramos que vale a pena investir no produto.

O celular Motorola oferece um bom conjunto de especificações, com diversos recursos premium, como a tela com taxa de atualização de 120 Hz e a câmera tripla de 108 MP, com tecnologia Ultra Pixel. Outro ponto positivo é a bateria de 6.000 mAh, que tem longa duração. Se você procura um smartphone com variedade de tecnologias e bom hardware, mas não quer gastar tanto em um top de linha, o Moto G60 é uma boa opção.

Quer economizar na compra do Moto G60? Crie um alerta de preço que nós te avisamos quando ele estiver mais barato!

Aproveite e confira outros reviews de celulares que testamos: