Parte traseira do Poco M3 azul em um fundo cinza com selo Testamos

Poco M3: intermediário barato da Xiaomi tem bateria poderosa

Testamos o Poco M3, celular da Xiaomi que chama atenção pela tela e bateria, mas deixa a desejar nas câmeras

Aline BatistaRedatora

Publicado e atualizado 15 min. de leitura.

Compartilhe:

O Poco M3 é um celular intermediário da Xiaomi que se destaca pela bateria poderosa. Com 6.000 mAh, o modelo aguenta, em média, até três dias de uso moderado. Além disso, traz características que não são comuns em celulares mais simples, como a tela Full HD+ e o áudio estéreo.

Com preço na faixa de R$ 1.100 no e-commerce, o aparelho é uma opção para quem busca um smartphone simples para o dia a dia. Mas será que o Xiaomi Poco M3 vale a pena? Para te ajudar a decidir, nós testamos o celular e contamos nossas impressões no review a seguir. Nesta análise, levamos em consideração design, tela, câmera, desempenho, bateria e custo-benefício. Se quiser entender nossos critérios e notas para a avaliação de produtos, veja como avaliamos celulares.

Aqui, vale deixar claro que estamos falando de um celular intermediário de entrada. Ou seja, ele é voltado para pessoas que fazem um uso mais básico e não exigem muito do smartphone. É importante fazer essa diferenciação antes de começar, porque o modelo será avaliado dentro desta categoria. Nesse caso, não podemos esperar o mesmo desempenho de aparelhos premium.

Parte frontal do Poco M3 com a tela acesa
Poco M3 é um smartphone intermediário da Xiaomi com bateria de 6.000 mAh (Foto: Mosaico)

Vale ressaltar também que a Xiaomi ainda tem o Poco M3 Pro 5G, versão lançada recentemente no Brasil e que conta com internet 5G. No entanto, neste review, vamos falar apenas do modelo mais simples, o Poco M3.

Poco M3: preço e melhores ofertas

Abaixo, confira as melhores ofertas para o Poco M3. O smartphone está disponível em versões com 64 GB e 128 GB de armazenamento.

Prós e contras

Lista de prós e contras do Poco M3

Prós

O principal destaque do Xiaomi Poco M3 é sua bateria de longa duração. O smartphone vem com 6.000 mAh e aguentou até três dias de uso em nossos testes. Outro ponto positivo é a tela grande, de 6,53 polegadas, com resolução Full HD+, que é incomum nessa faixa de preço. Com ele, você consegue assistir a filmes e vídeos com boa qualidade.

Além disso, o celular tem áudio estéreo, característica que também não é comum entre os smartphones mais simples. O aparelho tem boa qualidade de áudio e volume alto, sendo uma ótima opção para ouvir músicas.

Por fim, ressaltamos também o bom desempenho do Poco M3. Vale lembrar que se trata de um modelo mais simples, por isso, não dá para esperar uma alta performance. Nesse caso, estamos falando de um smartphone que executa muito bem as tarefas mais simples do dia a dia, como acesso as redes sociais e alguns jogos mais leves.

Contras

As câmeras não costumam ser o ponto forte de celulares mais baratos e isso acontece com o Poco M3. O smartphone tem um conjunto triplo na traseira, com sensor principal de 48 MP. Em condições adequadas de iluminação, ele produz boas fotos. No entanto, à noite, tanto a câmera traseira como a frontal têm dificuldades para equilibrar cores e contrastes. Além disso, o modelo não tem lente ultra-wide, que faz falta para tirar fotos com ângulos mais abertos.

Outro ponto negativo do Xiaomi M3 é o carregamento lento. Por conta da bateria com alta capacidade, é até normal que ele leve mais tempo para carregar. Contudo, mesmo com carregamento rápido, são quase três horas para atingir os 100% de carga.

O que vem na caixa

Assim como outros aparelhos da Xiaomi, o Poco M3 é bem completo em relação aos acessórios. O smartphone vem com carregador e ainda traz capinha de silicone e película já aplicada na tela. O único item que fica faltando é o fone de ouvido, que não costuma vir nos aparelhos da marca para reduzir os custos.

A caixa do Poco M3 traz:

  • Cabo USB-C
  • Adaptador de tomada
  • Capinha de silicone
  • Película já aplicada na tela
  • Chave para abrir a gaveta do chip
  • Manual do usuário
Poco M3 em um fundo cinza ao lado carregador, capinha e chave para gaveta do chip
Acessórios que acompanham o Poco M3 (Foto: Mosaico)

Ficha técnica

Tabela com a ficha técnica do Poco M3

Design

O Poco M3 tem traseira de plástico, com uma leve textura. Esse não é daqueles celulares intermediários de plástico que tentam imitar outros materiais, como vidro ou metal. Logo de cara, você já percebe que o acabamento do Poco M3 é em plástico, mas isso não chega a ser nenhum demérito. Até porque, vale lembrar, estamos falando de um celular com características mais simples e preço mais baixo.

A parte boa é que esse design deixa o aparelho mais resistente a arranhões e marcas de mão, por exemplo. Outro ponto positivo é que o Poco M3 também fica mais leve, com 198 gramas. Normalmente, os celulares com baterias grandes acabam passando das 200 gramas.

Ainda na traseira está o módulo de câmeras, que tem um design diferenciado. Ele se estende pela parte superior do smartphone em um retângulo preto, onde também está escrito a marca "Poco". Para esse detalhe, a fabricante optou por um acabamento em vidro.

Parte traseira do Poco M3 na cor azul em um fundo cinza
Poco M3 tem traseira de plástico texturizada (Foto: Mosaico)

A tela ocupa quase toda a parte frontal do Poco M3, com um pequeno notch em formato de gota para a câmera de selfies. Na lateral direita, ficam os botões de volume e o botão power, que também funciona como leitor de impressões digitais. Já na lateral esquerda está a entrada para os dois chips e para cartão de memória. Um ponto positivo é que a gaveta não é híbrida. Ou seja, você pode usar os dois chips e o microSD de até 512 GB simultaneamente.

A porta USB-C, o microfone e um dos alto-falantes estão na parte interior do celular. Já a entrada para fone de ouvido fica na parte superior, junto com um sensor infravermelho e outro alto-falante, garantindo um som estéreo para o Xiaomi Poco M3.

Assim como os outros aparelhos da linha Poco, o Xiaomi M3 não tem um visual discreto. Além de ser um celular grande, suas cores chamam atenção, bem como o módulo de câmeras e a inscrição "Poco" na traseira. Aqui, é uma questão pessoal. Há quem goste desse design diferenciado, mas há quem prefira um smartphone com acabamento mais sóbrio.

Apesar do tamanho grande, a pegada é confortável. O Poco M3 tem dimensões de 16,23 cm de altura x 7,73 cm de largura e 0,96 cm de espessura. Um ponto positivo é que o modelo acompanha capinha de silicone, que ajuda a preservar o aparelho, e já vem com película de tela aplicada. Em relação às cores, no Brasil, ele está disponível em preto, azul e amarelo.

Parte inferior do Poco M3 mostrando a entrada USB-C
Parte inferior do Poco M3 tem microfone, entrada USB-C e um dos alto-falantes (Foto: Mosaico)

Tela

O celular Poco M3 tem tela grande, de 6,53 polegadas e painel IPS LCD, que é comum em aparelhos mais baratos. Embora esse tipo de painel apresente cores menos vivas do que o AMOLED, ele é satisfatório para o uso no dia a dia.

Um diferencial do Poco M3 em relação à maioria dos intermediários na mesma faixa de preço é a tela Full HD+. Nessa categoria, é muito comum ver aparelhos com resolução apenas HD+. Então, o modelo da Xiaomi sai na frente, com 2340 x 1080 pixels. A experiência de navegar na internet, assistir a filmes ou jogar é bastante agradável, com imagens nítidas e bem definidas.

Além disso, outra característica positiva do Xiaomi M3 é o Gorilla Glass 3. A proteção ajuda a evitar arranhões e outras marcas de uso no display. A taxa de atualização da tela é de 60 Hz, valor padrão e já esperado nessa faixa de preço.

Em relação ao display, um ponto negativo é o brilho, que é um pouco baixo. Se você estiver em um lugar aberto ou muito iluminado, provavelmente, terá que deixar o brilho no máximo para enxergar bem.

Poco M3 de frente com a tela acesa em um fundo com parece de tijolos
Poco M3 tem tela grande com resolução Full HD+ (Foto: Mosaico)

Câmera

Antes de falarmos sobre a câmera do Xiaomi Poco M3, vale lembrar que se trata de um celular intermediário básico, em uma faixa de preço mais barata. Portanto, não podemos esperar resultados espetaculares. Nesse sentido, já vamos adiantar que o Poco M3 faz o básico.

O smartphone tem um conjunto traseiro triplo, com sensor principal de 48 MP. Além disso, ele conta com uma lente macro com sensor de 2 MP, que serve para tirar fotos de objetos bem próximos, e um sensor de profundidade de 2 MP, usado para o recorte no modo retrato.

Foto de árvores feita com o Poco M3
Foto tirada durante o dia com o Poco M3 (Foto: Aline Batista)

Durante o dia, o celular Poco M3 faz bem o que se propõe. As fotos com a câmera principal têm boa qualidade, com nível de detalhes satisfatório e poucos ruídos. Para um intermediário mais básico, ele é muito bom.

Foto de uma planta feita com o Poco M3
Foto tirada durante o dia com o Poco M3 (Foto: Aline Batista)

Falando das outras câmeras, o resultado já não é tão agradável. A câmera macro tem resolução baixa e apresenta dificuldade para focar. Dependendo do objeto e das condições de iluminação, a foto fica com ruídos e má qualidade. Já o sensor de profundidade ajuda a fazer um recorte mais preciso nas fotos com modo retrato, que têm o fundo desfocado. Entretanto, nem sempre é eficiente.

Foto de uma folha tirada pelo Poco M3
Foto tirada durante com a câmera macro do Poco M3 (Foto: Aline Batista)

Aliás, seria bem mais útil ter uma lente ultra-wide, para tirar fotos com ângulos mais abertos, no lugar da câmera macro. A câmera ficaria bem mais versátil e, possivelmente, seria melhor aproveitada.

Em fotos à noite, o Poco M3 não apresenta os melhores resultados, mas seu modo noturno pode satisfazer os usuários menos exigentes. Sem o recurso, as imagens saem muito escuras e com alto nível de ruídos. Com a ferramenta, as fotos melhoram bastante e ficam mais iluminadas. Além disso, as sombras e contrastes ficam mais equilibrados.

Foto de uma rua tirada à noite com o Poco M3
Foto tirada à noite com o Poco M3 (Foto: Aline Batista)
Foto de uma rua tirada com o modo noturno do Poco M3
Foto tirada à noite com o modo noturno do Poco M3 (Foto: Aline Batista)

Um ponto positivo da câmera do Xiaomi M3 é que ele oferece variedade de recursos. Além do modo noturno, o aparelho tem HDR, inteligência artificial, modo pro, embelezador, filtros e função para fotografar documentos, entre outras.

Em relação à câmera de selfie, o Poco M3 tem sensor de 8 MP. Aqui, a situação é semelhante à da câmera principal. Durante o dia, você consegue fotos satisfatórias, com cores e contraste adequados, apesar do baixo nível de detalhes. À noite, porém, a qualidade cai muito. Além de as selfies ficarem menos nítidas, o celular tem dificuldade para equilibrar as cores. Na foto abaixo, por exemplo, a pessoa fotografada ficou muito branca e sem linhas de expressão.

Duas selfies de uma mulher feitas com o Poco M3
Selfies tiradas durante o dia e à noite com o Poco M3 (Foto: Aline Batista)

Além disso, o Xiaomi Poco M3 grava vídeos em Full HD a 30 fps. A qualidade é boa, mas as gravações não ficam muito estáveis. De qualquer forma, o resultado está dentro do esperado para a faixa de preço.

Desempenho

O Poco M3 vem com processador Snapdragon 662, um modelo intermediário da Qualcomm que tem oito núcleos e velocidade máxima de 2 GHz. O smartphone tem apenas 4 GB de memória RAM. Quem entende um pouco mais de como funcionam os celulares sabe que essa quantidade é relativamente baixa para os padrões atuais.

Os 4 GB de RAM trabalhando com um processador intermediário são suficientes para rodar aplicativos leves e executar tarefas do dia a dia com eficiência. Dá para acessar redes sociais, navegar na internet ou usar apps de streaming, por exemplo. O aparelho roda até alguns jogos mais leves com facilidade. No entanto, ele não dá conta de games mais pesados e pode ter dificuldade para lidar com multitarefas.

Em nossos testes, o Poco M3 não apresentou travamentos, mas ficou um pouco mais lento ao executar tarefas mais pesadas, como o jogo Asphalt 9 e diversos apps abertos ao mesmo tempo.

Parte lateral do Poco M3 com botão de leitor digitais (Foto: Mosaico)
Detalhe dos botões e do leitor de impressões digitais do Poco M3 (Foto: Mosaico)

Aqui, mais uma vez, vale lembrar que estamos falando de um aparelho mais barato. Não dá para esperar desempenho de um top de linha no Poco M3. Então, isso não chega a ser uma desvantagem do aparelho. Tudo vai depender do seu tipo de uso. De qualquer forma, vale ficar atento, principalmente, se você estiver pensando a longo prazo. Um aparelho com essas características é mais recomendado para quem faz um uso mais simples.

Em relação ao armazenamento, o celular Poco M3 está disponível em duas versões: 64 GB ou 128 GB. O modelo com maior capacidade se torna a melhor opção, porque oferece mais espaço para guardar apps e arquivos. Entretanto, ambos aceitam cartão de memória de até 512 GB. Antes de decidir, vale comprar os preços. Se a diferença for pequena, recomendamos investir na variante de 128 GB.

Outro ponto positivo do Xiaomi M3 é o sistema de áudio estéreo, algo incomum entre os aparelhos dessa faixa de preço. Ao contrário de alguns smartphones que utilizam o alto-falantes de chamadas como segundo canal, o smartphone traz de fato dois alto-falantes: um na parte superior e outro na parte inferior. O som é claro e tem volume satisfatório.

O Poco M3 roda Android 10, versão que já está um pouco defasada, visto que o Android 12 deve ser liberado ainda este ano. A Xiaomi poderia ao menos atualizar o sistema para o Android 11. Em relação à interface, assim como os outros modelos da marca, ele roda a MIUI 12, que traz visual personalizado e oferece alguns recursos e apps extras.

Traseira do Poco M3 na cor azul em fundo cinza
Poco M3 tem ficha técnica intermediária mais básica, para uso de apps do dia a dia (Foto: Mosaico)

Bateria

Chegamos ao grande destaque do Poco M3. O smartphone tem uma bateria de 6.000 mAh, capacidade que está acima da média para os intermediários na mesma faixa de preço. Considerando o conjunto de hardware mais fraco, que tende a consumir menos energia, o celular deve apresentar uma ótima autonomia.

A Xiaomi promete até cinco dias com configuração de baixa luz e até dois dias de uso normal. Em nossos testes, o Poco M3 foi bem próximo disso. O smartphone aguentou cerca de três dias de uso de uso moderado, alternando acesso a redes sociais e navegação na internet com momentos de inatividade. Ele ainda chegou à manhã do quarto dia com cerca de 10% de carga.

Obviamente, esse tempo vai ser diferente conforme o seu tipo de uso. De qualquer forma, o aparelho deve oferecer ótima autonomia, mesmo para quem faz um uso mais intenso. Para que você tenha uma noção do consumo, uma hora de reprodução de vídeos na Netflix, com o brilho no máximo, consome cerca de 12% de bateria.

Em relação ao tempo de carregamento, o Xiaomi Poco M3 tem carregamento rápido de 18 W. Porém, como a capacidade da bateria é alta, ele acaba não sendo tão eficiente e o carregamento é lento. A Xiaomi promete carregamento completo em menos de duas horas. Entretanto, utilizando o carregador que acompanha o aparelho, levamos cerca de 2h e 40 min para atingir os 100%.

Detalhe da lateral do Poco M3 azul (Foto: Mosaico)
Detalhe da lateral do Poco M3 (Foto: Mosaico)

Poco M3: preço e custo-benefício

De forma geral, o Poco M3 é um bom celular intermediário entre os modelos mais simples. Um dos destaques do smartphone é sua bateria de 6.000 mAh, que oferece longa duração. Além disso, ele tem uma tela grande, com resolução Full HD+, que garante boa qualidade. Considerando a categoria de celulares mais baratos, o aparelho também tem um bom desempenho para tarefas do dia a dia. Seus principais pontos negativos são o conjunto de câmeras, que não é tão eficiente à noite, e o carregamento demorado. Mas e o preço?

Na loja da Xiaomi, o Poco M3 está à venda apenas na versão de 128 GB pelo preço de R$ 2.199,99. Levando em consideração a ficha técnica do smartphone, esse valor é bem alto. Além disso, nessa faixa de R$ 2.000, você pode encontrar intermediários superiores ao M3.

Por outro lado, como acontece com a maioria dos celulares, é possível encontrar o Xiaomi M3 mais barato em lojas do varejo. Aqui no site, por exemplo, a versão de 64 GB sai por cerca de R$ 1.090, enquanto o modelo de 128 GB custa aproximadamente R$ 1.160 (preços coletados em 13/09/2021, data de publicação do review). Esses valores são bem mais amigáveis e condizem com as especificações do aparelho.

Você deve estar se perguntando se o Xiaomi Poco M3 é bom e vale a pena. Aqui, é uma questão de entender as suas necessidades e ver o quanto você está disposto a pagar em um smartphone. Se formos considerar os intermediários em uma faixa de preço de até R$ 1.200, ele é um bom celular e está compatível com os modelos do mercado. Vale ficar atento apenas à câmera. Se esse for um componente muito essencial para você, pode ser melhor procurar outras opções.

Acessórios compatíveis

O principal acessório que você vai ter que comprar para o Xiaomi M3 é um fone de ouvido, caso ainda não tenha um. Assim como outros modelos da marca, o smartphone não traz esse item. Uma vantagem é que ele mantém a entrada P2, permitindo usar fones tradicionais com fio. Nesse caso, uma opção para quem não quer gastar muito é o JBL Tune 110. O modelo tem boa qualidade de som e se destaca pelo custo-benefício.

Para quem prefere headphones, a JBL também tem outra opção barata: o Tune 500BT. O modelo se destaca pela Pure Bass, que deixa os graves mais potentes, e tem bateria para até 16 horas de reprodução. Aproveite para conferir o review do JBL Tune 110 e os nossos testes com o JBL Tune 500BT.

Se você busca um fone de ouvido totalmente sem fio, Redmi AirDots 2 é um bom modelo com preços acessível. O dispositivo da própria Xiaomi tem design confortável e drivers de 7,2 mm. Confira outros detalhes do acessório no review do Redmi AirDots 2. Para quem quiser conhecer outras opções, nós recomendamos ver também a lista de melhores fones de ouvido Bluetooth deste ano.

De resto, o smartphone da Xiaomi é bem completo e traz até case e película para a tela. Ainda assim, você também pode encontrar capinhas personalizadas para o Poco M3 e deixar o smartphone com a sua cara.

Produtos similares

Como falamos acima, o Poco M3 se encaixa na categoria de intermediários mais básicos, voltados para tarefas simples do dia a dia. Considerando isso, ele é um bom celular. No entanto, se você quiser conhecer outras opções, vale dar uma olhada no Moto G30 e no Galaxy A22. Os aparelhos têm especificações parecidas e estão na mesma faixa de preço, mas devem garantir fotos melhores.

Para quem busca desempenho mais veloz e está disposto a gastar um pouco a mais por isso, a linha Poco também tem ótimas opções. O Poco X3 é famoso por ser um smartphone gamer com bom custo-benefício. Ele tem processador otimizado para jogos, 6 GB de memória RAM e tela com taxa de atualização de 120 Hz. Confira outros detalhes no review do Poco X3 NFC.

O Galaxy A72 e o Moto G60 também são ótimas opções de intermediários. O aparelho da Samsung tem câmera traseira quádrupla de 64 MP com estabilização óptica, câmera frontal de 32 MP, áudio estéreo e resistência à água. Já o aparelho da Motorola oferece câmera tripla de 108 MP, tela com taxa de atualização de 120 Hz e bateria de 6.000 mAh. Confira todas as especificações no review do Moto G60.

Se você quiser outros smartphones, mas não está disposto a gastar muito, vale conferir a lista de melhores intermediários. Já para quem procura as principais opções do mercado, a dica é conhecer os melhores smartphones de 2021.

Conclusão

Arte com a nota 8 do Poco M3

Em uma escala de 5 a 10 (onde 5 representa aparelhos medíocres, em que não vale a pena investir, e 10 significa um ótimo celular, sem pontos negativos), nossa nota para o Poco M3 é 8. Nessa gradação, encontram-se modelos muito bons, com mais pontos positivos do que negativos. Dependendo das características que você procura em um smartphone e do quanto está disposto a pagar, o produto pode valer a pena.

De forma geral, o Xiaomi Poco M3 é um bom smartphone intermediário. O modelo tem bateria com ótima duração, tela de alta qualidade e bom desempenho. Além disso, conta com áudio estéreo, que não é comum nessa faixa de preço. Seu principal ponto negativo é o conjunto de câmeras, que não é tão eficiente à noite.

O preço da loja da Xiaomi ainda é alto, mas no e-commerce já é possível encontrá-lo com valores bem mais amigáveis. Antes de comprar, recomendamos avaliar quais características são essenciais em um smartphone para você e quanto você está disposto a pagar pelo aparelho.

Aproveite para conferir outros reviews de produtos da Xiaomi que nós testamos: