Dragon Age: de Origins a Inquisition, entenda o RPG da Bioware

Dragon Age tem uma mitologia complexa e as decisões do jogador impactam os acontecimento do mundo! Saiba mais sobre a série

Guilherme ToscanoEditor

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Compartilhe:

Dragon Age é um jogo de RPG da Bioware que já teve três edições lançadas, a última sendo Dragon Age: Inquisition, e cada game da série expande a mitologia e a historia do universo onde ela se passa. Desde sua chegada, em 2009, com o mundo de batalhas épicas contra a darkspawn e da tensão entre magos e templários, Dragon Age angariou fãs por todo o planeta, que aguardam ansiosamente o quarto episódio da franquia.

Neste artigo, você vai conhecer melhor cada um dos jogos da série Dragon Age. No entanto, antes de mergulhar nesse mundo de fantasia, que tal dar uma olhada em alguma das listas abaixo com produtos gamer que podem melhorar sua experiência de jogar?

O mundo e a mitologia de Dragon Age

Um dos maiores atrativos dessa série é a complexidade do universo onde ela se passa. É um mundo com elfos, dragões, anões, nobres e magos, como o famosíssimo O Senhor dos Anéis, de JRR Tolkien. E, assim como o clássico da literatura, Dragon Age é um jogo cuidadoso e detalhista em relação à história dos seus povos e da sua religião.

Nesse universo, cada país tem suas diferenças crenças e costumes. A maioria deles tem como religião dominante o culto a Andraste, uma profetisa e guerreira que é considerada a esposa do Criador, o deus que fez o mundo. Dela veio a voz que narrou as frases do "Chant of Light", o livro sagrado dessa fé. Alguns outros povos têm crenças diferentes, como os elfos nômades das florestas que adoram seus antigos deuses, que formam um panteão bem diversificado.

Como o nome deixa claro, Dragon Age também tem... dragões (Fonte: Divulgação / Bioware)
Como o nome deixa claro, Dragon Age também tem... dragões (Fonte: Divulgação / Bioware)

Todos sabem da existência do "Fade", o lugar onde os espíritos e os demônios moram. No centro desse lugar, há uma cidade sombria que costumava ser onde ficava o trono do Criador. Uma lenda antiga diz que magos de um país chamado Tevinter quiseram se aproximar da divindade e invadiram o local. O pecado dentro deles transformou as paredes douradas em paredes pretas, e assim nasceram os primeiros "darkspawn", monstros perversos que atacam os reinos de homens, anões e elfos.

Os magos no universo de Dragon Age têm uma relação muito próxima com o Fade, e muitas vezes podem ter relações com os espíritos que lá vivem. Esse tipo de prática, no entanto, é muito perigosa: se um mago se entregar a um demônio, ele se torna uma abominação, um monstro com forma física que pode ferir muita gente com seu grande poder. Por isso, na maioria dos países do mundo, os magos são oprimidos e controlados, obrigados a morarem em Círculos de Magi constantemente vigiados pelos templários, cavaleiros cuja especialidade é combater pessoas que usam magia.

Em linhas gerais, esses são os pontos principais para ter em mente antes de mergulhar no universo de Thedas, o único continente conhecido do mundo (pelo menos até o jogo mais recente, Dragon Age: Inquisition). Agora, vamos aos jogos!

Dragon Age: Origins

Como o nome diz, esse jogo dá muito importância à origem do seu personagem. O jogador pode começar o jogo de seis maneiras diferentes:

  • Humano nobre
  • Elfo Dalish
  • Elfo da cidade
  • Anão camponês
  • Anão nobre
  • Mago

Você pode personalizar a aparência e escolher o sexo do personagem, assim como escolher a classe que quiser dentro das possibilidades de cada origem. A forma como o seu personagem será visto por outros no mundo é diretamente afetada por esse início. Por exemplo, as pessoas vão discriminar contra um elfo de cidade, considerado um cidadão de segunda classe, e a sociedade dos anões vai desprezar um camponês, mas vai valorizar e ter uma imagem positiva de um nobre. Isso gera uma boa possibilidade de jogar novamente o game para ter uma experiência diferente.

Dragon Age: Origins foi o primeiro jogo da franquia (Fonte: Divulgação / Bioware)
Dragon Age: Origins foi o primeiro jogo da franquia (Fonte: Divulgação / Bioware)

Logo no início do jogo, o protagonista será recrutado por uma organização chamada de "Grey Wardens", um grupo especializado em enfrentar os monstros que citamos antes, os darkspawns. Por acontecimentos de que não daremos detalhes para não dar spoiler, você ganha a missão de reunir aliados das variadas raças para lutarem juntos contra a ameaça. Na aventura, suas decisões fazem toda a diferença para a vida dos seus companheiros e a situação política de Thedas. Essas decisões podem ser carregadas para o segundo jogo da franquia.

A jogabilidade é bem no estilo RPG: você pode personalizar seu equipamento, tem uma tela de evolução onde vai atribuindo pontos a habilidades diferentes à medida que seu personagem for subindo de nível e a batalha acontece de forma mais tática, já que o jogador pode posicionar os seus aventureiros como achar melhor e pausar para tomar a melhor decisão em relação ao que cada um deve fazer. Uma boa estratégia pode ser a diferença entre a vida e a morte, então não subestime seu valor!

Dragon Age 2

Esse jogo foi recebido de forma mista pelos fãs do primeiro pela grande diferença na jogabilidade. Em Dragon Age: Origins, o jogador decide para onde vai, em que ordem realiza as missões e as batalhas, como já foi citado, eram mais estratégicas e com mais cara de RPG. Em Dragon Age 2, a Bioware quis aumentar o apelo da franquia para os amantes de ação.

O combate se tornou um meio termo entre a estratégia de antes e uma ação corpo a corpo. A história do jogo é contada em capítulos e, embora as suas decisões ainda pesem sobre os acontecimentos, no geral ele dá a impressão de que as consequências ou são menores ou não são muito diferentes do que aconteceria se vocÊ decidisse outro caminho a seguir. A única exceção, talvez, seja o desfecho final dos seus companheiros de viagem.

O campeão de Kirkwall é o protagonista de Dragon Age II (Fonte: Divulgação / Bioware)
O campeão de Kirkwall é o protagonista de Dragon Age II (Fonte: Divulgação / Bioware)

Em Dragon Age 2, você é Hawke, protagonista da história contada por um anão chamado Varric a uma inquisidora, a Cassandra. Aparentemente, algo muito relevante para as organizações religiosas de Thedas aconteceu na cidade de Kirkwall, e Varric vai explicando os fatos como eles ocorreram. Assim como em Dragon Age: Origins, o jogador pode escolher entre ser homem ou mulher e entre as classes mago, ladino ou guerreiro.

Hawke é um refugiado da cidade de Lothering, que foi atacada e destruída pelos darkspawn no primeiro jogo. Por causa da ameaça no país de Ferelden, onde se passa a história de Dragon Age: Origins, sua família foge para Kirkwall, cidade-natal da mãe do protagonista. Lá, no decorrer de uma década, Hawke se envolve na política e nos conflitos da cidade até adquirir o título de Campeão de Kirkwall e se tornar uma das pessoas mais importantes e famosas do mundo. Suas ações causam um rebuliço terrível em todo o continente, e uma guerra generalizada é iniciada por causa dos eventos de Dragon Age II. Dizer mais seria dar spoiler.

Dragon Age: Inquisition

O mundo está em completo caos depois dos eventos de Dragon Age II. E, para piorar, uma explosão em um encontro de paz cria uma fissura no céu de onde literalmente saem demônios para aterrorizar a população. No meio disso, está seu personagem, a única pessoa a sobreviver à explosão. Além de sair com vida, ela tem uma marca na mão que, aparentemente, permite que ela feche as rachaduras entre o mundo real e o Fade.

Esse é o início de Dragon Age: Inquisition, jogo mais recente da série e que desenvolve e aumenta a mitologia da franquia muito além do seu predecessor. Nesse jogo, as suas decisões definem o destino de povos de todo o continente de Thedas e você se torna líder de uma de suas organizações mais poderosas, a Inquisição.

Os eventos de Dragon Age: Inquisition nos dão respostas sobre dogmas importantes das religiões do jogo, como acontecimentos entre os deuses dos elfos e a invasão da Black City pelos magos de Tevinter. Alguns personagens relevantes dos jogos anteriores também fazem aparições.

Em Dragon Age: Inquisition, o protagonista se torna líder de uma poderosa organização (Fonte: Divulgação / Bioware)
Em Dragon Age: Inquisition, o protagonista se torna líder de uma poderosa organização (Fonte: Divulgação / Bioware)

O combate voltou a ser mais estratégico, como no primeiro jogo, mas você ainda tem a opção de configurar parâmetros de comportamento para seus companheiros e lutar de uma forma mais próxima a um jogo de ação, sem pausar para definir seu próximo passo. Um compromisso da Bioware para tentar agradar os dois públicos.

Assim como em Dragon Age: Origins e em Dragon Age II, você pode escolher se seu personagem será homem ou mulher, mago, ladino ou guerreiro. Só que, enquanto o segundo jogo da franquia só permitia que o protagonista fosse humano, aqui você pode voltar às origens (com o perdão do trocadilho) e escolher raças diferentes. Além dos tradicionais elfos e anões, há a possibilidade de jogar como um Qunari, um povo com uma filosofia de vida bem diferente dos demais.

Dragon Age: Inquisition tem uma diferença essencial para Dragon Age II: como o segundo jogo da série foi lançado para a mesma geração de consoles do primeiro, era possível carregar o save e ter todas as decisões que você tomou no primeiro jogo automaticamente incluídas para o início do segundo. Isso não é possível no terceiro episódio da franquia. Você deve entrar em um site que a Bioware fez exatamente para isso, logar com sua conta EA e selecionar quais escolhas foram feitas nos primeiros jogos para que elas sejam carregadas em Inquisition. O site é é o Dragon Age Keep.

Dragon Age 4

Se você curtiu o que leu até aqui, já vamos começar te tranquilizando: Dragon Age 4 está confirmado pela Bioware. Só não sabemos quando, além de não termos muitas informações sobre o jogo. Por exemplo, o site Eurogamer achou no livro "BioWare: Stories and Secrets from 25 Years of Game Development" ("Bioware: Histórias e Segredos de 25 Anos de Desenvolvimento de Games, em português") referências ao fato de que a maior parte da história do quarto episódio da série deve se passar em Tevinter, um país muito referenciado, mas nunca antes visitado nos jogos.

O próprio site cita que outros lugares devem figurar no jogo depois de avaliar as artes conceituais do novo Dragon Age. Eles continuam citando localidades também inéditas como a Cidade de Antiva, os países Nevarra e Rivain e alguns túneis dos reinos dos anões.

Além disso, a própria Bioware já lançou vídeos de teaser do jogo, como o que está ali em cima. Não temos muito mais informações. Agora, é aguardar ansiosamente pelo novo capítulo dessa série épica!

Com informações de: Eurogamer.