Review Galaxy Buds+: vale a pena comprar os fones da Samsung?

Nova geração dos Galaxy Buds traz ajustes em qualidade sonora, além de upgrade em microfones e na bateria.

Ana MarquesEditor(a)

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Os Galaxy Buds+ são a evolução dos Galaxy Buds, fones de ouvido true wireless (totalmente sem fios) da Samsung. Lançados em fevereiro de 2020, pelo preço sugerido de R$ 999, os Buds+ chegam com poucas diferenças em design, mas prometem ganhos em qualidade sonora e também no uso do microfone para gravação de voz e chamadas telefônicas, além de maior autonomia de bateria.

Mas será que vale a pena investir cerca de R$ 900 (preço atual no varejo) nos rivais dos AirPods? Para te ajudar a responder essa pergunta, testei os Galaxy Buds+ no meu dia a dia. Todas as impressões você confere no review completo, a seguir.

Leia também: Galaxy Buds vs Galaxy Buds+: o que muda nos fones de ouvido da Samsung?

Galaxy Buds+ na cor azul. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Galaxy Buds+ na cor azul. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Resumo da avaliação

Prós:

  • Frequências bem equilibradas, com destaque para os graves melhorados
  • Dispositivo é leve e tem boa fixação
  • Bateria para aproximadamente 11 horas de reprodução
  • Microfone externo para ambientação
  • Ótima integração com dispositivos Galaxy

Contras:

  • Sem cancelamento ativo de ruído
  • Alta latência
  • Não se conecta a dois dispositivos ao mesmo tempo

Design e usabilidade

Galaxy Buds+ são confortáveis e elegantes

A Samsung não trouxe muitas modificações em visual em relação à edição anterior dos Galaxy Buds. E isso não é ruim – os fones são confortáveis, com peso na medida para proporcionar boa fixação no ouvido. Eles são resistentes a respingos d'água e a suor (IPX2), o que é uma boa notícia para quem pretende usá-los na academia, mas fica atrás dos AirPods Pro, que contam com certificação IPX4.

Galaxy Buds+ têm boa fixação e design elegante. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Galaxy Buds+ têm boa fixação e design elegante. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

A caixa acompanha mais dois tamanhos de ponteiras, um menor e outro maior do que os que já vêm nos fones. Também há outra opção de barbatana para que você encontre a que for mais adequada para a sua orelha, e uma borracha sem arestas, caso prefira não usar barbatanas.

Os Galaxy Buds+ estão disponíveis nas cores preto, branco e azul, sendo este último o modelo que recebemos para testes. A cor chamou bastante atenção em vídeos nas redes sociais – muita gente querendo saber que fone eu estava usando, elogiando o visual dos dispositivos.

Os fones proporcionam bastante praticidade para reproduzir, pausar, pular ou retroceder uma faixa – tudo pelo painel sensível ao toque, no lado esquerdo ou direito.

Ponteiras extras e barbatanas dos Galaxy Buds+. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Ponteiras extras e barbatanas dos Galaxy Buds+. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Você ainda pode configurar a função de toque prolongado para abrir o Spotify ou ativar um assistente de voz. Isso é feito por meio do app Galaxy Wearable, que está disponível na Google Play Store para celulares com Android. No iPhone (iOS), você deve buscar pelo app Galaxy Buds+.

Conectividade e qualidade sonora

Reforço em frequências mais baixas e microfone extra são pontos positivos

A Samsung prometeu reforço nos graves e eles realmente estão ali – não tão potentes como alguns líderes de mercado, mas definitivamente bons o suficiente para qualquer usuário que não é extremamente audiófilo. O alto-falante dinâmico é dual-driver, ou seja, traz um tweeter (para agudos mais nítidos) e woofer (para valorizar os graves) em cada fone. Você ainda pode utilizar o app Galaxy Wearable para equalizar as frequências encontrando a configuração que for melhor para cada situação.

Diferentemente da primeira geração dos Galaxy Buds, os Buds Plus contam com um microfone interno e dois externos. Eles trabalham em conjunto para reduzir ruídos do ambiente durante chamadas. Também há um modo para captar o som ambiente, o que permite conversar com alguém ou se manter focado no que acontece ao seu redor sem necessariamente retirar os fones do ouvido.

Galaxy Buds+ têm assinatura da AKG. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Galaxy Buds+ têm assinatura da AKG. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Os microfones dos Galaxy Buds+ se mostraram bem eficientes em gravações de voz mais despretensiosas, dessas feitas para redes sociais, deixando a voz em destaque e conseguindo filtrar bastante ruídos indesejados. Não há cancelamento ativo de ruído, como nos AirPods Pro e no Sony WF-1000XM3, da Sony, o que é uma pena. Mas a vedação natural dos fones funcionou bem pra mim.

Pensando no foco do produto, que é a reprodução de músicas, os Galaxy Buds+ se saem muito bem. Quem é mais exigente pode sentir falta de um pouco de brilho nas frequências mais altas, mas, no geral, o dispositivo entrega um som bastante equilibrado.

Otimizado para dispositivos Galaxy

Quem é #TeamGalaxy não vai ter muito do que reclamar: os fones se conectam muito bem a smartphones da Samsung, como é de se esperar. O pareamento com notebooks da marca também merece elogios, funciona de forma bem rápida e a conexão é estável.

Testei os Galaxy Buds com seis aparelhos, no total: um Galaxy S10 Plus com Android 10, um notebook Samsung da linha Expert, um notebook Dell, um celular Huawei nova 5T com Android 9 e um smartphone da Motorola (One Hyper) com Android 10. O que percebi é que apesar da facilidade de pareamento em todos os dispositivos, a conectividade flui melhor em produtos do ecossistema da Samsung.

Galaxy Buds+ podem ser carregados por um smartphone Galaxy com Wireless PowerShare. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Galaxy Buds+ podem ser carregados por um smartphone Galaxy com Wireless PowerShare. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Uma das principais dificuldades foi conseguir estabelecer uma boa conexão dos Galaxy Buds+ com o notebook da Dell rodando Windows 10. Usando apenas como saída de áudio, os fones funcionaram bem, mas definindo as configurações para headset, para usar também o microfone em videoconferências, a experiência não foi das melhores. Houve atraso na resposta do microfone, que persistiu mesmo após várias tentativas.

O mesmo não se repetiu com o notebook da Samsung, no qual consegui realizar videochamadas sem problemas com engasgos no áudio e no microfone.

Estojo de carregamento dos Galaxy Buds+ cabem na palma da mão. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Estojo de carregamento dos Galaxy Buds+ cabem na palma da mão. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Galaxy Buds+ em jogos

A alta latência dos Galaxy Buds+ pode prejudicar a experiência em jogos, mas ela foi mais baixa no Galaxy S10 Plus do que nos outros dispositivos que utilizei. Ao rodar Free Fire no celular da Samsung, o tempo de resposta foi razoável.

Já utilizando os fones no Huawei nova 5T, o atraso prejudicou de forma mais significativa a jogabilidade – é difícil saber se um oponente está por perto quando há um espaço de tempo relativamente grande entre o movimento e o som de passos ou tiros. O mesmo aconteceu com o Motorola One Hyper.

Bateria

Mais de 11 horas de reprodução com volume em 50%

O salto em autonomia de bateria dos Galaxy Buds+ é bem impressionante, se comparado aos primeiros Buds. A Samsung promete até 11 horas de reprodução contínua, o que, na prática, realmente acontece. Com o volume em 50%, consegui atingir a marca de 11 horas e 40 minutos. Já ouvindo músicas com os fones em 100% de volume (não façam isso, pois pode prejudicar a audição!), consegui pouco mais de 6 horas sem precisar retorná-los à base carregadora. O estojo fornece apenas uma carga adicional.

E por falar no estojo, os Galaxy Buds+ têm suporte a recarga sem fio por meio deles. Você pode utilizar qualquer carregador com padrão Qi ou compartilhar a bateria diretamente do seu smartphone Galaxy (modelos que têm o Wireless PowerShare). Caso opte pelo uso de fios, a case tem uma entrada USB-C e a caixa acompanha um cabo para carregamento. Você pode conectá-lo a um computador, power bank ou ao carregador do seu celular.

Galaxy Buds+ podem ser carregados via cabo USB-C. (Imagem: Ana Marques/Zoom)
Galaxy Buds+ podem ser carregados via cabo USB-C. (Imagem: Ana Marques/Zoom)

Custo-benefício

Afinal, vale a pena investir mais de R$ 800 nos Galaxy Buds+?

Os Galaxy Buds+ são ótimos para o que se propõem (ouvir música no dia a dia, na rua, em casa, na academia ou no escritório, sem incômodos de cabos e sem muitas preocupações com bateria). Se você já é cliente da Samsung e conta com boa parte do ecossistema da marca, como os celulares, notebooks e wearables, os Buds+ são uma excelente opção para completar o time. Se você não é um usuário Samsung, mas é dono de Android, os Buds+ também podem entregar o que você precisa.

Vale, porém, considerar o preço antes de fechar negócio. Na data de publicação deste review, os fones custavam entre R$ 900 e R$ 1 mil no varejo eletrônico, enquanto os Galaxy Buds de 2019 estavam saindo por aproximadamente R$ 700. Com essa diferença de preço, é importante pensar se maior autonomia de bateria e graves mais encorpados são uma necessidade para você.

Por fim, se busca um fone de ouvido para jogar pelo celular, os Buds+ podem não ser a melhor opção. Nesse caso, dê uma olhada na nossa lista de melhores fones de ouvido Bluetooth disponíveis no Brasil para encontrar o que melhor se encaixa com seu perfil.

Ficha técnica

Conheça as especificações dos Galaxy Buds+

  • Design: intra-auricular, true wireless
  • Bateria: fones: 84 mAh (~11 horas); 270 mAh (estojo), USB-C, carregamento sem fio (Qi)
  • Driver duplo: woofer + tweeter
  • Conectividade: Bluetooth 5.0
  • Microfone embutido
  • Sensível ao toque
  • Resistência à água e a suor (IPX2)

Compare preços

Encontre as melhores ofertas para os Galaxy Buds+ e Galaxy Buds no Zoom