Escritoras brasileiras: conheça 10 livros de grandes autoras da literatura nacional

Conheça os melhores livros de escritoras brasileiras e aproveite a leitura!

Escritoras brasileiras: conheça 10 livros de grandes autoras da literatura nacional
Luiza RamalhoEditor(a)

Publicado e atualizado 5 min. de leitura.

Os livros são capazes de transformar uma realidade, trazer à tona assuntos relevantes e pertinentes, gerar sentimentos ambíguos e proporcionar um momento relaxante e prazeroso, não é mesmo?

Hoje em dia muito se fala sobre escritoras brasileiras, e por isso separamos aqui os 10 melhores livros escritos por mulheres para você realizar uma boa leitura e, quem sabe, descobrir uma nova obra favorita. Confira obras marcantes de mulheres inspiradoras, dê um Zoom!

A vida nada fácil da heroína Macabéa em A Hora da Estrela, de Clarice Lispector

A história de Macabéa, migrante nordestina pobre lutando para sobreviver na cidade grande é contada pelo narrador Rodrigo S.M., que vive seu próprio drama de um escritor em processo de criação.

A Hora da Estrela é um dos maiores clássicos da nossa literatura por desmascarar as mazelas das desigualdades brasileiras, trazer reflexões sobre conflitos de classe, a função do escritor ao retratar uma pessoa distante de seu universo socioeconômico, além da inserção dos nordestinos. Tudo isso com uma linguagem poética e comovente que só Clarice Lispector pode produzir.

Vale um destaque para a edição comemorativa de 40 anos da obra, feita pela Rocco, reunindo manuscritos e ensaios inéditos.

Título originalA Hora da Estrela
AutoraClarice Lispector
PrefácioPaloma Vidal
CapaIzabel Barreto
EditoraRocco
Número de páginas224
Primeira publicação1977

O retrato de uma nova cidade em Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais

Cora Coralina é a lembrança de que nunca é tarde para fazer algo. A poeta goiana publicou seu primeiro livro Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais aos 76 anos.

No livro, seus poemas são marcados pelo cotidiano, compondo um texto que transita entre a cidade através do tempo, da geografia e da memória. Seus versos são simples, delicados e que transportam o leitor para uma Goiás que só Cora Coralina conheceu.

Título originalPoemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais
AutoraCora Coralina
EditoraGlobal
Número de páginas240
Primeira publicação1965

Para refletir sobre as desigualdades brasileiras em Olhos D’água

Nos últimos anos, Conceição Evaristo foi revelada como uma das vozes mais importantes da literatura nacional. Isso porque em suas obras, ela aborda as situações de violência e pobreza da qual a população negra é submetida no Brasil.

Tais mazelas são tema de sua obra Olhos D’água, que reúne 15 contos arrebatadores da escritora, cujo olhar recai principalmente para as desigualdades vivenciadas pelas mulheres negras. Um livro poderoso, para sacudir o leitor sobre a realidade.

Se você gostou desse livro, pode gostar desse artigo com os Melhores Livros de Escritoras Negras

Título originalOlhos D’água
AutoraConceição Evaristo
EditoraFundação Biblioteca Nacional
Número de páginas116
Primeira publicação2014

Revisitar o passado em As Meninas

Publicado em 1973, o livro foi escrito por Lygia Fagundes Telles e conta a história de três moças que ficam à toa durante uma greve da faculdade, morando cada uma em um quarto de um pensionato de freiras.

O que pode parecer uma narrativa banal é, na verdade, um conjunto de entrelaçamentos temporais, alternando narrativas, como uma forma surpreendente de contar as vivências de três pessoas em busca de si mesmas. Além de uma amostra dos problemas que agitaram a juventude durante um dos períodos mais conturbados da história do Brasil.

Título originalAs Meninas
AutoraLygia Fagundes Telles
CapaWarrak Loureiro
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas304
Primeira publicação1973

A favela sob o olhar de uma moradora em Quarto de Despejo: Diário de Uma Favelada

Carolina Maria de Jesus foi uma mulher negra, pobre e moradora da favela de Canindé, em São Paulo. Mesmo com todos esses marcadores de desigualdade, Carolina se fez escritora e relatou sua história, que também é a história de tantas outras brasileiras negras em situação de pobreza.

O livro em formato de diário foi publicado na década 1950, com ajuda de um repórter que foi à comunidade para escrever uma reportagem e acabou conhecendo a moradora. Ao invés de publicar a matéria, levou os escritos de Carolina a uma editora, já que só o olhar de quem vive a realidade da favela poderia relatar esse cotidiano com propriedade.

A obra é atemporal e até hoje é revisitada e celebrada como uma das narrativas mais poderosas de nossa literatura.

Título originalQuarto de Despejo: Diário de Uma Favelada
AutoraCarolina Maria de Jesus
EditoraMartins Fontes
Número de páginas200
Primeira publicação1960

Para viajar pelos labirintos da linguagem em Poética

Ana Cristina Cesar é uma poeta marginal, da chamada geração mimeógrafo (1970), e uma das mais importantes e celebradas desse estilo. Seus textos mexem com o interior de cada leitor, já que a escritora tem a habilidade de expressar pensamentos que parecem sair de nossas cabeças, mas que nunca fomos capazes de colocar em palavras.

Esse trabalho de Ana Cristina é o que a mantém sempre atual e viva em seus versos, mesmo depois de sua morte prematura aos 31 anos. O livro Poética reúne toda sua obra poética já publicada e é uma leitura transformadora e ao mesmo tempo muito prazerosa.

Título originalPoética
AutoraAna Cristina Cesar
PrefácioArmando Freitas Filho
CapaElisa Von Randow
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas224
Primeira publicação2016

Para refletir sobre amor e desejo em Da Poesia

Hilda Hilst é uma das escritoras mais transgressoras da literatura brasileira. Como poeta, compôs versos provocadores, polêmicos e igualmente apaixonados, retratando amor e desejo de uma forma bela e potente.

Sua obra poética está reunida no livro Da Poesia, editada pela Companhia das Letras. No ano passado, foi a autora homenageada da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP).

Clique aqui e confira nossa lista com os Melhores Livros escritos por Hilda Hilst

Título originalDa Poesia
AutoraHilda Hilst
PosfácioVictor Heringer
CapaEliza Von Randow
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas584
Primeira publicação2017

Para que não sobre nada em pé com Estragos

O livro Estragos, da escritora e roteirista Fernanda Young, faz jus ao seu nome: uma avalanche que derruba o que um dia pareceu sólido por onde passa.

A coletânea de 18 contos que provocam a moral e os bons costumes com temas sobre traição, desejo, amor, bebida e literatura. Uma leitura provocativa para incomodar e transformar o mundo a sua volta.

Título originalEstragos
AutoraFernanda Young
EditoraGlobo Livros
Número de páginas216
Primeira publicação2016

Para nunca mais ser o mesmo com Por Escrito

A autora Elvira Vigna, em seu livro Por Escrito tece uma trama de idas e vindas no tempo, emaranhando sentimentos como a culpa, a angústia, o amor e o ódio. Logo na primeira página, o leitor já se vê arrebatado por uma narrativa tão penetrante que fica difícil deixar de lado.

O livro reúne as narrações de Valderez sobre a própria vida para um antigo amante. Em meio a uma viagem a Paris, além de outras idas e vindas, somos envolvidos por suas memórias, seus desejos e histórias mal resolvidas, apresentadas cheias de surpresa. Um livro-ímã, que coloca Elvira no rol de escritoras mais habilidosas da literatura brasileira.

Título originalPor Escrito
AutoraElvira Vigna
CapaEliza Von Randow
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas312
Primeira publicação2014

Embarcar em uma viagem por dois mundos em Írisz: As Orquídeas

Em seu primeiro romance, a escritora paulista Noemi Jaffe conta a história de Írisz, uma húngara que deixa seu país após uma revolta popular frustrada pela União Soviética para morar em São Paulo.

Através da trajetória da personagem em terras estrangeiras, a autora desenvolve com sensibilidade a descoberta do idioma português, o aprendizado da cultura brasileira e as diferenças sociais dos dois países.

Título originalÍrisz: As Orquídeas
AutoraNoemi Jaffe
CapaTereza Bettinardi
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas224
Primeira publicação2015

Leia também: