Processador i7 10ª geração como destaque central na imagem

Processador i7 de 10ª geração ainda vale a pena? Conheça 4 modelos

Apostar em um processador i7 10ª geração pode deixar alguns usuários inseguros. Entenda se ainda faz sentido

Redação - Zoom

Publicado e atualizado 3 min. de leitura.

Compartilhe:

O processador i7 10ª geração chegou ao mercado em duas linhas diferentes na época de seu lançamento: Ice Lake e Comet Lake. Muitos modelos de notebook ainda são disponibilizados para venda com chips de 10º geração. Entretanto, é bom lembrar que atualmente já estamos na 12ª geração, ou seja, fica evidente que o mercado da tecnologia simplesmente não dorme em serviço.

E, como muitas pessoas já devem ter conhecimento, acompanhar os lançamentos de todas as versões de processadores nem sempre é uma tarefa simples. Afinal, assim que são disponibilizados no mercado, os valores praticados acabam sendo bem salgados.

É aí que entra a dúvida: será que vale a pena investir em uma geração anterior para poupar um pouco o orçamento?

  • Confira uma análise das especificações do Intel Core i7-9700K
  • Veja mais opções de processadores Intel Core i7
  • Tá boiando nesse assunto? Entenda tudo sobre processadores!
  • O que é nanômetro? Entenda sobre o termo usado nas especificações dos processadores!
  • Não sabe o que é GHZ? A gente te explica!

Processador i7 10ª geração ainda é um bom negócio?

 Um processador i7 10ª geração como destaque na imagem
O processador i7 10ª geração dispõe das linhas Ice Lake e a Comet Lake (Foto: Shutterstock)

Como já mencionado anteriormente, a Intel lançou recentemente sua 12ª geração de processadores no mercado e, por isso, muitas pessoas ficam em dúvida se vale ou não à pena investir nesse momento no processador i7 10ª geração – afinal, são duas gerações anteriores.

Além disso, todas essas constantes mudanças podem deixar o consumidor um tanto confuso, visto que as siglas e até mesmo títulos concedidos pela fabricante nem sempre são muito precisos. Nesse caso, vale aprender a diferenciar própria geração.

Como identificar o processador i7 10ª geração?

No comecinho desse conteúdo, deixamos claro que a 10ª geração é composta por dois tipos de processadores, ou seja, a linha Ice Lake e a Comet Lake. Mas, afinal, o que faz um ser diferente do outro? – por que nos confunde assim, dona Intel? - Bom, se ela confunde, compete ao Busca esclarecer!

Os Ice Lake trazem a letra G antes da série de números que acompanha sua descrição para indicar o tipo de placa de vídeo integrada do chip. Nesse caso, quem prioriza melhor performance gráfica e eficiência em seu dispositivo, pode e deve considerar esses chips

Por sua vez, a Comet Lake apresenta dois grupos diferentes (sim, nada de facilitar a vida do consumidor, não é mesmo?), sendo a série Y que permite performance e consumo de energia baixos e é mais comum em ultrabooks. A outra linha é a U, que é mais voltada para dispositivos intermediários e que tenham um apelo mais versátil.

Mas, afinal, vale ou não vale a pena?

O processador i7 10ª geração ainda vale a pena, mas isso vai depender de alguns pontos importantes, começando por quanto você tem para investir e também seu perfil de uso. Se você está pensando em trocar de notebook, por exemplo, pode ser mais vantajoso no momento já considerar uma geração mais recente – que é o caso da 11ª ou 12ª geração.

Segundo a Intel, a maior diferença entre as duas gerações consiste na melhoria do desempenho. Isso se dá justamente pelo uso de novas arquiteturas da GPU e também CPU, que entregam placas de vídeo integradas com ampla capacidade de rodar jogos com gráficos mais exigentes.

Vale ainda mencionar que a 11ª geração já vem compatível com RAM de 3.200MHz de frequência, algo que a 10ª geração não consegue fazer. O mesmo vale, por exemplo, para a compatibilidade com portas USB nos padrões 3.2 Gen 2, HDMI 2.0, Wi-Fi 6, PCI Express 4.0 e também Thunderbolt 4.

E, o que isso tudo quer dizer? Que, na compra de um dispositivo novo, a geração mais recente poderá permitir que sua escolha demore mais a ficar obsoleta. Logicamente, isso não vai acontecer repentinamente, mas é algo que vale a reflexão.

Por fim, o rendimento geral dos processadores de 10ª geração ainda são considerados altamente satisfatórios – basta que você coloque na ponta do lápis todos os prós e contras para fazer a escolha adequada para sua atual realidade.

Processador Intel Core i7-10700K

Esse processador Intel Core i7 com oito núcleos e 16 threads conta com boas características, começando pela memória Cache de 16MB, além da frequência que pode ser turbinada para até 5,1GHz.

Vale ainda mencionar que ele usa soquete 1200. Isso quer dizer que ele permite ao processador usar os principais recursos das CPUs atuais.

Por fim, para ajudar a diferenciar da próxima versão, tenha em mente que o chip com final K permite realizar overclock.

Processador Intel Core i7-10700F

Aqui, vale lembrar a ausência de placa gráfica! Embora isso não seja um problema tão relevante para quem usa programas gráficos ou gamers (que já usam placas dedicadas), serve de alerta para outros perfis de usuários. O 10700F também não realiza overclock, algo presente na versão anterior.

No mais, ele é praticamente identifico ao 10700F, ou seja, conta com oito núcleos, 16 threads e ainda 16MB de memória cache, bem como frequência de 3,8GHz que chega a 5,1GHz no modo turbo.