Quando o assunto é pulseira inteligente, é (quase) impossível que a Mi Band 5 não apareça na conversa. Isso porque a smartband da Xiaomi foi – e continua sendo – um sucesso de vendas da empresa chinesa. Unindo tecnologia e custo-benefício, ela se destaca por funcionalidades como o monitoramento da qualidade do sono, do nível de estresse, de atividades físicas e do ciclo menstrual. De fato, a Mi Band 5 é uma smartband barata, moderna e que pode acompanhar o seu dia a dia por até 14 dias sem carregamento.

A Mi Band 5 dá continuidade ao legado criado pela Xiaomi há anos, entregando recursos avançados em um corpo pequeno. No entanto, será que as novidades entre a Mi Band 5 e a Mi Band 4 justificam a aquisição de uma ao invés da outra? Spoiler alert: depende do seu perfil de usuário. Mas, calma! Para ajudar nessa decisão, nós testamos a Mi Band 5 por algumas dias. Nesse review, foram levados em consideração os critérios a seguir: design, tela, bateria, conectividade, recursos extras e custo-benefício.

Dê um Zoom e veja as minhas principais impressões sobre a Mi Band 5!

Quer saber como nós avaliamos uma smarband? Entenda melhor os critérios que utilizamos em nossos reviews!

Prós e contras da Mi Band 5

Prós: O destaque da Mi Band 5 está não só na leveza e discrição, mas também no conforto. Tamanho compacto, tela AMOLED, carregamento magnético e bateria de 14 dias são alguns dos atrativos da smartband. Com monitoramento de frequência cardíaca, qualidade do sono, nível de estresse, ciclo menstrual e 11 modalidades esportivas, a pulseira inteligente chama a atenção por custar menos de R$ 200,00. Não é à toa que o aparelho aparece todo mês entre as pulseiras inteligentes mais vendidas no Zoom.

Contras: A falta do GPS, entretanto, pode não favorecer a Mi Band 5. Para quem prefere correr ou caminhar sem o smartphone no corpo, essa talvez não seja a smartband (ou melhor, o produto) ideal. A pulseira inteligente não conta com GPS embutido, fazendo-se necessário o auxílio de um celular para monitorar esses dados. Nem a Mi Band 6 veio com essa funcionalidade, apesar de ter vindo com o oxímetro, recurso esperado e que faltou no modelo anterior. Outra questão é que, infelizmente, somente a versão chinesa possui a tecnologia NFC, que não funciona no Brasil e em outros locais do mundo.

Encontre as melhores ofertas para a Mi Band 5 no Zoom:

Review em vídeo da Mi Band 5

O que vem na caixa da Mi Band 5

Mi Band 5 vem com smartband (ecrã e pulseira) e carregador magnético (Imagem: Zoom)
Mi Band 5 vem com smartband (ecrã e pulseira) e carregador magnético (Imagem: Zoom)

A Mi Band 5 traz apenas o básico na caixa: a smartband, o carregador magnético e o manual do usuário em 10 línguas diferentes. De cara, é possível visualizar algumas informações sobre a pulseira inteligente: a tela de 1,1 polegada, a autonomia da bateria e o monitoramento da frequência cardíaca, nível de estresse, qualidade do sono, ciclo menstrual e atividades físicas.

O carregador magnético é uma das novidades da Mi Band 5, sendo o mesmo utilizado na Mi Band 6. Para carregar a Mi Band 4, é necessário desvincular a parte central da smartband para inserir um cabo USB. Na Mi Band 5, você só precisa conectar o carregador na pulseira e, em seguida, plugar o outro lado em um porta USB. O cabo, entretanto, é curto – na medida para carregar o aparelho no notebook, por exemplo.

Quer saber mais sobre a Mi Band 6? Explore já o review completo que preparamos após testarmos a nova smartband da Xiaomi!

Ficha técnica da Mi Band 5

Design da Mi Band 5

O design da Mi Band 5 é clássico: ela é leve, discreta e confortável. Se comparada à Mi Band 4, a diferença mais notável está no tamanho da tela, 20% maior, com 1,1 polegada e display AMOLED, dinâmica e fácil de usar. A pulseira é confeccionada em TPU, material que mistura plástico e silicone, oferecendo durabilidade e elasticidade ao aparelho. Caso você enjoe dela, é possível trocá-la por uma das oito cores disponíveis no mercado: preto, rosa, laranja, azul, amarelo, roxo, verde e cinza.

A tela de 1,1 polegada, que detalho à frente, é uma das particularidades da Mi Band 5. Esse é um aumento para lá de significativo em uma smartband compacta no pulso, principalmente para aqueles que, como eu, sofrem com aparelhos pequenos. O display AMOLED entrega nitidez, brilho e cor, o que se traduz na fidelidade da apresentação das funcionalidades – mais um ponto para a Mi Band 5.

O peso de 11,9g, com dimensões de 47,2 x 18,5 x 12,4mm, chega para completar o que eu disse sobre a leveza, discrição e conforto da Mi Band 5. A smartband não gera qualquer incômodo ao longo do dia, principalmente por conta da área reduzida, da pulseira macia e da carga quase que imperceptível no pulso. É real: às vezes eu até esquecia que estava com ela.

Mi Band 5 é leve e confortável no pulso, além de ser discreta (Imagem: Zoom)
Mi Band 5 é leve e confortável no pulso, além de ser discreta (Imagem: Zoom)

Ela é fácil de colocar e se mantém confortável. No entanto, a Xiaomi afirma que a Mi Band 5 não deve ficar exageradamente solta no punho. Caso ela se mova para cima e para baixo, o monitor de frequência cardíaca pode não recolher os dados. A fabricante, portanto, recomenda que a smartband esteja posicionada a 2cm de distância do ossinho do pulso – nem folgada, nem apertada.

A smartband aparenta ser bastante resistente. Durante os últimos dias, a tela da Mi Band 5 não sofreu com arranhões ou marcas de uso. Seu vidro temperado é, de fato, resistente a arranhões, o que é suficiente para protegê-la na prática de exercícios físicos, por exemplo. O lado negativo é que ela fica com marcas de uso, mas nada que um pano ou uma flanelinha não resolvam.

Para finalizar, a Mi Band 5 traz um nível de resistência à água de 5 ATM. Isso significa que ela pode ser usada ao lavar as mãos, na piscina ou em águas doces. No entanto, a Xiaomi alega que a smartband não deve ser utilizada em saunas ou mergulhos. Particularmente, eu também não recomendaria entrar no chuveiro com ela, principalmente se a água estiver quente.

Tela da Mi Band 5

Mi Band 4, Mi Band 5 e Mi Band 6 lado a lado (Imagem: Zoom)
Mi Band 4, Mi Band 5 e Mi Band 6 lado a lado (Imagem: Zoom)

A tela da Mi Band 5 é AMOLED, o que significa que, além da qualidade da imagem, você consegue ler as informações da smartband mesmo sob a luz do sol. No meu caso, que pratico exercícios físicos ao ar livre, esse é um fator para se aplaudir de pé. Para isso, entretanto, foi necessário configurar a pulseira inteligente no brilho máximo, prejudicando um pouco só a autonomia da bateria. Em resumo, o display é nítido e colorido, além de oferecer eficiência energética e contrastes profundos.

Com 1,1 polegada, resolução de 126 x 294 pixels e permitindo um total de até 450 nits de brilho, a Mi Band 5 apresenta um avanço positivo comparado à Mi Band 4, de 0,95 polegada. Essa é uma mudança considerável, mas nada extremo também, já que a smartband segue a mesma linhagem: fina e pequena. Pessoalmente, o tamanho da tela é ideal para mim, que não costumo andar com pulseiras ou relógios no pulso.

Tal como nos smartphones, a imagem da Mi Band 5 é exibida em full display – abrindo lugar apenas para uma borda superfina. O painel é totalmente touchscreen, o que faz com que a navegação da smartband seja feita por meio de deslizes com os dedos. Com um deslize para cima ou para baixo, você consegue ter acesso a todos os recursos da pulseira inteligente, que podem ser personalizados no app Mi Fit.

Pelas laterais, é possível visualizar os seus atalhos favoritos. Já que o meu uso está voltado para a saúde, coloquei na minha Mi Band 5 os dados que a Xiaomi define como "Status", que faz a contagem de passos, calorias e ociosidade, "Frequência cardíaca", "Notificações", "Estresse", "Respiração", "Ciclos", "Treino" e "Música". Configurar esses atalhos fez com que eu ganhasse mais controle sobre as funcionalidades da smartband.

O painel da Mi Band 5 é toutchscreen e, para retornar à página principal, basta tocar numa espécie de botão (o único da smartband), localizado abaixo do display. Por fim, as watchfaces (ou interfaces) podem ser personalizadas pelo app oficial – e algumas são até dinâmicas. Mas, cuidado! Se você quiser tirar proveito das informações clicáveis, o ideal é usar uma das interfaces que vêm com a pulseira inteligente.

Bateria da Mi Band 5

Mi Band 5 traz novidade em relação ao modelo anterior: o carregador magnético (Imagem: Zoom)
Mi Band 5 traz novidade em relação ao modelo anterior: o carregador magnético (Imagem: Zoom)

A bateria da Mi Band 5 é duradoura, principalmente se você não operá-la com 100% dos recursos ativos. A Xiaomi promete até 14 dias de autonomia para o usuário, o que é um valor atingível se você, assim como eu, utilizar o básico. Ela até chega a duas semanas de uso, mas, caso você pratique exercícios físicos todo dia, o tempo de duração deve cair para 5 a 7 dias. Pela minha experiência, a autonomia da bateria também sofre um pouco quando você monitora a frequência cardíaca continuamente.

A capacidade de bateria diminuiu da Mi Band 4 para a Mi Band 5, de 135 mAh para 125 mAh. Na prática, essa queda não afeta em quase nada quanto o assunto é desempenho, já que tanto o carregamento quanto o tempo de resposta dela são 10/10. Fora isso, a smartband traz um carregador magnético. O que isso quer dizer? Que não é mais necessário tirar a pulseira o carregar o aparelho: basta encostar o carregador na "cápsula" e pronto. Isso agiliza não só todo o processo, como aumenta a durabilidade da própria pulseira.

Conectividade da Mi Band 5

Mi Band 5 é conectada por Bluetooth intuitivamente pelo aplicativo (Imagem: Zoom)
Mi Band 5 é conectada por Bluetooth intuitivamente pelo aplicativo (Imagem: Zoom)

A conectividade da Mi Band 5 é estável, destacando-se pelo Bluetooth 5.0 para parear com o seu smartphone. É uma versão mais atual, que oferece transmissão de dados sólida (e ainda gasta menos bateria). Graças ao Bluetooth 5.0, a smartband consegue compartilhar as notificações, controlar as músicas e fotografar sem mãos no celular, por exemplo. A conexão entre a pulseira e o aparelho é fácil, rápida e intuitiva. Ela deve ser feita por meio do app Mi Fit, que entregou as instruções para que eu pudesse emparelhar os dispositivos.

Segundo a Xiaomi, a smartband é compatível com Android 5.0 e iOS 10.0 ou versões posteriores, o que confere possibilidades ao usuário. Pessoalmente, eu consegui usar a Mi Band 5 pelos cômodos do apartamento sem que ela fosse desconectada do meu iPhone. No entanto, a pulseira inteligente não possui GPS. Isso significa que você acaba ficando refém do seu smartphone para marcar a distância de uma corrida, por exemplo.

Sem o celular perto, a Mi Band 5 exerce todos os recursos – incluindo a contagem de passos. Ao emparelhá-la novamente, a smartband repassa os dados coletados para o seu dispositivo. Além disso, existem duas versões da pulseira inteligente: uma sem e outra com NFC, tecnologia que permite a troca de informações sem fio e de forma segura entre aparelhos compatíveis. A versão chinesa traz o NFC, que, infelizmente, é exclusivo apenas para a China.

Recursos da Mi Band 5

Nesse tópico, eu optei por detalhar os recursos que são considerados os mais relevantes pelos usuários na Mi Band 5. Vale destacar que essas funcionalidades são personalizáveis pelo app Mi Fit, que armazena todos os dados obtidos pela smartband. Monitoramento de frequência cardíaca, sono, estresse, ciclo menstrual e atividades físicas são alguns dos atributos que fazem dessa pulseira inteligente uma das mais vendidas no Brasil e no mundo. Confira:

Monitoramento de frequência cardíaca, sono e estresse

Antes de qualquer coisa, é importante mencionar que a Mi Band 5 aprimorou o desempenho dos recursos ligados à saúde. Para isso, a smartband está equipada com um sensor PPG de alta performance, mais preciso e fiel às medições. A Xiaomi confirmou que a frequência cardíaca, por exemplo, está 50% mais efetiva com relação à Mi Band 4.

Falando em frequência cardíaca, a Mi Band 5 mede os batimentos cardíacos ao longo do dia, e você pode definir se isso deve ocorrer em um espaço de 1, 5, 10 ou 30 minutos. Para economizar na bateria, o ideal é que ela faça essa medição de 30 em 30 minutos. Além disso, a smartband consegue alertar quando o ritmo do coração for superior a 100 bpm.

A Mi Band 5 também faz a análise da qualidade do seu sono, reunindo métricas que podem até mesmo ajudar na mudança de hábitos. Eu tenho insônia e, por isso, o meu sono é mais leve do que profundo. A smartband conseguiu detectar essa particularidade facilmente e, mais do que isso: compartilhou dicas para que eu pudesse melhorar as minhas noites de sono.

Para finalizar, a Mi Band 5 ainda monitora o seu nível de estresse. Ele pode ser medido a cada 5 minutos e, como todos os recursos, suas alterações são gravadas no app Mi Fit. Outra funcionalidade que eu achei interessante foi o exercício de respiração guiada. Para os home officers ansiosos (eu incluída), essa assistência funciona quase como uma meditação rápida.

Monitoramento de ciclo menstrual

A Mi Band 5 regista, prevê e acompanha o ciclo menstrual. Ao coletar os dados entregues por você mesma pelo app Mi Fit, a smartband faz a organização e, ainda, a previsão dos períodos futuros. Como eu já havia dito no review da Mi Band 6, esse recurso fez com que eu não precisasse utilizar outro aplicativo para exercer a função de calendário menstrual.

Monitoramento de atividades físicas

A smartband traz como um dos pontos altos o monitoramento de atividades físicas. Ao todo, são 11 modalidades diferentes, sendo elas: esteira, exercício, corrida ao ar livre, ciclismo, caminhada, natação, elíptico, remo, bicicleta ergométrica, yoga e pular corda. Como nos outros recursos, todos os dados desses exercícios são enviados direto para o app Mi Fit.

Ela marca a data, o horário, as calorias perdidas, a média de frequência cardíaca, a frequência cardíaca máxima e a duração do treino. Na minha opinião, o número de 11 atividades físicas é mais do que suficiente para um usuário ativo. Eu mesma, que me exercito regularmente, utilizei quatro: exercício, caminhada, yoga e pular corda. A oferta é acertada, apesar de a Mi Band 6 entregar 30 modalidades distintas.

Por fim, assim como nas outras smartbands da Xiaomi, a Mi Band 5 dispõe de um assistente próprio de exercícios, o PAI (Personal Activity Intelligence). Ele dá uma pontuação baseada nas frequência cardíaca e, é claro, nas atividades realizadas pelo usuário durante o dia. O objetivo é atingir os 100 pontos semanais definidos pelo assistente. O PAI funciona quase como um batedor pessoal de metas.

Outros recursos

  • Status: Medição da distância percorrida, das calorias perdidas e dos alertas de ociosidade. Costuma aparecer na interface principal.
  • Música: Controle de música. Pessoalmente, eu conectei o Spotify na smartband com facilidade.
  • Câmera: Fotografa pelo seu smartphone sem que você precise apertar qualquer botão no celular. Eu achei ótimo para fazer fotos sozinha ou até mesmo em grupo.
  • Alarme: Definição de alarme. Esse é um recurso até que interessante para quem, como eu, quer parar de acordar com o alarme do iPhone.
  • Notificações: Recepção de alertas de chamadas e notificações de aplicativos como WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, Calendário e Gmail e SMS. Também é possível para ser notificado sobre objetivos, o que faz com que a pulseira inteligente vibre quando você atingi-los. Esses objetivos podem ser de atividade, peso ou inatividade (a pulseira vibrará se você se mantiver inativo).
  • Definições: Como dito anteriormente, você pode personalizar a Mi Band 5 como preferir. Ao emparelhar a pulseira, eu consegui facilmente trocar o idioma (de inglês para português). Você ainda consegue definir os itens que serão exibidos na smartband e configurar os recursos que serão acessados ao deslizar os dedos para os lados. Também está liberado colocar apenas as atividades físicas que serão feitas por você no dia a dia. Para completar, você pode ativar as funções de modo noturno, encontrar a pulseira, levantar o pulso para ligar a tela e bloquear a smartband com senha pré-definida. Essa última, por sinal, é uma mão na roda, pois, ao lavar as mãos, a água bate na tela e acaba ativando o aparelho. Ativar o bloqueio de tela é útil, portanto, para toques acidentais.
  • Tempo, cronômetro, temporizador, localizar dispositivo e relógio mundial são outros recursos básicos da Mi Band 5.

Preço e custo-benefício da Mi Band 5

A Mi Band 5 foi lançada globalmente em 29 de julho de 2020, com preço sugerido no Brasil de R$ 499,00. Atualmente, a smartband é vendida na loja da Xiaomi por R$ 399,99. Agora, caso você dê um Zoom, é certo que conseguirá encontrar a Mi Band 5 por valores bem mais amigáveis, na faixa de R$ 169,90 (preço coletado em 08/06/21).

No entanto, antes de adquirir a sua Mi Band 5, é fundamental alinhar as expectativas. Uma smartband nunca será um smartwatch. A smartband entrega um design que se parece com uma pulseira, e não com um relógio – apesar de trazer as funções tradicionais de um relógio, como horas, despertador e cronômetro. Os principais recursos, contudo, têm como foco o monitoramento da saúde e bem-estar.

É importante ter certeza das características que você procura em um aparelho como esse e, é claro, do quanto está disposto a desembolsar. Dito isso, a Mi Band 5 é, sim, uma das melhores smartbands do mercado no quesito custo-benefício. Ela oferece recursos avançados por um preço acessível, sendo ideal para quem está buscando pela primeira smartband, mas não para quem está querendo trocar de smartband.

Mi Band 5 possui um dos melhores custo-benefício da categoria (Imagem: Zoom)
Mi Band 5 possui um dos melhores custo-benefício da categoria (Imagem: Zoom)

Vale a pena trocar a Mi Band 4 pela Mi Band 5?

Nesse sentido, vale fazer uma ressalva: a Mi Band 5 trouxe poucas novidades em relação à Mi Band 4. Entre as melhorias estão a tela maior e recursos como carregador magnético, sensores precisos, 5 novas modalidades esportivas (+ o PAI), exercício de respiração guiada e monitoramento de ciclo menstrual. E aí? Será que vale a pena investir na Mi Band 5? A minha resposta é: depende.

Caso essa seja a sua primeira smartband, a minha resposta é: sim. No entanto, se você quiser trocar a sua Mi Band 4 pela Mi Band 5, a minha resposta é: não. As novidades são boas, mas talvez não o suficiente para substituir uma pela outra. A verdade é que esperava-se mais da Mi Band 5, que não veio com oxímetro, como a Mi Band 6, e também não traz a tecnologia NFC ou a integração com a assistente virtual Alexa, recursos disponíveis na China.

Acessórios disponíveis para a Mi Band 5

Para estilizar a sua Mi Band 5, uma recomendação minha é investir em outras cores de pulseira para deixá-la ainda mais estilosa. Oficialmente, ela possui oito cores de pulseira para trocar: preto, rosa, laranja, azul, amarelo, roxo, verde e cinza. Como a pulseira é a mesma da Mi Band 6, o leque de possibilidades para que você personalize a sua smartband se abre. Explore:

Produtos semelhantes à Mi Band 5

Se você está em busca de uma smartband em conta, vale conferir a Mi Band 4. Agora, caso você prefira uma smartband mais tecnológica, a Mi Band 6 pode ser a ideal. Esses modelos também oferecem recursos avançados com um ótimo custo-benefício, principalmente para quem pratica exercícios físicos. A Mi Band 4 ainda pode ser considerada uma opção de compra, embora a Mi Band 6 seja superior.

Uma das smartbands que concorrem com a Mi Band 5 é a Galaxy Fit 2. Essa smartband da Samsung é boa e barata, e se destaca pela bateria com autonomia de até 21 dias. Apesar das poucas opções de atividades físicas, o aparelho identifica automaticamente alguns tipos de treino e também monitora gasto calórico, frequência cardíaca, sono e estresse.

Outra smartband popular é a Honor Band 5, fabricada pela Honor, subsidiária da chinesa Huawei. Ela faz o acompanhamento de exercícios físicos como caminhada, corrida, natação e treinos de força. Essa pulseira possui monitor de frequência cardíaca, qualidade de sono e oxímetro, e sua bateria dura até 14 dias em uso moderado.

Conclusão sobre a Mi Band 5

Em uma escala de 5 a 10, em que 5 representa smartbands que não valem a pena investir, e 10 significa uma smartband incrível, sem pontos negativos), a nota final que eu dou para a Mi Band 5 é 8,5. Nessa gradação, estão ótimos produtos, com poucos problemas. Dependendo do que você procura em uma smartband e do quanto está disposto a pagar, vale a pena investir nessa pulseira inteligente.

A Mi Band 5 traz um valor que se paga pelas funções avançadas e a qualidade oferecida pela smartband. Com um custo-benefício quase imbatível, ela pode ser considerada uma das melhores do segmento. Para além dos monitoramentos de saúde, a pulseira inteligente oferece tela de qualidade, bateria que dura semanas, proteção contra água e tempo de resposta admirável.

Além disso, a Mi Band 5 é leve, discreta e confortável não só para a prática de atividades físicas, mas também para o dia a dia. Ao meu ver, o único ponto negativo dessa smartband está na falta do GPS – o que também não é motivo para não levá-la. Quer dizer, esse detalhe pode fazer falta para corredores e corredoras (não é o meu caso). O ponto é, sim, negativo, mas não é negativo o suficiente para ofuscar essa pulseira inteligente.

Comparativo em vídeo entre a Mi Band 5 e a Mi Band 4

Notícias relacionadas à Mi Band 5

Quer economizar na compra de uma smartband? Crie um Alerta de Preço que o Zoom avisa quando ele estiver mais barato!