Aspirador de pó robô: como escolher o modelo ideal?

Entenda como funciona um aspirador de pó robô e escolha a opção que vai melhor te atender.

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Relativamente jovem no mercado brasileiro, o aspirador de pó robô ainda gera algumas dúvidas entre os consumidores. Afinal, é difícil se desapegar dos modelos tradicionais e investir um valor um pouco mais alto na versão robotizada. Contudo, ainda que o preço possa afastar alguns compradores, as facilidades que estes aparelhos oferecem podem compensar (e muito!).

Embora o aspirador de pó robô não seja indicado para faxinas pesadas, ele é ideal para aquela manutenção diária. Desta maneira, se você ou os membros da sua família têm uma rotina agitada e nem sempre têm tempo para colocar a casa em ordem, este dispositivo é perfeito! Afinal, há modelos que, dentre as suas funcionalidades, podem ser programados para fazer a limpeza em determinado horário e sem a necessidade de alguém por perto.

Vale destacar, porém, que cada modelo pode oferecer diferentes tipos de limpeza e recursos tecnológicos. Por isso, é preciso ficar ligado em alguns pontos, que vamos mostrar à seguir! Continue com a gente!

Saiba mais:

Como funciona um aspirador de pó robô?

Eles são inteligentes e trabalham sozinhos

Depois de tanto tempo com os aspiradores tradicionais, é normal ter dúvidas quanto ao funcionamento do robô. Vale destacar, porém, que por se tratar de um dispositivo inteligente, ele conta com recursos que lhe dão total autonomia durante a limpeza – podendo ser controlado até mesmo via smartphone, com comando de voz.

Para começar, eles são autônomos para encontrar sujeiras que, provavelmente, você nem sabia que estavam ali. Além disso, é por meio de sensores que estes aspiradores de pó são capazes de se mover livremente pelos cômodos e, inclusive, desviar de possíveis obstáculos (escadas e paredes, por exemplo) ou traçar as distâncias em que deve fazer a limpeza.

Os aspirador de pó robô vem com mini cerdas para limpeza de cantos e frestas. (Imagem: ParamePrizma/Shutterstock)
Os aspirador de pó robô vem com mini cerdas para limpeza de cantos e frestas. (Imagem: ParamePrizma/Shutterstock)

Uma dúvida que pode surgir é como que ele limpa os cantinhos, certo? Bom, ele vem com mini cerdas, como se fossem vassourinhas (como mostra a foto acima), que normalmente são encaixadas na parte inferior do aspirador e servem para que o aparelho consiga alcançar os cantinhos dos cômodos, principalmente quando falamos de modelos arredondados, design que não ajuda muito, neste caso.

Alguns modelos, ainda, chegam com uma espécie de mop, também localizado na parte inferior, capaz de limpar o local depois de aspirar a sujeira. Ou seja, mesmo se o aspirador deixar escapar alguns pelinhos, eles podem grudar no mop.

Ah! E como se tudo isso não fosse suficiente, alguns aparelhos mais modernos ainda são capazes de voltar sozinhos para os seus locais de recarga. Ou seja, ele vai fazer tudo sozinho e você nem precisa se preocupar de estar em casa.

Potência e poder de sucção

Há modelos que podem aspirar tanto partículas finas quanto as mais grossas

A potência e a sucção dos aspiradores de pó robô costumam variar de acordo com o modelo e marca do aparelho. Afinal, há dispositivos projetados para aspirar pisos de madeira, liso ou frio, por exemplo.

Os aspiradores robôs, como dissemos acima, são modelos para fazer a manutenção diária da casa e, por isso, o foco da maioria dos aparelhos é aspirar cabelo, pelo de animais e pedacinhos pequenos de papel, por exemplo.

Alguns modelos mais potentes, aliás, são capazes de limpar partículas mais grossas, como rações (se forem pedaços pequenos), areia de gato, papel, etc. Por isso, na hora de escolher um aspirador robô, é importante prestar atenção no poder de sucção e potência que melhor atende à suas necessidades.

Alguns modelos de aspiradores robô são potentes o suficiente para aspirar não só pelos e cabelos do chão, como também coisas mais sólidas, como pedaços de ração. (Imagem: Lightspruch/Shutterstock)
Alguns modelos de aspiradores robô são potentes o suficiente para aspirar não só pelos e cabelos do chão, como também coisas mais sólidas, como pedaços de ração. (Imagem: Lightspruch/Shutterstock)

Vale destacar, ainda, que junto aos modelos domésticos há também aspiradores de pó robô industriais. É possível, desta maneira, encontrar modelos ainda mais potentes. E por falar em potência, ela costuma variar, em média, entre 15 a 130 W, a depender de marca, modelo e recursos tecnológicos disponíveis.

Autonomia de bateria

Quanto maior a casa, maior deverá ser a potência de bateria

A duração da bateria é outro ponto importante a ser considerado na hora de escolher o melhor aspirador de pó robô para a sua casa. É possível encontrar modelos com autonomia de 60, 90 ou até 120 minutos, como o Mondial RB-01, por exemplo. Desta maneira, caso o imóvel disponha de grandes dimensões, o indicado é investir em modelos com maior duração de bateria – ou fazer uso de mais de um robô.

Mas não há necessidade de temer equívocos: é possível encontrar em fichas técnicas, site das fabricantes ou no manual de uso informações sobre o limite de metros quadrados que o aparelho consegue aspirar.

Dimensões

Modelos não costumam ultrapassar muito os 30cm de diâmetro

O tamanho pode variar bastante entre os modelos, que, na maioria das vezes, pode ter menos de 10 centímetros de altura e por volta de 30 centímetros de diâmetro. Desta maneira, o robô consegue percorrer toda a extensão do cômodo sem grandes dificuldades, visto que a maioria dos móveis contam com uma altura superior a isso em relação ao chão.

Vale dizer que é possível que quanto maior for o aspirador robô, provavelmente, maior será a potência. Não exclusivamente por conta de tamanho, mas por dispor de mais tecnologias e funcionalidades que um modelo muito pequeno não tem. Por isso, fique atento quanto a isso na hora da compra, caso busque por um aparelho mais potente.

Tipos de ambientes

Aspiradores robô precisam de áreas planas

É possível, por exemplo, encontrar aspiradores de pó robô que trabalham bem em carpetes, enquanto outros que são melhores para pisos frios ou de madeira. O que não falta, aliás, são modelos que buscam atender as mais diferentes demandas.

Alguns modelos de aspirador robô conseguem fazer a limpeza em carpetes e tapetes. (Imagem: Sompetch Khanakornpratip/Shutterstock)
Alguns modelos de aspirador robô conseguem fazer a limpeza em carpetes e tapetes. (Imagem: Sompetch Khanakornpratip/Shutterstock)

Apesar disso, fios, tapetes altos ou objetos de decoração podem atrapalhar na hora da limpeza. Outro ponto a ser destacado, ainda, é que o aspirador não tem a autonomia de subir em móveis, o que limita a área de limpeza. Assim, como dissemos anteriormente, o robô não substitui uma faxina pesada e deve ser usado como um agente para a manutenção da limpeza.

Sensores

Todos os robôs têm sensores

Todos os aspiradores de pó robô dispõem de sensores, visto que eles precisam transitar pelos cômodos e desviar de possíveis obstáculos, como mesas e cadeiras.

Na maioria dos modelos, localizado no para-choque, o recurso não apenas identifica objetos no caminho, como também reduz a velocidade do robô a fim de evitar fortes colisões. Há, também, o sensor de parede que, além de evitar batidas, passam a acompanhá-las para limpar ao longo das bordas, mas com uma distância para evitar impacto.

Contudo, modelos mais tecnológicos contam com sensores ainda mais modernos. Por exemplo, chamado de “Cliff”, há um sensor que busca evitar a queda do robô de escadas ou degraus, como no Housekeeper Pro, da Polishop, e no Philco PAS07P. Além disso, modelos recentes também são capazes de identificar portas abertas e explorar novos ambientes – mas a dica para ter uma limpeza mais uniforme é deixá-lo em um cômodo fechado.

Compartimento de lixo

Prefira aspiradores robô com compartimentos maiores

Outro detalhe muito importante é o compartimento de lixo do aspirador de pó robô. Para quem não sabe, ele pode, de certa forma, afetar a autonomia do aparelho. Afinal, quanto menor for o compartimento, provavelmente menor também será o tempo em que ele conseguirá efetuar a limpeza sem a necessidade de precisar se livrar do lixo.

Daremos um exemplo: compartimento pequenos podem ter, em média, por volta de 300 mL. Por não dispor de muito espaço, pode acontecer de este robô ficar cheio rapidamente e, ao invés de aspirar, acabar por espalhar a poeira, deixando de cumprir o seu papel. Para quem tem animais de estimação, por exemplo, que deixam muito pelo pela casa, é importante ter um aspirador que tenha um compartimento de lixo grande.

Outro fato que pode acontecer é o compartimento entupir – seja por estar cheio ou por ter um design interno com curvas. A dica é, se possível, descobrir a capacidade do compartimento de lixo e também o formato interno.

Barulho

Os decibéis podem variar de acordo com o modelo

Todos os aspiradores fazem barulho durante o uso, ainda que o som em decibéis (db) possa variar – independentemente de tamanho ou recursos tecnológicos. O som, contudo, pode parecer mais ou menos perceptível a depender do ambiente.

Por isso, caso este seja um ponto crucial para a escolha, busque por vídeos na internet ou mesmo, caso algum amigo tenha o dispositivo, peça para ver o aparelho em funcionamento.

Outra dica, aliás, é buscar por vídeos e informações de ruídos diretamente no site das fabricantes. Há marcas, por exemplo, que se propõe a fazer modelos mais silenciosos. É preciso, assim, avaliar se o som emitido poderá gerar incômodos ou se é um fator irrelevante.

Aspiradores smarts

Robôs inteligentes são ainda mais autônomos

Alguns modelos de aspiradores de pó robô são smarts e podem ser controlados por aplicativos e, até mesmo, comandos de voz. (Imagem: HAKINMHAN/Shutterstock)
Alguns modelos de aspiradores de pó robô são smarts e podem ser controlados por aplicativos e, até mesmo, comandos de voz. (Imagem: HAKINMHAN/Shutterstock)

É preciso ficar atento se o aparelho comprado é de fato smart. Dumb robots vacum, por exemplo, não são aparelhos inteligentes e têm como única funcionalidade aspirar o pó até a bateria acabar – sem serem capazes de saberem se já aspiraram ou não determinada área. A dica aqui é investir em um robô inteligente.

Além dos sensores, como dissemos anteriormente, ele é capaz de reconhecer uma área em que a limpeza já foi feita. Bateria acabando? Há modelos que são capazes de perceber isso e retornarem à base de recargar e, posteriormente, voltar a realizar a sucção. Deseja que a limpeza seja feita enquanto todos estão fora de casa?

Alguns aspiradores smart também permitem que o trabalho seja programado para um horário específico. Há, aliás, modelos que podem até ser controlados via smartphone (com comando de voz) ou por controle remoto, como o novo aspirador da Samsung, o PowerBot, e o da Electrolux, o Pure i9.2.

Há, ainda, modelos que contam com tecnologia mais avançadas ainda, como sistema de visão 3D, a fim de garantir uma limpeza ainda mais minuciosa e com você sob total controle.

Por fim, e não menos importante, se a sua casa já é conectada e dispõe de dispositivos inteligentes que se comunicam entre si, um aspirador de pó robô poderá complementar as facilidades do dia a dia.

Leia também: