Redmi 9 vale a pena? Analisamos a ficha técnica do smartphone Xiaomi

Veja a análise e ficha técnica do Redmi 9, o novo celular intermediário da Xiaomi.

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 6 min. de leitura.

Buscando aumentar o seu catálogo de celulares disponíveis no Brasil, a Xiaomi realizou o lançamento do Redmi 9, seu novo intermediário básico. O aparelho busca disputar o mercado de custo-benefício, oferecendo “de tudo um pouco”, mas sem o preço tão caro quanto os modelos mais avançados.

O Redmi 9 possui tela Full HD, processador que entrega ótimo desempenho em tarefas cotidianas e conjunto quádruplo de câmeras, para dar versatilidade ao usuário. No entanto, o maior destaque dele é a bateria, que tem incríveis 5.020 mAh e dura até dois dias em uso moderado.

Apesar de ser lançado por um valor bem salgado na loja oficial da fabricante aqui no Brasil, ele já pode ser encontrado nas varejistas de eletrônicos a partir de R$ 1.400, o mesmo preço que o modelo anterior, Redmi 8, está custando. Veja a ficha técnica completa do Redmi 9, além da análise das suas principais características.

Leia também: Samsung revela linha Galaxy Note 20: preço, lançamento e ficha técnica

Redmi 9, da Xiaomi, chega ao Brasil em julho de 2020. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
Redmi 9, da Xiaomi, chega ao Brasil em julho de 2020. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Ficha técnica do Redmi 9

  • Tela IPS LCD 6,53 polegadas Full HD+ (1080 x 2340) com Gorilla Glass;
  • Processador MediaTek Helio G80 octa-core 2,0 GHz;
  • Memória RAM de 4 GB
  • Armazenamento interno de 64 GB (expansível)
  • Câmera traseira quádrupla:
  • 13 MP wide f/2.2 com foco automático por detecção de fase;
  • 8 MP ultrawide f/2.2;
  • 5 MP macro f/2.4;
  • 2 MP sensor de profundidade f/2.4;
  • Câmera frontal de 8 MP f/2.0;
  • Gravação de vídeo Full HD a 30 fps;
  • Bluetooth 5.0;
  • Leitor de digitais na parte traseira;
  • Sensores: GPS, acelerômetro, proximidade, giroscópio e compasso, IR, sensor de luz;
  • Bateria de 5.020 mAh com carregamento turbo de 18W.
  • Android 10 com MIUI 11;
  • Dimensões: 163.3 x 77 x 9.1 mm ;
  • Peso: 198 gramas;
  • Cores: Carbon gray (cinza), Ocean green (verde) e Sunset purple (roxo).

Design

Visual simples e direto

A Xiaomi aposta em designs simples para os seus aparelhos intermediários, e com o Redmi 9 não é diferente. Ele tem pintura que faz um pequeno degradê de cores e dá uma aparência bem legal para o aparelho, além de diferenciá-lo de modelos básicos do mercado. Esse celular também conta com “textura anti-digitais”, que são várias linhas bem finas em formato de onda, que não deixam ele ser totalmente liso na parte traseira.

O Redmi 9 tem textura para evitar as marcas de digitais no celular. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
O Redmi 9 tem textura para evitar as marcas de digitais no celular. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Na parte traseira as câmeras são alocadas em formato vertical, junto ao leitor biométrico que fica embaixo da terceira câmara. Essa posição não é boa, pois o usuário pode levar o dedo na lente várias vezes ao tentar desbloquear o celular.

Ele conta com laterais arredondadas e tela com bom aproveitamento do corpo, já que as bordas são finas e a câmera frontal é alocada no pequeno notch no formato de gota, que dá mais destaque ao painel.

O Redmi 9 pesa apenas 198 gramas e é vendido em três cores diferentes: carbon gray (cinza), ocean green (verde) e sunset purple (roxo).

Ele está disponível em três cores diferentes. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
Ele está disponível em três cores diferentes. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Tela

Alta resolução e proteção contra arranhões

O Redmi 9 possui tela com resolução Full HD. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
O Redmi 9 possui tela com resolução Full HD. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Quando lemos “celular intermediário” já esperamos uma tela com resolução HD+, no máximo, mas a Xiaomi fez questão de entregar alta resolução aos compradores do Redmi 9. Ele tem painel de 6,53 polegadas, com proporção 19.5:9, tecnologia IPS e resolução Full HD+.

O aparelho conta com proteção Gorilla Glass, que vai protegê-lo daqueles arranhados que eventualmente aparecem, mesmo que o usuário seja muito cuidadoso. A fabricante também destaca a baixa emissão de luz azul, o que diminui a fadiga dos olhos após muitas horas de uso.

Para quem gosta de assistir vídeos, séries ou filmes no celular com frequência, o Redmi 9 será uma boa escolha, pois combina um painel de qualidade com alta resolução. O fato de ele usar a tecnologia IPS faz com que as imagens tenham cores vívidas, bom contraste e brilho maior que a média, além da imagem não ficar deformada caso o usuário esteja em ângulos diferentes.

Desempenho

Processador com bom desempenho para tarefas do dia a dia e jogos populares

O Redmi 9 usa o processador Helio G80, da MediaTek. É um modelo octa-core que alcança até 2 GHz, voltado para o uso intermediário. No entanto, ele é potente suficiente para rodar grande parte dos aplicativos da Play Store sem problemas de desempenho, além de também entregar boa performance em vários jogos populares como Free Fire, PUBG entre outros. De acordo com a Xiaomi, ele é até 82% melhor que o Snapdragon 439, presente no Redmi 8.

Aqui no Brasil o Redmi 9 é vendido em uma variante com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno, que é suficiente para grande parte dos consumidores. No entanto, é possível aumentar esse espaço com cartão de memória, pois o aparelho conta com slot dedicado para expansão. Ele já chega com Android 10 de fábrica, além da interface personalizada MIUI 11, que adiciona várias funcionalidades ao sistema.

Câmeras

O Redmi 9 tem conjunto quádruplo de câmeras

Conjunto de câmeras do Redmi 9. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
Conjunto de câmeras do Redmi 9. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

O novo lançamento da Xiaomi possui conjunto quádruplo de câmeras, o dobro do que estava presente no Redmi 8. Além do sensor principal, de 13 MP, ele também conta com lente ultra-wide de 8 MP, que serve para tirar fotos com ângulo mais aberto. A terceira câmera é de 5 MP e tem lente macro, para capturar mais detalhes de objetos que estão bem próximos, enquanto a última é usada como sensor de profundidade, para fotos no modo retrato.

É esperado que o aparelho entregue boas fotos em ambientes bem iluminados, conseguindo uma boa gama de detalhes e bom balanceamento de cores, porém as imagens feitas no período da noite podem não agradar, visto que os intermediários mais básicos da Xiaomi tendem a não ser bons nesse quesito. A maior vantagem desse conjunto de câmeras é a versatilidade, graças às câmeras adicionais.

O Redmi 9 consegue realizar gravações na resolução Full HD com 30 FPS, mas sem nenhum tipo de estabilização. A sua câmera frontal tem 8 MP e recurso de HDR, que melhora as cores e evita que a luz “estoure” no fundo. A empresa destaca a possibilidade de usar o recurso “Palm Shutter”, em que o usuário pode ativar o timer para selfies apenas mostrando a palma da mão para o aparelho.

Basta mostrar a palma da mão que ele ativa o recurso timer para selfies. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
Basta mostrar a palma da mão que ele ativa o recurso timer para selfies. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Bateria

O Redmi 9 tem bateria para até dois dias em uso moderado

Sua bateria conta com suporte para carregadores turbo de até 18W.. (Foto: Divulgação/Xiaomi)
Sua bateria conta com suporte para carregadores turbo de até 18W.. (Foto: Divulgação/Xiaomi)

Um dos destaques do Redmi 9 é a sua bateria, que possui 5.020 mAh. É a mesma capacidade de aparelhos mais avançados da empresa, como o Redmi Note 9 ou Redmi Note 9 Pro e, de acordo com a Xiaomi, consegue durar até dois dias em uso moderado. A empresa fornece alguns dados de teste, em que o aparelho teve autonomia de 185 horas em reprodução contínua de música, 19 horas em reprodução de vídeo e 31 horas em ligações.

Outro ponto positivo é que ele tem suporte ao carregamento rápido de 18W, por isso além do usuário ter uma bateria “gigante”, ele também precisará ficar menos tempo esperando o celular carregar.

Custo-benefício

A ideia do Redmi 9 é oferecer um conjunto completo por um preço bem acessível, fazendo alguns cortes de funções e componentes para que o celular não chegue caro para o consumidor. Ele consegue fazer a lição de casa e, apesar de se vendido por um valor bem alto na loja oficial da Xiaomi aqui no Brasil, já pode ser encontrado por R$ 1.412 em lojas varejistas, que é um preço justo considerando que o celular é bem completo.

Por menos de R$ 1500 o consumidor estará adquirindo um aparelho com tela Full HD, processador com bom desempenho para as tarefas do dia a dia, câmera quádrupla e bateria que dura até dois dias de uso. No entanto, se você quer um celular mais potente, pode investir um pouquinho a mais no orçamento e pegar o Redmi Note 9, que está custando R$ 1.499.