Celular Redmi Note 9 azul em fundo cinza com destaque para sua parte traseira

Redmi Note 9: intermediário tem bom conjunto e poucas novidades

Redmi Note 9 é um intermediário da Xiaomi com foco em custo-benefício. Modelo tem boa ficha técnica, mas trouxe poucas novidades. Veja todos os detalhes no review e descubra se o smartphone vale a pena.

Aline BatistaRedatora

Publicado e atualizado 16 min. de leitura.

Compartilhe:

O Redmi Note 9 é um celular intermediário da Xiaomi que chegou ao Brasil em junho de 2020. O modelo tem a missão de substituir o Redmi Note 8, que até hoje faz sucesso pelo bom custo-benefício. No entanto, trouxe poucas novidades em relação ao seu antecessor.

Ainda assim, o modelo tem conjunto com bom desempenho, bateria de longa duração e tela de qualidade. A câmera traseira quádrupla também se destaca por produzir boas fotos. Mas será que o smartphone vale a pena?

Para te ajudar a decidir, nós testamos o Redmi Note 9 e contamos nossas impressões no review a seguir. Nesta análise, consideramos design, tela, câmera, bateria, desempenho e custo-benefício. Se quiser entender nossos critérios e notas para a avaliação de produtos, veja como avaliamos celulares.

Melhores ofertas

A seguir, selecionamos as melhores ofertas para o Xiaomi Redmi Note 9. O smartphone está disponível em versões com 3 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento e com 4 GB de RAM e 128 GB de memória interna. Esse último modelo foi a variante usada em nossos testes.

Vale ressaltar que a série também conta com os aparelhos Redmi Note 9S, Redmi Note 9 Pro e Redmi Note 9T, que trazem algumas diferenças na ficha técnica. Neste review, vamos falar apenas do Redmi Note 9.

Prós e contras do Xiaomi Redmi Note 9

Prós

O Redmi Note 9 é um bom celular intermediário. O modelo oferece desempenho satisfatório, dentro do esperado para essa faixa de preço. Além disso, conta com uma bateria de 5.020 mAh, que aguenta até dois dias de uso. Outro destaque é a tela com resolução Full HD+, que apresenta imagens com boa qualidade.

Também não podemos deixar de mencionar o conjunto de câmeras quádruplas. O smartphone é versátil e tem lentes de diferentes tipos, que ajudam a produzir ótimas fotos, principalmente, durante o dia.

Contras

O principal ponto negativo do aparelho é a falta de novidades em relação à versão anterior. O Redmi Note 8 já era um bom celular intermediário, e o modelo atual não trouxe nenhum grande destaque para superá-lo.

Além disso, o smartphone também decepciona pelo acabamento em plástico, que dá um aspecto de celular barato. Vale ressaltar que seu antecessor tem traseira em vidro, que passa uma imagem mais premium. Nesse ponto, parece que houve um retrocesso.

Outro ponto de atenção é o desempenho da câmera frontal à noite. Apesar de ser bastante versátil para fotos, as selfies noturnas feitas com o Xiaomi Redmi Note 9 perdem em nitidez.

Review em vídeo

Confira outros detalhes no vídeo abaixo:

O que vem na caixa

Na caixa, o Redmi Note 9 vem com um cabo USB-C e um adaptador de tomada de 22,5 W. Além disso, o smartphone traz uma capinha de silicone e já vem com uma película de tela aplicada. No entanto, assim como todos os smartphones da Xiaomi, ele não acompanha fones de ouvido, apesar de manter a entrada P2 para o acessório.

Acessórios que chegam com o celular:

  • Cabo USB-C;
  • Adaptador de tomada de 22,5 W;
  • Capinha de silicone;
  • Película;
  • Chave para abrir a gaveta de chip;
  • Manual do usuário

Redmi Note 9: ficha técnica

Design

O Xiaomi Redmi Note 9 trouxe algumas mudanças significativas em relação ao visual do Note 8, mas não necessariamente elas foram para melhor. A versão anterior tinha um belíssimo acabamento em vidro na traseira e de metal nas laterais, que davam um aspecto mais elegante ao aparelho.

Entretanto, ele é todo construído em plástico, inclusive as bordas. Visualmente, ele não é um smartphone feio. Ao contrário, é bem bonito, com cores vivas em degradê. A decepção vem porque já vimos aparelhos da Xiaomi com acabamento superior. Parece que houve um retrocesso nesse quesito, e o celular tem um aspecto de aparelho barato.

Na parte traseira, as câmeras agora estão agrupadas em um módulo centralizado na parte de cima. O leitor de impressões digitais fica logo abaixo, como se fosse uma continuação do módulo de câmeras. Essa posição do sensor na traseira é comum nos intermediários e é bastante intuitiva.

Já na parte frontal do Xiaomi Redmi Note 9, temos a tela de 6,53 polegadas, com bordas finas. Dessa vez, a fabricante optou por colocar a câmera frontal em um pequeno furo no topo do display, na lateral esquerda. A solução é boa e proporciona um bom aproveitamento da tela.

Traseira do Redmi Note 9 é de plástico (Foto: Zoom)
Traseira do Redmi Note 9 é de plástico (Foto: Zoom)

Na lateral direita, estão os botões power e de volume. Já na esquerda, fica a entrada para chip e cartão de memória. A Xiaomi colocou três slots diferentes, permitindo usar simultaneamente os dois chips e o cartão microSD. Por fim, na parte inferior do Redmi Note 9, ficam a entrada para fone de ouvido, o alto-falante e a porta USB-C.

Em relação ao Note 8, o sucessor também ficou levemente maior. Suas dimensões são de 16,23 cm de altura x 7,72 cm de largura e 0,88 cm de espessura, com peso de 199 gramas.

Isso pode comprometer um pouco a pegada, principalmente, porque a traseira é bastante escorregadia. Além disso, o celular tem facilidade para ficar com marcas de dedos. A parte boa é que o dispositivo acompanha uma capinha de plástico, assim como outros modelos da marca. O acessório ajuda a aumentar a segurança ao usar o smartphone. Outro ponto positivo é que ele também já vem com uma película aplicada no aparelho.

Em relação às cores, o Redmi Note 9 está disponível em quatro opções: cinza, verde, branco e preto (apenas na versão com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento). Nós testamos o modelo na cor branca, que acaba puxando mais para o azul, com um leve degradê em lilás. Essa é uma questão pessoal, mas é legal que a Xiaomi ofereça variedade de cores para o usuário escolher.

Redmi Note 9 tem tela com resolução Full HD+ e boa qualidade (Foto: Zoom)
Redmi Note 9 tem tela com resolução Full HD+ e boa qualidade (Foto: Zoom)

Tela

O Redmi Note 9 tem tela de 6,53 polegadas, com resolução Full HD+ (2340 x 1080 pixels), que está de acordo com os intermediários. O display tem proporção de 19,5:9 e densidade de pixels de 395 ppi, que é suficiente para o olho humano. O painel é do tipo LCD IPS, que não tem cores tão vivas quanto as telas AMOLED, mas é satisfatório.

Leia também: AMOLED vs IPS LCD: entenda as tecnologias de tela em celulares

Na prática, a experiência com o smartphone é boa. Você conseguirá assistir a filmes e realizar tarefas do dia a dia pelo celular tranquilamente. O display tem boa qualidade, com cores vivas e nítidas. Entretanto, um ponto negativo é o brilho, que é um pouco baixo. Em lugares abertos, você, provavelmente, terá que usá-lo no máximo para conseguir visualizar melhor.

O Redmi Note 8 tinha proteção Corning Gorilla Glass 5 na tela e também no vidro traseiro. Já no caso do Redmi Note 9, a proteção é apenas na tela, visto que o aparelho é de plástico. De qualquer forma, a tecnologia ajuda a evitar arranhões durante o uso.

Além disso, o smartphone tem certificação TÜV Rheinland de proteção equilibrada contra luz azul, que é prejudicial à vista.

Redmi Note 9 tem conjunto de câmera quádrupla com resolução de 48 MP (Foto: Zoom)
Redmi Note 9 tem conjunto de câmera quádrupla com resolução de 48 MP (Foto: Zoom)

Câmeras

O aparelho tem um conjunto de câmera quádrupla bastante versátil, com diferentes lentes. O modelo produz boas fotos, principalmente, durante o dia e ainda conta com a ajuda de inteligência artificial para melhorar as imagens. A questão aqui é que o conjunto é exatamente o mesmo do Redmi Note 8. A Xiaomi perdeu uma boa oportunidade de aprimorar o smartphone nesse quesito.

Com sensor principal de 48 MP, o Redmi Note 9 produz boas fotos durante o dia. O smartphone utiliza a tecnologia Super Pixel 4 em 1, que combina quatro pixels em um para capturar fotos de 12 MP com maior nitidez. Na prática, os resultados são bons, principalmente, as imagens feitas em lugares abertos. As cores são vivas e equilibradas.

Foto tirada com a câmera principal do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada com a câmera principal do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

À noite, como já é de costume em aparelhos intermediários, a situação é diferente. As fotos ficam granuladas, e o celular tem mais dificuldade para equilibrar sombras e luz. Felizmente, existe o modo noturno que ajuda a melhorar um pouco as imagens. O recurso não faz milagre, então, ainda é possível perceber alguns ruídos nas fotos. De qualquer forma, há uma melhoria nas cores e o resultado é satisfatório.

Foto tirada à noite pelo Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada à noite pelo Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada com o modo noturno do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada com o modo noturno do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

Ele ainda tem uma lente ultra-wide de 8 MP, que é ideal para fotos com ângulos mais abertos. As imagens são um pouco menos saturadas, mas ainda apresentam boa qualidade, principalmente, durante o dia. Entretanto, à noite, como o modo noturno não funciona com a lente ultra-wide, as fotos tendem a ficar com a qualidade inferior.

Foto tirada com a câmera ultra-wide do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada com a câmera ultra-wide do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

A câmera macro, que permite fotografar detalhes de perto, tem apenas 2 MP. O sensor tem uma dificuldade maior para focar e você pode demorar até encontrar a distância ideal do objeto para fotografar. Os resultados são razoáveis. Por conta da resolução baixa do sensor, a textura das imagens nem sempre fica muito boa.

Foto tirada com a câmera macro do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Foto tirada com a câmera macro do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

Além disso, o Redmi Note 9 tem uma lente teleobjetiva com sensor de 2 MP, que ajuda no recorte das fotos com modo retrato. De forma geral, o smartphone é bastante eficiente ao usar o recurso. Entenda qual a função de cada lente na câmera do celular.

Em relação às selfies, assim como o antecessor, esse celular vem com uma câmera frontal de 13 MP. As selfies tiradas durante o dia, em boas condições de iluminação, são ótimas, com bom nível de detalhes, cores vivas e foco preciso. Já à noite, as fotos perdem bastante em nitidez e o resultado já não é tão bom.

Selfies tiradas de dia e à noite com o Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Selfies tiradas de dia e à noite com o Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

Ambas as câmeras gravam vídeos em Full HD (1080p) a 30 fps. Os resultados são satisfatórios, mas a câmera frontal apresenta maior dificuldade para estabilizar. Por isso, é comum os vídeos ficarem tremidos.

Além disso, o Xiaomi Redmi Note 9 oferece diversos recursos para melhorar as imagens. O smartphone tem modo Pro, que permite realizar ajustes manuais e modo de fotografia Ultra HD, que usa os 48 MP em sua totalidade. O aparelho ainda oferece HDR, inteligência artificial, filtros e efeitos de embelezamento. Os usuários que gostam de experimentar e brincar com diversos efeitos vão gostar das ferramentas da câmera.

Bateria

A bateria é um dos pontos fortes. O smartphone tem capacidade de 5.020 mAh, com carregamento rápido de 18 W. A Xiaomi promete duração de horas seguidas, mas não revela uma estimativa de uso.

De qualquer forma, essa é uma capacidade boa e deve agradar à maioria dos usuários. Em nossos testes, o aparelho aguentou dois dias de uso moderado. Alternamos streaming de músicas, filmes, acesso às redes sociais, navegação na internet e alguns jogos leves com momentos de inatividade. Ainda assim, o Redmi Note 9 chegou ao final do segundo dia de uso com 13% de carga. Obviamente, a autonomia pode ser menor dependendo seu tipo de uso.

Redmi Note 9 tem entrada USB-C para carregador (Foto: Zoom)
Redmi Note 9 tem entrada USB-C para carregador (Foto: Zoom)

Em relação ao tempo de carregamento, o smartphone deixa a desejar. Apesar de ter carregamento rápido, o aparelho leva cerca de 2 horas e 15 minutos para atingir 100% de carga, um tempo relativamente alto.

Desempenho

O Redmi Note 9 vem com processador MediaTek Helio G85, um modelo intermediário que é otimizado para games. O chipset tem oito núcleos e velocidade máxima de 2 GHz. Para os gráficos, o smartphone conta com uma GPU Mali G52, da ARM, que também é voltada para aparelhos intermediários.

Como já dissemos, nós testamos a versão de 4 GB de RAM e armazenamento de 128 GB. Na prática, a memória RAM foi suficiente para executar a maioria das tarefas com facilidade, como acessar redes sociais, navegar na internet, assistir a filmes e até jogar.

O aparelho rodou bem jogos leves, como Candy Crush e Basketball Stars. No entanto, o smartphone apresentou lentidão para abrir games mais pesados. No caso de Asphalt 9, por exemplo, o demorou muito para rodar e ainda apresentou alguns pequenos travamentos durante a partida. Vale ressaltar que já é esperado que um smartphone intermediário com tais especificações não rode um jogo mais pesado com facilidade.

Sobre a memória interna, os 128 GB são suficientes para guardar diversos aplicativos, fotos e arquivos. Nesse sentido, o smartphone deve satisfazer a maioria dos usuários. De qualquer forma, se você precisar de mais espaço, é possível expandir o armazenamento com um microSD de até 512 GB.

Detalhe dos botões laterais do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Detalhe dos botões laterais do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

A nível de comparação, o Redmi Note 8 vem com processador Snapdragon , um modelo intermediário da Qualcomm. O aparelho também tem opções de 64 GB e 128 GB de armazenamento, mas ambas vêm com 4 GB de RAM. Por isso, até mesmo a versão mais simples deve oferecer desempenho mais fluido.

Além disso, ele vem com alto-falante mono, que é comum em diversos intermediários. O modelo poderia oferecer uma experiência melhor se tivesse áudio estéreo, Ainda assim, os usuários menos exigentes não devem reclamar da qualidade ou do volume.

O Redmi Note 9 é bem completo em conectividade. O modelo vem com Bluetooth 5.0, que é mais recente, e NFC, tecnologia muito usada para pagamentos à distância. Ele ainda conta com infravermelho e vem com entrada P2 para fones de ouvido.

Leia também: NFC: o que é, como funciona e seus usos

Há versão com 3 GB de RAM

Em relação ao modelo com 3 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, é possível esperar um desempenho inferior. Apesar de ter o mesmo processador, a quantidade de memória RAM é menor nessa versão. Esse é um componente fundamental para garantir uma performance fluida, sem travamentos.

Quanto maior for a quantidade de RAM, mais rápido deve ser o aparelho para rodar aplicativos e lidar com multitarefas. Atualmente, os intermediários costumam tem memória RAM de, pelo menos, 4 GB, que é suficiente para executar as principais tarefas do dia, mas pode apresentar travamentos em apps ou jogos pesados.

Redmi Note 9 tem versão com 3 GB e 4 GB de memória RAM (Foto: Zoom)
Redmi Note 9 tem versão com 3 GB e 4 GB de memória RAM (Foto: Zoom)

Já os modelos com memória RAM abaixo disso estão mais próximos dos celulares básicos. Eles são ideais para tarefas simples do dia a dia e acesso a redes sociais, mas não vão dar conta de rodar jogos ou multitarefas. Por isso, não recomendamos a versão de 3 GB de RAM do Redmi Note 9. Entenda a função da memória RAM no celular.

Outro fator de atenção é com relação ao armazenamento. A variante com 3 GB de RAM tem memória interna de 64 GB, que permite guardar alguns apps e arquivos, mas pode não ser suficiente para alguns usuários. De qualquer forma, também é possível expandir o espaço via microSD de até 512 GB.

Por isso, antes de optar pela versão de 3 GB + 64 GB do Redmi Note 9, é importante avaliar suas necessidades e o tipo de uso que você faz do smartphone. Embora seja mais barata, nem sempre vai ser a melhor opção.

Modelo roda interface personalizada do Android

O Redmi Note 9 roda Android 10 e não deve receber atualização para versões mais recentes. O aparelho vem com uma interface personalizada da Xiaomi, a MIUI, que traz alguns recursos extras. Por exemplo, o smartphone já vem com um aplicativo de controle remoto, que utiliza o sensor infravermelho para transformá-lo em um controle universal.

Outro recurso de destaque é o Game Turbo, que otimiza o smartphone para oferecer uma melhor experiência em jogos. A ferramenta também permite capturar a tela facilmente, desativar notificações flutuantes durante os jogos e transmitir para outros dispositivos, entre outras funções.

De maneira geral, a interface da Xiaomi é intuitiva e bastante agradável, oferecendo uma boa experiência de uso.

Detalhe da lateral esquerda do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)
Detalhe da lateral esquerda do Redmi Note 9 (Foto: Zoom)

Redmi Note 9: preço e custo-benefício

Chegamos em um ponto bem importante da análise do Xiaomi Redmi Note 9. Afinal, a linha Redmi Note é tradicionalemente conhecida pelo bom custo-benefício, já que costuma combinar recursos mais avançados com um preço acessível.

De forma geral, trata-se de um bom celular intermediário, com um conjunto completo. O aparelho apresenta bom desempenho nas principais atividades do dia a dia, tem bateria de longa duração, tela de qualidade e câmeras versáteis. Vale ressaltar, mais uma vez, que estamos falando da versão com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento.

Aqui, o principal ponto negativo está na falta de melhorias em relação ao Redmi Note 8. O smartphone já era um ótimo intermediário, que valia a pena justamente pelo bom custo-benefício, e a gente esperava mais do seu sucessor.

Redmi Note 9 é um celular intermediário com boas especificações, mas trouxe poucas novidades (Foto: Zoom)
Redmi Note 9 é um celular intermediário com boas especificações, mas trouxe poucas novidades (Foto: Zoom)

Normalmente, quando as fabricantes lançam novas versões dos seus celulares apostam em algumas novidades. Entretanto, no caso do Redmi Note 9, parece que falta alguma coisa que justifique o upgrade. O conjunto de câmeras é bom, mas não traz nenhum destaque ou grande mudança. Além disso, a adoção de um design de plástico já decepciona logo de cara.

Feita essa ressalva, vamos falar de preço e custo-benefício. O Redmi Note 9 é um celular de 2020 e, inclusive, já recebeu uma nova versão, o Redmi Note 10, sobre o qual falaremos mais à frente. O smartphone está à venda no Brasil em duas versões. Na loja da Xiaomi, o modelo de 3 GB + 64 GB sai por R$ 1.899,99, um valor bem alto para um aparelho com apenas 3 GB de memória RAM. Já a variante de 4 GB + 128 GB custa R$ 2.099,99.

Considerando os preços oficiais, os aparelhos não valem a pena, principalmente, por conta da proposta de oferecer bom custo-benefício. No entanto, os valores no e-commerce são bem mais atraentes e fazem os smartphones valerem a pena. O modelo mais simples já sai por menos de R$ 1.000, enquanto a variante com 4 GB de RAM custa cerca de R$ 1.200. Por esses preços, você vai fazer um boa compra, pagando valores justos.

Mais uma vez, indicamos a versão com 4 GB + 128 GB, que vai oferecer melhor desempenho. Como a variação de preço não é tão grande, ela acaba valendo mais a pena. Vale destacar que esses preços foram coletados em 06/07/21, data de publicação deste review.

Acessórios para melhorar sua experiência

O principal acessório que você vai precisar investir ao comprar esse celular é um fone de ouvido, já que ele não vem na caixa. Se você prefere um modelo com fio, simples e barato, nossa dica é o JBL Tune 110. Já para quem procura um modelo sem fio, a dica é conferir o Redmi AirDots 2, da própria Xiaomi.

Ambos os modelos já foram testados pela nossa equipe e se destacam pelo bom custo-benefício. Aproveite para conferir também o review o JBL Tune 110 e nossas impressões do Redmi AirDots 2.

Para quem busca a melhor qualidade de áudio e não se incomoda em gastar um pouco mais, vale dar uma olhada no Galaxy Buds Pro e no JBL Live 300 TWS. Se quiser conhecer outras opções, nossa dica é conferir as listas de melhores fones de ouvido Bluetooth em 2021 e de melhores fones para usar no celular.

Apesar de já vir com capinha e película, se você estiver em busca de um acessório mais personalizado, pode investir em uma case customizada para o Redmi Note 9. Assim, você deixa o smartphone com a sua cara. Vale conferir também os principais tipos de capa para celular.

Produtos similares

Se você ainda estiver em dúvidas sobre a compra do Redmi Note 9, vale dar uma olhada em outros celulares intermediários que podem atender às suas necessidades. Durante este review, por diversas vezes, acabamos comparando o smartphone ao seu antecessor.

Essa comparação é um inevitável, porque o Redmi Note 8 é um ótimo intermediário, que vale a pena pelo custo-benefício. Apesar de ter sido lançado em 2019, o modelo ainda é uma boa opção de compra. Se você quiser conhecer mais detalhes do smartphone, vale dar uma olhada no review do Redmi Note 8.

Outro celular da Xiaomi que vale conhecer também é o Redmi Note 10, versão lançada em 2021. O modelo atualizado mantém a proposta do bom custo-benefício, mas trouxe melhorias significativas, como o display AMOLED e uma versão com 6 GB de RAM. Se você estiver disposto a investir um pouco mais, pode pegar o modelo mais recente. Confira a análise de ficha técnica do Redmi Note 10.

O Poco X3 também é uma boa opção de intermediário da Xiaomi. O celular vem com 6 GB de memória RAM e diversas tecnologias para jogos. É uma opção acessível para quem quer um smartphone gamer sem gastar muito. Vale dar uma olhada no review do Poco X3 NFC e conferir nossas impressões sobre ele.

Outras opções de bons intermediários são o Galaxy A52 e o Moto G60. Ambos têm memória RAM de 6 GB, tela com resolução Full HD+ e câmeras de qualidade. Para quem busca modelos mais baratos, a dica é conferir o Galaxy A12 e o Moto G30, que têm ficha técnica semelhante ao aparelho que testamos.

Se você quiser conhecer outros modelos, vale dar uma olhada nas nossas listas com os melhores intermediários e com celulares que têm bom custo-benefício. Se está em busca de economia, aproveite para conferir os melhores smartphones por até R$ 1.200.

Conclusão

Em uma escala de 5 a 10 (onde 5 representa aparelhos medíocres, em que não vale a pena investir, e 10 significa um ótimo celular, sem pontos negativos), a nota final do Zoom para o Redmi Note 9 é 8. Nessa gradação, encontram-se modelos muito bons, com mais pontos positivos do que negativos. Dependendo das características que você procura em um smartphone e do quanto está disposto a pagar, o produto pode valer a pena.

De forma geral, trata-se de um bom celular intermediário, com diversos pontos de destaque. Seu preço em lojas do varejo também está de acordo com o que o aparelho oferece. O principal ponto negativo é que ele não deixa muito claro para quê veio, visto que trouxe poucas novidades em relação ao antecessor. Nesse caso, parece que a Xiaomi lançou uma nova versão apenas por lançar.

Quer economizar na compra do Redmi Note 9? Crie um alerta de preço que nós te avisamos quando ele estiver mais barato!

Aproveite para conferir outros reviews de celulares intermediários que nós testamos: