Review Asus Zenfone 6: câmera giratória Flip brilha nas selfies

Zenfone 6 impressiona com a câmera giratória Flip, mas a ficha técnica é mais do mesmo; confira a review completa.

Murilo TunholiEditor(a)

Publicado e atualizado 8 min. de leitura.

O Zenfone 6 é o celular da Asus que chegou ao mercado brasileiro em 2019 sem uma câmera frontal ou notch. A ideia é a tela ocupar totalmente a parte frontal do aparelho, sem os elementos físicos que normalmente limitam a visualização de conteúdos.

Mesmo sem uma câmera frontal, o dispositivo ainda entrega fotos de altíssima qualidade em qualquer ângulo por conta da Flip Camera, o módulo que gira em 180 graus e permite clicks frontais ou traseiros usando o mesmo sensor.

Nesta review, o Zoom vai contar em detalhes os resultados da análise do Zenfone 6. Durante dois meses testamos o desempenho da ficha técnica, tela, bateria, design e construção do aparelho. No final, você confere o custo-benefício em 2020 e se vale a pena comprar.

Leia também: Review LG G8X ThinQ: celular com duas telas tenta inovar, mas falha

Zenfone 6 é o smartphone da Asus lançado em 2019. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
Zenfone 6 é o smartphone da Asus lançado em 2019. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Resumo da avaliação

Veja as notas que o Asus Zenfone 6 obteve em nossa análise prática:

Prós:

  • Tela de qualidade;
  • Bateria que dura o dia inteiro;
  • Flip Camera giratória;
  • Qualidade alta nas fotos com bastante luz;
  • Design bacana;
  • Interface mais limpa.

Contras:

  • Construção em vidro;
  • Modo noturno da câmera não impressiona;
  • Qualidade baixa nas fotos com pouca luz;
  • Taxa de atualização baixa na tela;

Design e construção

O diferencial do Zenfone 6 é a Flip Camera. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
O diferencial do Zenfone 6 é a Flip Camera. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

O Zenfone 6 é um smartphone com visual simples, mas muito bonito. O que mais chama atenção logo de cara é a tela livre de qualquer obstáculo, como o notch que normalmente acompanha as câmeras frontais e os botões digitais embaixo. Aqui, a parte da frente do aparelho conta apenas com o painel de 6,4 polegadas que, segundo a própria Asus, a ocupa 92% do espaço frontal.

O celular está disponível para comprar nas cores prata e preto. A traseira é construída em vidro e oferece um aspecto premium ao aparelho, mas sacrifica a resistência aos danos do dia a dia, como arranhões e quedas.

A traseira do Zenfone 6 é em vidro. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
A traseira do Zenfone 6 é em vidro. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Fala de resistência no caso do Zenfone 6 é muito importante, já que o módulo da Flip Camera é um dos pontos que deve preocupar os consumidores. Afinal, ele é frágil ou aguenta alguns trancos? Nos nossos testes, podemos dizer que o mecanismo é bastante durável e seguro, se for bem cuidado. Em situações nas quais o aparelho está caindo de uma altura considerável, o cenário pode não ser o mesmo.

O celular tem sensores internos que identificam quando o aparelho cai de uma altura muito grande com a Flip Camera na posição frontal. Caso isso aconteça, o Zenfone 6 “guarda” o módulo, o protegendo de eventuais danos. A velocidade com que isso acontece, no entanto, não foi muito satisfatória. Durante os testes, o smartphone foi jogado de cima para baixo, em uma cama, de uma altura de mais ou menos um metro. Em algumas tentativas, a parte da Flip Camera não fechava totalmente.

De acordo com a Asus, o módulo da Flip Camera consegue ser acionado até 100 mil vezes sem problema. Não conseguimos colocar isso à prova, mas é seguro dizer que, se a fabricante promete essa quantidade de usos, então o usuário vai estar asseguro que pode acionar a garantia em caso de defeito.

Mecanismo da Flip Camera. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
Mecanismo da Flip Camera. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Para acomodar esse recurso diferente de câmeras, o celular não pode ser nem muito fino nem pequeno, e o Zenfone 6 não é nenhum dos dois. Isso não chega a ser um ponto negativo, mas uma questão de preferência. O aparelho é grande para acomodar a tela de 6,4 polegadas, tamanho ideal para assistir a filmes e jogar com alta qualidade. Se você procura um smartphone compacto, pode não ser uma boa ideia investir no topo de linha da Asus.

Tela

O display do Zenfone 6 garante muitos pontos positivos ao aparelho na análise. A tela de LCD com tecnologia IPS tem resolução de 1080 x 2340 pixels e proteção Gorilla Glass 6 para danos, como quedas e arranhões. O tamanho de 6,4 polegadas é aproveitado ao máximo pela ausência do notch e promete uma experiência muito boa em vídeos e jogos.

As cores e o brilho surpreendem. Mesmo em ambientes mais iluminados, o Zenfone 6 exibe imagens com bastante contraste, principalmente em cenas mais escuras com bastante presença da cor preta. Os 600 nits de brilho garantem que você não terá muita dificuldade em fazer fotos em dias muito ensolarados, por exemplo.

A tela tem brilho e contraste altos. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
A tela tem brilho e contraste altos. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Nos nossos testes, foi bastante agradável assistir algumas horas de séries e depois jogar, principalmente games de tiro em que é preciso ter bastante visibilidade da partida. Em título como Call of Duty Mobile, os detalhes dos gráficos ficaram ainda mais bonitos por conta da qualidade da tela do Zenfone 6.

Um ponto negativo fica por conta da taxa de atualização da tela, que é de apenas 60 Hz. Há opção de aumentar para 75 Hz com mods, mas isso causa perda da garantia do aparelho. Na época do lançamento, essa taxa era normal para um top de linha, mas em 2020 Para efeito de comparação, os dispositivos mais recentes de 2020 já vem com taxas bem maiores, como é o caso do Samsung Galaxy S20 com tela de 120 Hz

Desempenho e bateria

Como não é só a tela que importa em um celular, também precisamos analisar o desempenho do processador. Afinal, de nada adianta uma tela bonita se os jogos rodam com os gráficos no mínimo. A boa notícia é que o Zenfone 6, assim como outros smartphones top de linha, roda qualquer aplicativo disponível na Play Store atualmente. O Snapdragon 855 não deixa a desejar e chega a sobrar nas tarefas mais simples.

Isso é esperado para um celular que, hoje, custa cerca de R$ 2,5 mil. Se você precisa de um bom aparelho que não vai travar ou te deixar na mão, o Zenfone 6 é uma boa escolha. O único ponto negativo é o sistema operacional com a interface ZenUI 6, que, mesmo sendo mais limpa que no modelo anterior, ainda pode demorar mais para receber atualizações do Android.

Em jogos, não há o que reclamar. Fortnite Mobile, considerado um dos games mais pesados atualmente, roda sem problemas nas configurações mais altas disponíveis, mesmo que a 30 quadros por segundo. PUBG Mobile e Call of Duty Mobile também se saíram muito bem e mantiveram taxas de quadros altas com qualidade de imagem.

A bateria também é um ponto forte no celular. Por conta do Zenfone 6 ser mais robusto, a autonomia do aparelho também é beneficiada pelo tamanho maior. Em standby, o smartphone aguentou por mais de uma semana sem precisar ver o carregador. Já em uso constante, o dispositivo aguentou um dia inteiro de vídeos, jogos e navegação na Internet. Caso você não seja um usuário exigente, é possível que ele dure até dois dias fora da tomada sem problemas.

Câmeras

O Zenfone 6 tem duas câmeras, uma angular e outra ultra-grande angular. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
O Zenfone 6 tem duas câmeras, uma angular e outra ultra-grande angular. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

O principal atrativo do Zenfone 6, além da tela, são as câmeras que funcionam tanto como traseiras quanto frontais. O módulo giratório da Flip Camera conta com duas lentes: uma grande angular com abertura f/1.79 e 48 MP, enquanto a outra é uma ultra-grande angular de 13 MP para fotos ultrawide.

A qualidade das câmeras em ambientes bem iluminados não deixa a desejar. Pelo contrário, elas são de ótima qualidade. Isso fica melhor ainda quando lembramos que o mesmo sensor que faz as fotos traseiras também funciona nas frontais, o que entrega selfies excelentes.

Selfie com a câmera normal (à esquerda) e selfie com a câmera ultrawide (à direita). (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
Selfie com a câmera normal (à esquerda) e selfie com a câmera ultrawide (à direita). (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
Foto com a câmera normal (à esquerda) e foto com a câmera ultrawide (à direita). (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
Foto com a câmera normal (à esquerda) e foto com a câmera ultrawide (à direita). (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Para ter essa vantagem da Flip Camera, no entanto, a Asus precisou sacrificar alguns recursos que já são famosos nos celulares mais recentes, como uma terceira câmera com lente macro ou teleobjetiva para fazer o popular modo retrato. Isso pode não ser um problema, visto que outras marcas também aderiram a essa padrão, como é o caso da Apple com o iPhone 11, mas há quem goste de fazer clicks bem próximos com muitos detalhes.

O Zenfone 6 não tem lente macro, mas consegue captar alguns detalhes. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
O Zenfone 6 não tem lente macro, mas consegue captar alguns detalhes. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

O modo noturno está presente no Zenfone 6, mas já não é um recurso tão revolucionário quanto há alguns anos. O efeito de desfoque no fundo é feito por meio de pós-processamento, o que pode gerar algumas falhas caso não tenha muita luz no ambiente. Já em vídeos, a câmera grava em 4K a 60 quadros ou 1080p a 120 quadros, mas não há estabilização ótica, somente digital.

Recursos extras

A Asus sempre foi famosa por customizar os aparelhos com interfaces diferentes e aplicativos próprios. No Zenfone 6 isso não é diferente, visto que logo de cara a interface já é diferente de um Android da Motorola, Samsung ou outras fabricantes do mercado.

Como dito anteriormente, a ZenUI 6 é mais limpa e customizável quando comparada à versão anterior. A usabilidade é simples e de fácil adaptação, mas pode ser um incômodo para quem gosta da interface limpa do Android.

Outro recurso bacana é o botão “Smart Key”, que fica na lateral do aparelho. Ele pode ser configurado com diferentes funções e comandos dependendo da sua necessidade. Ou seja, você pode voltar a ter um botão físico para voltar à tela de início, se quiser, por exemplo. Também é possível configurar comandos diferentes dependendo da quantidade de cliques no botão ou quando ele é pressionado e segurado.

O botão lateral abaixo dos controladores de volume pode ser configurado livremente. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)
O botão lateral abaixo dos controladores de volume pode ser configurado livremente. (Foto: Murilo Tunholi/Zoom)

Conclusão

O Zenfone 6 já é um celular considerado antigo, visto que ele foi lançado em 2019, mas nem por isso é uma compra ruim ainda em 2020, principalmente se você conseguir uma boa promoção. O recurso da Flip Camera não é a maior maravilha do mundo, mas segue como um recurso diferente e interessante, principalmente se você gosta de tirar muitas selfies.

Outro ponto positivo é a tela de altíssima qualidade para assistir a filmes e jogar sem ser atrapalhado pelo notch com a câmera frontal. Pode parecer pouca coisa, mas ainda é uma inovação no mercado. Até aparelhos mais recentes, como o Galaxy S20, da Samsung, ainda tem um furo na parte da frente para a lente.

O preço, no entanto, não é muito convidativo. Por conta da pandemia do novo coronavírus e da crise econômica, os preços de celular têm aumentado bastante em 2020. Por isso, o custo-benefício do Zenfone 6 está, atualmente, muito ruim e não vale a pena comprar pelo preço cheio.

Se você quer um celular com bom desempenho, boa bateria, uma tela de qualidade e não se importa com o tamanho maior, o Zenfone 6 pode ser uma opção bacana por menos de R$ 2,5 mil . Vale mencionar, no entanto, que os sistemas Android costumam ficar desatualizados com mais rapidez. Então, se você quiser um aparelho em dia, vale buscar um modelo de 2020.

Compare preços

Leia também: