Melhor cinta pós-parto de 2021: 5 modelos para comprar

Conheça os benefícios da cinta pós-parto e veja quais os modelos disponíveis no mercado

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Compartilhe:

Se você está procurando pela melhor cinta pós-parto, é possível que você já esteja com a gravidez avançada, riscando os itens da lista do enxoval. Antes de mais nada, saiba que o uso da cinta pós-parto não é obrigatório e, na maioria das vezes, é o seu médico quem irá prescrevê-la. Vale destacar que a cinta pós-parto não "coloca a barriga no lugar" ou "ajuda a desinchar pós-parto", pois esse processo já acontece naturalmente conforme a amamentação, movimentação, etc.

Na verdade, a cinta pós-parto proporciona uma sensação de segurança para as mamães que carregaram por cerca de 40 semanas o bebê e, agora, sentem-se desconfortáveis com a barriga um pouco solta. Nesses casos, a melhor cinta pós-parto é aquela que comprime sem incomodar, entregando segurança para caminhar, sentar e levantar. Existem diversas opções no mercado e, por isso, selecionamos 5 modelos de cinta pós-parto para te ajudar a fazer a escolha certa. Dê um Zoom e confira!

Leia também: Melhor carrinho de bebê de 2021: 15 modelos para comprar

Veja a nossa seleção das melhores cintas pós-parto de 2021! (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
Veja a nossa seleção das melhores cintas pós-parto de 2021! (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

O que é cinta pós-parto?

A cinta pós-parto pode promover uma sensação de bem-estar

A cinta pós-parto pode ser uma grande aliada da mulher (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
A cinta pós-parto pode ser uma grande aliada da mulher (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

A cinta pós-parto é uma aliada para auxiliar na segurança e no conforto da mulher após o nascimento do filho. Aquela sensação de inchaço, comum em quem acabou de dar à luz, pode ser reduzida com o uso do acessório. No entanto, é importante lembrar que ela deve ser adotada depois de uma consulta com o obstetra, já que é ele quem irá definir se a cinta pós-parto é realmente necessária. Além disso, o profissional poderá indicar por quanto tempo a cinta pós-parto pode ser usada.

Em geral, a orientação é usar a cinta pós-parto por 5 a 6 horas diariamente e, no máximo, durante 3 meses. Entre os benefícios da cinta pós-parto estão a redução das dores e a cicatrização mais rápida, no caso de cesáreas, evitando o aparecimento do seroma, que é um acúmulo de líquido na região da cicatriz. Mas é preciso ter cuidado com a pressão na área da cirurgia, pois o excesso de uso ou um tamanho muito pequeno pode prejudicar a circulação e provocar formigamento e até tonturas.

A peça também ajuda na recuperação da diástase abdominal, que pode acontecer quando os músculos da barriga se separam durante a gravidez, ao comprimir a musculatura do abdômen, além de evitar dores na coluna, pois promove uma melhora na postura. Sem dúvida, uma cinta pós-parto pode deixar a silhueta mais bonita, mas deve-se lembrar que ela não é uma peça estética. Ela nunca deve ser usada muito apertada para afinar a cintura, por exemplo, o que pode ocasionar um efeito contrário, como flacidez abdominal.

Como escolher uma cinta pós-parto?

A cinta pós-parto deve ser escolhida pelo conforto e praticidade

A cinta pós-parto precisa ser confortável e prática (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
A cinta pós-parto precisa ser confortável e prática (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

Após consultar o seu médico para decidir se deve ou não utilizar uma cinta pós-parto, é fundamental prestar atenção na hora de comprá-la para escolher o modelo que fique mais confortável e prático para você. Se for possível, experimente tipos diferentes de cinta pós-parto para ver qual se adapta melhor ao seu corpo. Em geral, as cintas pós-parto com mais aberturas, para que a mamãe não precise tirar a peça inteira sempre, são mais confortáveis e eficazes para o momento de ir ao banheiro.

Antes de comprar uma cinta pós-parto, também vale levar em consideração o seu estilo de se vestir. Se você costuma usar roupas curtas, um modelo de bermuda não é indicado, por exemplo. Fora isso, o tamanho da cinta pós-parto irá variar de acordo com a estrutura física de cada mulher, mas, a orientação em comum é que se compre um ou dois tamanhos maiores do que o usado antes da gravidez. Dessa forma, não há o risco da peça incomodar, evitando comprimir demais os músculos abdominais e prejudicar até mesmo a respiração.

Quais são os tipos de cinta pós-parto?

A cinta pós-parto pode ser do tipo body, bermuda ou calcinha modeladora

A cinta pós-parto pode ser do tipo body, bermuda ou calcinha (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
A cinta pós-parto pode ser do tipo body, bermuda ou calcinha (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

Existem quatro tipos de cinta pós-parto no mercado: cinta, body, bermuda e calcinha modeladora. Entre as cintas, há a modeladora com calcinha, zíper e colchetes nas laterais. A última apresenta recorte anatômico que modela a silhueta e é fácil de vestir por causa de sua abertura lateral. As marcas que trazem barbatanas nas costas dão maior firmeza e ajudam na postura, além de evitar que enrole na altura dos seios e/ou nas costas.

Outro diferencial é se a cinta pós-parto possui colchetes entrepernas, o que facilita a abertura da cinta na hora de ir ao banheiro. Já a cinta de faixa, com fechamento com colchetes, permite uma liberdade maior aos movimentos por cobrir uma região menor. Por fim, a cinta com velcro, que nada mais é do que uma faixa grossa com grande elasticidade, se ajusta ao corpo envolvendo todo o abdômen.

Agora, se você optar por uma cinta pós-parto inteiriça, como o body, preste atenção, pois há modelos com e sem sutiã com abertura para amamentação. O body com sutiã com abertura para amamentação é, sem dúvidas, prático na hora de amamentar o bebê. Por outro lado, ele precisa ser lavado diariamente por conta do vazamento de leite.

Ambos os modelos têm a vantagem de não ficarem descendo ou enrolando e, como possuem abertura entrepernas com fechamento em colchetes, são confortáveis para usar o banheiro. Já a cinta pós-parto do tipo bermuda pode chegar até o umbigo ou na altura dos seios, e na região acima ou abaixo dos joelhos. São modelos que têm abertura lateral e ao fundo, e geralmente são mais confortáveis para mulheres com coxas mais grossas e quadril largo, pois não apertam nem marcam a região.

Por fim, há a cinta pós-parto que atua como uma calcinha modeladora de cintura alta. Ela ajuda a deixar a cintura mais contornada e modelada, dando a impressão de abdômen reduzido. Seu material costuma ser de poliamida ou elastano, e o modelo não possui aberturas nas laterais ou ganchos. A desvantagem desse tipo de cinta pós-parto é que enrola com facilidade na altura do tórax, sendo mais complicado de tirar e colocar na hora de ir ao banheiro.

Qual é a melhor cinta pós-parto?

Conheça cinco marcas de cinta pós-parto

Se você já definiu qual tipo de cinta pós-parto é o mais adequado, vale dar uma conferida na lista com cinco marcas e modelos que elaboramos para ajudar na hora da compra. Confira!

1. Cinta pós-parto Pliê: cinta do tipo calcinha

A cinta pós-parto Pliê é do tipo cinta modeladora com calcinha. Ela traz abertura lateral com três regulagens, colchetes forrados que não entram em contato com a pele e abotoamento entre as pernas com botões de pressão. Para evitar que enrole na altura dos seios, ela vem com alças reguláveis e removíveis.

Esse modelo de cinta pós-parto apresenta cintura com dupla faixa de silicone e tecido duplo com compressão constante, características que dão mais segurança e conforto. A peça é feita em poliamida (o fundo é 100% algodão) com tratamento hidrófilo que deixa a pele respirar livremente.

Veja aqui as melhores ofertas da cinta pós-parto Pliê!

2. Cinta pós-parto DeMillus: cinta pós-parto e pós-cirúrgica

A cinta pós-parto DeMillus também é do tipo cinta modeladora com calcinha. Ela é pós-parto e pós-cirúrgica e possui corpo longo, que vai até o busto e apresenta reforço frontal. Seu material é de cetinete encorpado com forro e fundo 100% algodão.

O fecho dessa cinta pós-parto é duplo, com abertura com colchetes finalizado com zíper. O modelo também acompanha alças removíveis para manter a peça mais firme e evitar que enrole.

Confira aqui as melhores ofertas da cinta pós-parto DeMillius!

3. Cinta pós-parto Lupo: cinta do tipo bermuda

A cinta pós-parto Lupo é do tipo bermuda. A Lupo possui uma linha variada de cintas, que incluem modelos comuns, bermudas, bodies e calcinhas. A do tipo bermuda, em específico, ajuda a modelar o corpo.

A borda interna dessa cinta pós-parto é de silicone, e o forro de algodão. A composição de poliamida 86%, elastano 12% e algodão 2% tem tratamento antimicrobial e, por ser easy care, tem secagem rápida, cor duradoura e não precisa passar.

Veja aqui as melhores ofertas da cinta pós-parto Lupo!

4. Cinta pós-parto Lucitex: cinta do tipo body

A cinta pós-parto Lucitex é do tipo body com sutiã para amamentação. Entre as facilidades, ela possui alças reguláveis que ajustam melhor ao corpo, além de fecho fácil de abrir para ser prática na hora de amamentar.

A abertura inferior dessa cinta pós-parto tem colchetes com dupla regulagem que facilitam a higiene pessoal. Sua parte frontal apresenta reforço com duplo tecido que ajuda a comprimir o abdômen e modelar o corpo. A composição é de 82% poliamida e 18% elastano, com forro 100% algodão.

Confira aqui as melhores ofertas da cinta pós-parto Lucitex!

5. Cinta pós-parto Power Jersie: calcinha modeladora

A cinta pós-parto Power Jersie também é outra cinta do tipo calcinha sem sutiã. Ela comprime o quadril inteiro e todo o tronco, entregando uma ótima sensação de segurança.

Essa cinta pós-parto tem abertura inferior para higiene pessoal e, como é o caso desse modelo, duplo tecido frontal para ajudar a manter o abdômen contraído. Ela é fabricada em poliamida com forro em algodão.

Veja aqui as melhores ofertas da cinta pós-parto Power Jersie!

Leia também: