Todo mundo sabe que aqui no Zoom a gente adora surpreender os amantes de livros, e a lista que preparamos dessa vez tem um gostinho especial: traz os principais livros de Charles Bukowski, um dos maiores contistas, romancistas e poetas do século XX. Vamos conhecer mais sobre este fascinante autor?

Quem foi Charles Bukowski?

Charles Bukowski

Henry Charles Bukowski Jr, nascido na Alemanha na década de 20, mudou-se ainda criança para os Estados Unidos com sua mãe e o seu pai, que frequentemente abusava psicologicamente e fisicamente do autor. Chegou a cursar jornalismo, mas abandonou o curso especialmente pelos seus problemas com álcool.

Ganhou a sua primeira máquina de escrever ainda quando jovem, mas por causa do que escrevia, foi expulso de casa. Para se manter, trabalhou em diversas áreas, sem nunca deixar de lado a sua paixão pelos livros, até que, em 1971, lança o seu primeiro romance. O que as suas obras têm de especial? A representatividade.

Bukowski escrevia de forma biográfica, obscena e genial sobre bebedeiras, relacionamentos vazios, marginalização, pessimismo: os “rebeldes” que o acompanhavam precisavam deste lugar ao sol. Faleceu em 1994 aos 73 anos, na Califórnia, vencido pela leucemia. Vem com a gente dar um Zoom nos principais livros do escritor!

Cartas na Rua foi o primeiro romance do autor

Cartas na Rua, lançado em 1971, marcou o início de um estilo de escrita autobiográfico, mesmo que através de um personagem. Ambientado na década de 50, conta a história de um funcionário dos Correios, tal como Bukowski: o personagem principal é o seu alter ego Henry Chinaski.

Através do livro, o autor rememorou os seus feitos, sempre sob a perspectiva de Chinaski, durante os anos em que esteve na empresa. Uma rotina massacrante que chamava a atenção de leitores que também não suportavam os seus trabalhos. Em paralelo, uma vida de intensa bebedeira e irritantes ressacas.

Título original Post Office
Tradução Pedro Gonzaga
Editora L&PM Editores
Número de páginas 192
Primeira publicação 1971

Hollywood narra a história do escritor que virou roteirista da maior indústria de cinema

Charles Bukowski foi convidado para ser roteirista de Hollywood, e o personagem Henry Chinaski surge novamente para ilustrar os pormenores da experiência de escrever Barfly, filme lançado em 1987, com o ator Mickey Rourke como Chinaski.

O processo da escrita do roteiro, o orçamento para a produção do filme, a filmagem e a finalização da película são os principais elementos da trama escrita durante o período em que o autor era um alcoólatra em Los Angeles. Foi considerado um grande clássico na época e um dos principais livros do escritor.

Título original Hollywood
Tradução Marcos Santarrita
Editora L&PM Editores
Número de páginas 248
Primeira publicação 1989

Misto-Quente pode ser a obra mais pessoal do autor

O estilo autobiográfico mais uma vez marcado pelo alter ego Henry Chinaski narra aquela que pode ser a obra mais intensa, comovente e desconcertante do autor.

O livro descreve a sua infância em Los Angeles no cenário da Grande Depressão de 1929, enfrentando sérios problemas com a puberdade, com a pobreza e com a sua família: o pai autoritário e a mãe passiva e submissa.

Originalmente publicado em 1982, a busca pela verdade, pela liberdade e pela dignidade marcam este romance eleito um dos principais livros da segunda metade do século XX.

Título original Ham on Rye
Tradução Pedro Gonzaga
Editora L&PM Editores 
Número de páginas 320
Primeira publicação 1982

Mulheres, publicado em 1978, retrata a vida libertina do alter ego Hank

Bukowski era conhecido como “velho safado, bêbado, preguiçoso, mulherengo” e outras coisas mais. A fase boêmia e promíscua não poderia passar despercebida na sua escrita, sendo retratada no terceiro romance do autor, também protagonizado por Henry “Hank” Chinaski.

A obra narra uma fase em que “Hank” desfrutava de um jejum sexual de anos, sem desejar mulher alguma, até conhecer os vários amores de sua vida. Mulheres que sofreriam as dores e as delícias de se apaixonarem pelo personagem principal.

Bebedeira, ressaca, festas, cartas de pretendentes, encontros sexuais, brigas, pazes: todos estes são ingredientes que fazem desta obra uma inquietante revelação da vida libertina do escritor, sob a perspectiva de Chinaski.

Título original Women
Tradução Reinaldo Moraes
Editora L&PM Editores
Número de páginas 320
Primeira publicação 1978

Numa Fria reúne contos com temáticas pesadas e polêmicas

Bukowski é muito conhecido pela sua escrita pesada, polêmica e melancólica. Numa Fria, publicado nos Estados Unidos em 1983, reúne 36 contos do escritor que traz histórias especialmente sobre pessoas que vivem à beira da marginalidade, gigolôs e escritores bêbados.

Os fãs de carteirinha registram Numa Fria como um dos livros mais impactantes e autênticos do autor. Um detalhe interessante nos contos de Bukowski e presente neste livro é o ambiente de apostas em corridas de cavalo, marco cultural do país adotado pelo escritor.

Para quem quer algo novo e principalmente se aprofundar no estilo de vida e escrita de Bukowski, vale a pena dar um Zoom neste livro fenomenal.

Título original Hot Water Music
Tradução Marcos Santarrita
Editora L&PM Editores
Número de páginas 240
Primeira publicação 1983

Crônica de um Amor Louco é o primeiro de dois volumes da série Ereções, Ejaculações e Exibicionismos

Só pelo nome da série já sabemos que o tema sexo é a bola da vez. Aliás, um tema bastante abordado pelo autor, de forma direta, intensa e muitas vezes imprevisível.

Neste livro de 1972, reúnem-se contos do cotidiano (diga-se de passagem, alcoólico) nos subúrbios dos Estados Unidos, como A Mulher Mais Bela da Cidade, onde é narrada a história de Cass, que passou a adolescência no convento e agora faz parte das fantasias e insanidades do autor.

São crônicas curtas, objetivas e povoadas de obscenidade: prato cheio para os admiradores de Bukowski.

Título original Erections, Ejaculations, Exhibitions, and General Tales of Ordinary Madness
Tradução Milton Persson
Editora L&PM Editores 
Número de páginas 320
Primeira publicação 1983

Sobre o Amor traz poemas sobre este tema tão presente na vida do escritor

Poemas sobre o amor? Temos! Não foi só de sexo, bebidas e vagabundagem que viveu Charles Bukowski: o amor também o arrebatou diversas vezes. Este livro reúne poemas sobre o assunto sob variados ângulos, inclusive o amor paterno.

Mas não espere encontrar poemas românticos, pois não seria Bukowski. O autor mescla palavras obscenas em trechos sinceros, poéticos, poderosos e viciantes. Um livro de poesias fora do padrão que merece destaque na sua estante.

Título original On Love
Tradução Rodrigo Breuning
Editora L&PM Editores
Número de páginas 240

As Pessoas Parecem Flores Finalmente reúne poemas póstumos

Mais um livro de Charles Bukowski para garantir na cabeceira: As Pessoas Parecem Flores Finalmente foi publicado pela primeira vez em 2007, 13 anos após a morte do autor. Bukowski chegou a escrever (e prever) em uma época que teria tido êxito na sua vida de escritor “se vocês lerem isso muito tempo depois de eu morrer”.

Este livro foi aclamado quando publicado, afinal reúne poemas inéditos e como sempre intensos e provocantes. É dividido em quatro partes que falam especialmente sobre a vida do autor pouco antes da década de 60, quando iniciou mais efusivamente a publicação de livros, sobre mulheres e sobre as loucuras e vicissitudes da vida cotidiana do escritor.

Versos rápidos e sábios, que marcam a sua vida de apostas em cavalos (sempre os cavalos!), as bebedeiras, aventuras sexuais e sua ambição pela fama. Um presente póstumo para os fãs do autor.

Título original The People Look Like Flowers at Last
Tradução Claudio Willer
Editora L&PM Editores
Número de páginas 296
Primeira publicação 2007

E aí, gostou da nossa lista? Dê um Zoom nas ofertas disponíveis e entre de vez no mundo obsceno, fascinante e polêmico do grande autor Charles Bukowski!

Leia também: