Drauzio Varella: 6 melhores livros do médico e escritor brasileiro

Conheça alguns dos melhores títulos publicados pelo médico que escreveu Estação Carandiru.

Drauzio Varella: 6 melhores livros do médico e escritor brasileiro
Luiza RamalhoEditor(a)

Publicado e atualizado 5 min. de leitura.

O médico e escritor Drauzio Varella é conhecido por ser um comunicador e por conseguir explicar temas da medicina com linguagem simples.

Além disso, Drauzio é especializado em câncer e também se aprofundou nas relações e no modo de vida da população carcerária brasileira ao trabalhar como médico voluntário nos presídios, o que resultou em sua trilogia sobre o assunto. Confira aqui no Zoom os melhores livros publicados do autor!

Sobre o autor: Drauzio Varella

Drauzio Varella

Drauzio Varella nasceu em 1943, em São Paulo. Formado em Medicina pela USP, é cancerologista e trabalhou por vinte anos no Hospital do Câncer. Também foi voluntário na Casa de Detenção de São Paulo por treze anos e realiza o mesmo trabalho na Penitenciária Feminina da Capital. Drauzio foi pioneiro na descoberta do tratamento da AIDS e no auxílio ao esclarecimento da população sobre a prevenção da doença, principalmente em penitenciárias.

O médico publicou mais de 10 livros e recebeu diversos prêmios por suas obras, como Prêmio Jabuti de Livro do Ano, Prêmio Novos Horizontes e Revelação Infantil, da Bienal do Rio de Janeiro. Também participou de séries no programa Fantástico na Rede Globo, sobre o corpo humano, primeiros socorros, gravidez, transplantes, entre outras. Atualmente possui um canal no Youtube em que responde dúvidas e discute temas relevantes para a sociedade.

Relatos de um médico sobre a vida da população carcerária em Estação Carandiru

Drauzio Varella traz nessa obra relatos de dez anos de atendimento voluntário na Casa de Detenção de São Paulo, que já foi o maior presídio do país. Drauzio conta sobre um código penal não-escrito que organizava o comportamento dos presos. O código foi criado por eles mesmos e era tão rígido que podia terminar em morte em casos de alguém quebrar as regras.

O relato do médico tem traços da sua experiência pessoal e demonstra uma disposição para tratar as pessoas como casos únicos, mesmo nas péssimas condições em que elas se encontravam. Foi em 1989 que Drauzio iniciou seu trabalho voluntário de prevenção à AIDS e entrou em contato com mais 7 mil detentos - a obra é resultado desse período.

O livro foi lançado em 1999 e transformado em filme em 2003, por Hector Babenco. Estação Carandiru recebeu o Prêmio Jabuti 2000 de livro do ano. Desde o seu lançamento, o livro já vendeu centenas de milhares de exemplares.

Título originalEstação Carandiru
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas368
Primeira publicação1999

Uma rebelião pelos olhos de quem tenta contê-la: Carcereiros

Após o sucesso de Estação Carandiru, Drauzio Varella resolve contar sobre o outro lado da moeda no universo do sistema carcerário brasileiro: o dia a dia dos agentes que atuam nos presídios. Lança então, em 2014, o livro Carcereiros.

O médico trabalhou por mais de vinte anos em presídios pelo Brasil como médico voluntário e entrou em contato também com o cotidiano de centenas de agentes penitenciários. Os relatos narrados em Carcereiros trazem as condições rigorosas e de risco a que se submetem os agentes. A obra traz também os dramas da sua própria atuação lá dentro, contando suas dificuldades e frustrações, e o desafio em conciliar uma vida tão imersa nessa realidade com a de médico particular, escritor e pai de família.

O segundo volume da trilogia iniciada por Estação Carandiru inspirou a série homônima exibida pela Rede Globo em 2018 e que estreia uma segunda temporada agora em 2019.

Título originalCarcereiros
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas232
Primeira publicação2012

Dar voz para as histórias das mulheres que estão atrás das grades em Prisioneiras

Em 2017, Drauzio Varella encerra a trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com o livro Prisioneiras. Nessa obra, o médico coloca as mulheres encarceradas como protagonistas. Durante onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, Drauzio entrou em contato com mais de duas mil detentas. O livro traz a história de várias dessas mulheres que são esquecidas pelas famílias.

Assim como no Carandiru, um código de leis não-escrito existe para reger o comportamento das prisioneiras. A obra carrega um relato franco sobre a dinâmica e os relacionamentos presentes na penitenciária feminina. Para o final da trilogia, Prisioneiras carrega a mesma disposição e sensibilidade do autor presente nas outras obras para descrever um assunto tão polêmico para a sociedade como a vida de quem está atrás das grades.

Título originalPrisioneiras
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas296
Primeira publicação2017

Por um Fio: quando a vida pode estar perto do fim

O mesmo narrador sensível e cuidadoso que trata das histórias reais de prisioneiros traz agora histórias tocantes sobre o impacto da perspectiva da morte no comportamento de pacientes e da família. Especializado em oncologia, Drauzio consegue retratar as questões delicadas que envolvem o câncer, mesmo quando a doença estava no início de sua descoberta e era chamada de “aquela doença”.

A obra traz histórias de aceitação, desespero, descoberta, surpresa, revolta, entre outras sensações que perpassam quem tem que lidar com uma doença que pode levar à morte. O médico conta episódios surpreendentes de mudança de vida, como se a visão da morte funcionasse como um divisor de águas e desse um novo sentido para a vida que ainda resta.

Título originalPor um Fio
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas224
Primeira publicação2004

Uma das atividades que eleva a alma humana e dá equilíbrio para a vida: Correr

Neste livro, Drauzio traz detalhes sobre uma atividade que ele acredita ser o que lhe dá equilíbrio para enfrentar os desafios da vida: correr. Na obra, o médico conta como e porque decidiu começar a praticar essa atividade física que encanta milhares de pessoas.

Em Correr, Drauzio relata o desafio de encarar a sua primeira maratona, e traz um panorama da história das corridas desde sua origem na Grécia Antiga. Também coloca no livro informações médicas sobre a atividade. Leitura fundamental para quem quer ser ou já é um corredor.

Título originalCorrer
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas208
Primeira publicação2015

Reflexões em forma de crônicas sobre crimes, questões sociais e episódios cotidianos em A Teoria das Janelas Quebradas

O livro é um pouco diferente das outras obras de Drauzio, porque traz crônicas com um delicioso tom de conversa de bar. Nele, o autor demonstra ter domínio da narrativa curta, desenvolvendo uma situação de maneira leve e rápida e concluindo de maneira imprevisível.

Drauzio traz histórias de traições amorosas, episódios cômicos e assuntos diversos como indústria do cigarro e corrupção. Em diversos textos, o médico assume postura crítica ou procura desmitificar ideias falsas. Também traz fatos novos no que diz respeito a transmitir informações científicas novas com linguagem simples. Nessa obra, Drauzio Varella coloca a vida, em todas as suas formas, como a coisa mais importante.

Título originalA Teoria das Janelas Quebradas
EditoraCompanhia das Letras
Número de páginas228
Primeira publicação2010

Leia também: