Dia da Toalha: 10 livros que todo Geek precisar ler

Prepare-se para o Dia do Orgulho Nerd com os melhores livros!

Dia da Toalha: 10 livros que todo Geek precisar ler
Luiza RamalhoEditor(a)

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Dia 25 de maio é um grande dia para a cultura nerd. se você não sabe por que, não entre em pânico! Nós te ajudamos a entender!

Coincidentemente comemorado no mesmo dia da primeira exibição de Star Wars no cinema, o Dia da Toalha, que era para ser uma homenagem a Douglas Adams, autor de O Guia do Mochileiro das Galáxias, acabou se tornando o Dia do Orgulho Nerd!

Para quem está se perguntando o por quê da toalha, a resposta está no próprio Guia! Para os viajantes intergalácticos, a toalha é o objeto mais importante: pode ser usada como agasalho, como cama, pode-se dormir debaixo dela, alguns usam suas toalhas como armas de combate quando estão úmidas, dá também para usá-la como velas, quando quiser atravessar uma correnteza. Os usos são infinitos!

E se você acabou ficando mais perdido do que encontrado, vamos logo começar essa lista, pois algumas perguntas serão respondidas! Não se esqueça de pegar sua toalha!

A estrela que dá nome ao dia: O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias

Arthur Dent é um pacato cidadão da terra que fica enfurecido quando descobre que sua casa será demolida para a passagem de uma via expressa. E qual não é sua surpresa quando descobre que esse é o menor de seus problemas, já que o próprio planeta terra será demolido para a passagem de uma via expressa hiperespacial. Sorte dele que seu melhor amigo é um alienígena chamado Ford Perfect, que sabe como sair daquela situação!

Nonsense demais para você? Então se prepara, por que isso é só o começo! Nessa trilogia de cinco livros, a falta de noção impera! E essa é a graça da coisa: entramos em um universo totalmente bizarro, mas absolutamente divertido. O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias reúne os cinco livros da saga em um só, para facilitar nossa vida e conseguirmos carregar nossa toalha por aí!

Clique aqui e entenda o que o Dia da Toalha e o livro O Guia do Mochileiro das Galáxias têm em comum

Título originalThe Hitchhiker's Guide to the Galaxy
AutorDouglas Adams
TraduçãoCarlos Irineu da Costa, Marcia Heloisa Amarante Gonçalves e Paulo Henriques Britto
EditoraArqueiro
Número de páginas672
Primeira publicação1979

Duna: o clássico dos clássicos

Se você se considera nerd e ainda não leu Duna, volte duas casas! Uma das principais obras da ficção científica, Duna revolucionou o gênero, por construir um mundo que passa longe das tecnologias futuristas e se afunda em misticismo e fantasia. Cheio de detalhes sobre os personagens e os cenários construídos, a obra nos apresenta uma leitura densa, mas uma história muito bem contada.

Quem é fã de Star Wars e Game of Thrones, deve agradecer a Frank Herbert por ter escrito o livro! Uma obra atemporal que influenciou as posteriores, com vermes gigantes, planetas desertos e um universo ficcional cheio de particularidades. Os personagens são bem criados e a relação entre política e religião constroem uma trama muito bem montada. É uma narrativa de encher os olhos.

Clique aqui e confira os melhores livros sobre a Saga Star Wars

Título originalDune
AutorFrank Herbert
TraduçãoMaria do Carmo Zanini
EditoraAleph
Número de páginas544
Primeira publicação1965

Fonte de inspiração até os dias atuais, Eu, Robô é um livro necessário!

Você já teve curiosidade de saber como seria um mundo dividido entre homens e máquinas? Em 1950, o autor Isaac Asimov escreveu Eu, Robô, um livro de contos interligados entre si que contam a história da empresa U.S. Robots & Mechanical Men. Além do panorama muito didático da relação entre humanos e robôs, Asimov também cria as 3 Leis da Robótica, que vão ser usadas em várias obras futuras.

Eu, Robô foi um marco para a ficção científica, dando um novo olhar às máquinas, que conquistaram o público. Os personagens são instigantes, tanto que ficaram na mente de uma geração de novos escritores e cineastas, que os usaram de inspiração para construir novas obras aclamadas pelo público! Apesar de os contos terem sido escritos nas décadas de 40 e 50, seus temas continuam muito atuais.

Título originalI, Robot
AutorIsaac Asimov
TraduçãoAline Storto Pereira
EditoraAleph
Número de páginas320
Primeira publicação1950

Uma das franquias mais icônicas do cinema foi inspirada no livro O Planeta dos Macacos

O ano era 1963. Pierre Boulle publicava sua história distópica que resultaria em uma das franquias mais bem sucedidas do cinema: Planeta dos Macacos. Invertendo papéis e colocando os macacos como seres mais desenvolvidos que os humanos, Boulle criava uma das narrativas mais importantes para a história da cultura pop!

Pierre Boulle descreve esse novo mundo com muita naturalidade, nos fazendo crer na sua existência. Apesar de curto, o livro consegue abordar vários temas em uma linguagem simples, ideal para quem não tem muito costume de ler ficção científica.

Título originalLa Planète des Siges
AutorPierre Boulle
TraduçãoAndré Telles
EditoraAleph
Número de páginas216
Primeira publicação1963

Para os fãs de cyberpunk, Neuromancer

Quem é fã de Matrix e ainda não conhece Neuromancer está fazendo isso errado! Considerado o pai do cyberpunk, no livro de William Gibson conhecemos Case, um hacker (também chamado de cowboy do espaço) que acaba sendo proibido de entrar no mundo virtual e é obrigado a cometer pequenos delitos para sobreviver. Para conseguir voltar à matrix, Case entra em uma jornada que vai mudar sua percepção de realidade.

A obra foi escrita em 1984, mas consegue prever a relação entre humanos e a tecnologia de forma muito precisa! Prepare-se para entrar em uma narrativa complexa e descritiva, mas que te recompensa com uma história de tirar o fôlego!

Título originalNeuromancer
AutorWilliam Gibson
TraduçãoFábio Fernandes
EditoraAleph
Número de páginas304
Primeira publicação1984

Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, fica aí o questionamento

A primeira vista, o nome deste livro pode te soar estranho! Mas a adaptação dele para o cinema pode clarear sua mente: Blade Runner. Um dos grandes sucessos da ficção científica foi baseado no livro de Phillip K. Dick, Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? (sim, o título é uma pergunta).

Nele nós conhecemos Rick Deckard, um caçador de recompensas que está tentando mudar de vida e, para isso, aceita a missão de perseguir e aposentar seis droides que estão foragidos. O cenário é um mundo pós-apocalíptico, devastado e coberto por poeira radioativa. Com uma narrativa sombria e perturbadora, Phillip K. Dick nos faz refletir sobre a natureza da vida, as religiões, a tecnologia e a nossa própria humanidade.

Título originalDo Androids Dream of Electric Sheep?
AutorPhillip K. Dick
TraduçãoRonaldo Bressane
EditoraAleph
Número de páginas336
Primeira publicação1968

Como Orson Welles apavorou Nova York com a história de A Guerra dos Mundos

Imagina que você é um cidadão americano, está em sua casa ouvindo alguma coisa no rádio, em 1938, quando Orson Welles começa a falar que a cidade está sendo atacada por alienígenas. Nova York entrou em pânico, mas a história que Welles contou era apenas uma reprodução do que tinha lido em A Guerra dos Mundos, de H. G. Wells.

Um dos primeiros livros sobre invasão alienígena já escritos, A Guerra dos Mundos ganhou algumas adaptações para o cinema, sendo a mais conhecida atualmente dirigida por Steven Spielberg, em 2005. A narrativa muito bem construída continua atual mesmo depois dos mais de 120 anos. Nela, ficamos frente a frente com o horror pelo desconhecido e o temor pela morte. A edição da Nova Fronteira é especial, e traz consigo algumas das famosas ilustrações de Henrique Alvim Corrêa.

Título originalThe War of the Worlds
AutorH. G. Wells
PrefácioEstevão Ribeiro
EditoraNova Fronteira
Número de páginas224
Primeira publicação1898

Frankenstein e a mãe da ficção científica

Se vamos falar de pioneirismos, não podemos deixar de lado a mãe da ficção científica: Mary Shelley. Com apenas 19 anos, desafiada pelo poeta Lord Byron, a jovem autora ensaiou o que viria a ser um dos romances mais importantes do gênero: Frankenstein. Byron pediu que seus amigos escrevessem uma história perturbadora e assombrosa, e o que pode perturbar mais do que um homem-cadáver-gigante-monstruoso?

No livro, acompanhamos a jornada do cientista Victor Frankenstein, que dá vida à matéria inanimada e depois não sabe o que fazer com ela! Influenciada pelo romance gótico e pelo poema Paraíso Perdido, de John Milton, Shelley criou uma narrativa que serve de inspiração para diversas obras até hoje.

Título originalFrankenstein: or the Modern Prometheus
AutoraMary Shelley
TraduçãoMárcia Xavier e Carlos Primati
CapaRetina 78
EditoraDarkside Books
Número de páginas304
Primeira publicação1818

2001: Uma Odisséia no Espaço e um fenômeno na terra

Uma das cenas mais icônicas da ficção científica é aquela onde homens-macacos se impressionam com a aparição de um objeto retangular em seu território, que ficou conhecido como monólito. Essa cena faz parte do filme 2001: Uma Odisséia no Espaço. Enquanto o diretor Stanley Kubrick fazia seu trabalho como cineasta, Arthur C. Clarke ia escrevendo conjuntamente um livro de mesmo nome, que foi publicado logo após o lançamento do filme. E assim nasceram duas das mais importantes obras da ficção científica.

2001 traz uma narrativa que lida com a evolução humana, existencialismo, tecnologia, inteligência artificial e vida extraterrestre. A história é baseada em vários contos de Clarke, mas especialmente em The Sentinel, publicado em 1948.

Título original2001: A Space Odyssey
AutorArthur C. Clarke
TraduçãoFábio Fernandes
EditoraAleph
Número de páginas336
Primeira publicação1968

Conheça a sociedade “perfeita” de Admirável Mundo Novo

Aldous Huxley deve ser o maior pessimista do mundo. Só assim para conseguir construir um futuro onde crianças são criadas em laboratórios e condicionadas a agir da forma que sua casta pede. Um mundo onde cada ser humano tem uma função e o único alívio vem de uma droga chamada Soma. O conceito de pai não existe mais, a comida e os sentimentos são sintéticos. Nos fazem pensar que a sociedade perfeita não é tão perfeita assim.

Leitura obrigatória para qualquer fã de ficção científica (e para os que não são também, diga-se de passagem), Admirável Mundo Novo é um livro que contesta a sociedade e traz à luz questionamentos filosóficos sobre o ser humano e a tecnologia. Apesar de ter sido escrita na década de 30, a obra é muito atual e, também por isso, altamente recomendada.

Título originalBravel New World
AutorAldous Huxley
EditoraBiblioteca Azul
Número de páginas312
Primeira publicação1932

Leia também: