Home office: dicas de proteção para o notebook no trabalho remoto

Em tempos de home office por conta do coronavírus, usuários devem usar estratégias para evitar ataques virtuais.

Home office: dicas de proteção para o notebook no trabalho remoto
Felipe BritoEditor(a)

Publicado e atualizado 3 min. de leitura.

O trabalho remoto, ou home office, está sendo adotado em diversas empresas como meio de prevenção contra o coronavírus. Muitas profissionais não têm dificuldade de realizar tarefas em casa ou em diferentes lugares por causa das possibilidades de conectividade, como o 4G e o Wi-Fi. No entanto, é preciso proteger o notebook de ataques maliciosos que se aproveitam da falta de segurança de alguns usuários.

O notebook, que pode se conectar remotamente, precisa seguir algumas recomendações para evitar prejuízos como phishing, espiões e até mesmo golpes financeiros. Veja abaixo dicas para ser produtivo no trabalho sem arriscar o seu dispositivo:

Leia também:

1. Escolha a rede Wi-Fi com cautela

De acordo com a IBM, é muito fácil para um cibercriminoso se hospedar em redes Wi-Fi que são acessadas de maneira pública para roubar informações financeiras confidenciais, como senhas de banco ou cartão de crédito. A espionagem digital deixa vulnerável até mesmo redes legítimas em estabelecimentos de confiança.

O ideal é sempre evitar redes públicas e usar uma VPN para garantir uma proteção maior, até mesmo em casa. Caso você não precise se conectar, é melhor desligar o Wi-Fi, o Bluetooth e as conexões automáticas do seu notebook e demais aparelhos.

2. Tenha atenção nos documentos e redes de impressão compartilhadas

Aparentemente trechos de documentos profissionais e mensagens não têm nenhuma utilidade e são consideradas inofensivas, porém criminosos conseguem juntar diversas informações sobre você por meio desses arquivos. Então, qualquer documento impresso deve ser devidamente guardado até que seja destruído.

Quando você for armazenar arquivos digitais, utilize os recursos aprovados pela sua empresa. Evite impressoras públicas ou compartilhadas, pois não são recomendadas para a impressão de documentos confidenciais.

3. Tenha cautela com os arquivos digitais

Conforme as orientações da sua empresa, mantenha o sistema operacional do seu notebook ou computador atualizado. Dessa maneira, ele sempre estará em dia com os recursos de segurança necessários.

Fazer backups dos arquivos com regularidade é outra recomendação indispensável para que os seus dados permaneçam seguros se algum erro, perda, ataque cibernético ou dano acontecer com o seu dispositivo. Verifique com a sua empresa quais as ferramentas adequadas para o armazenamento na nuvem e assim não usar alguma desaprovada sem estar ciente.

Arquivos confidenciais precisam ser guardados de maneira segura para evitar acessos fraudulentos (Foto: Reprodução/Shutterstock)
Arquivos confidenciais precisam ser guardados de maneira segura para evitar acessos fraudulentos (Foto: Reprodução/Shutterstock)

4. Proteja-se com senhas

Senhas são fundamentais para a proteção, então verifique se as combinações de caracteres escolhidos não são tão óbvias. Um gerenciador de senhas pode ajudar você a montar um código com palavras, números e demais caracteres que sejam difíceis de deduzir ou adivinhar. Nunca deixe os seus aparelhos desprotegidos e desbloqueados longe.

Quem clica em qualquer link tem grandes chances de sofrer um ataque de phishing, técnica cibercriminosa para obter informações confidenciais de vítimas virtuais, que são levadas a acreditar que o link é de uma entidade, empresa ou pessoa.

O relatório IBM X-Force Threat Intelligence Index 2020, que investigou e descobriu a evolução de técnicas cibercriminosas, indica que o phishing, no ano de 2019, teve uma eficiência inicial de infecção em um terço dos casos. Os criminosos do mundo virtual buscam se passar por marcas através de falsificações de empresas de tecnologia, mídias sociais e streaming de conteúdos audiovisuais.

Leia também: