Entenda antes de comprar em Notebook

Guia de Compras: qual notebook comprar?

Saiba tudo o que é importante na hora de escolher o melhor notebook para você.

Notebook
por Felipe Brito - Especialista em Tecnologia.

Escolher qual o melhor notebook para comprar nem sempre é uma tarefa fácil. São diversas opções de configurações, características, fabricantes e outros detalhes que podem causar algumas dúvidas.

O primeiro passo para fazer a escolha certa é pensar em como você vai usar o notebook. Assim, você pode escolher um modelo que tem tudo o que você precisa, sem gastar mais por recursos que não vai usar.

Além disso, também é importante saber o que significam as configurações e características informadas em cada modelo, as principais diferenças entre elas e, principalmente, quais são suas aplicações no dia a dia.

Para te ajudar, montamos um guia completo para quem quer escolher o melhor notebook, com todos esses detalhes bem explicados. Dá uma olhada:

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

1. Tipos de Notebook

1.1 2 em 1

1.2 Mac Book

1.3 Chromebook

1.4 Netbook

1.5 Ultrabook

2. Processador

2.1 Intel

2.1.1 i3, i4 e i5

2.1.2 Pentium

2.1.3 Celeron

2.2 Ryzen

3. Tela

3.1 Resolução: HD, Full HD ou 4K?

3.2 Brilho e HDR

3.4 Antirreflexiva

3.5 *Tamanhos*

3.5.1 7” a 12.1”

3.5.2 a partir de 13.3″

3.6 *Resolução*

3.6.1 HD, Full HD ou 4K?

3.7 Tela sensível ao toque

3.8 Tela Antirreflexiva

5. Memória RAM

5.1 Qual a memória RAM ideal: 2GB, 3GB, 4GB, 6GB...?

5.2 Memória M2

5.3 O que é memória Intel Optane?

6. Alto-falantes

7. Armazenamento

7.1 HD ou SSD?

8. Placa de Vídeo

8.1 Compartilhada (On-board) ou Dedicada (Off-Board)?

8.2 AMD Radeon e Nvidia Geforce?

8.3 Placas de Vídeo para Jogos

9. Entradas

9.1 HDMI

9.2 UBS 2.0 USB 3.0 e USB-C

9.3 DVI

9.4 Firewire

9.5 Cartão de Memória

9.7 O que é entrada LAN?

10. Conectividade Wi-Fi e Bluetooth

11. Drive de Blu-ray Disc

12. Bateria

13. Sistema Operacional

13.1 Windows 10

13.2 Linux

13.3 Chrome OS

13.4 Mac X

14. Recursos Extras

14.1 Teclado Retroiluminado

14.2 Leitor Biométrico

14.3 Touchpad

14.4 Reconhecimento Facial

14.4 WebCam

15. Qual a melhor marca de notebook?

15.1 Dell

15.2 Asus

15.3 Lenovo

15.4 Samsung

15.5 Acer

15.6 Apple

16. Qual notebook comprar?

16.1 Entretenimento, como música e filmes?

16.2 Viagem ou muito trabalho móvel?

16.3 Muito trabalho gráfico ou multimídia ou jogos

16.4 Para obter o melhor desempenho

17. Faixa de preços

17.1 R$ 900 até R$ 1.500

17.2 R$ 1.500 até R$ 3.000

17.3 R$ 3.000 até R$ 5.000

17.4 Acima de R$ 5.000

18. Quando comprar um notebook novo?

1. Tipos de notebooks

É possível que, logo no início da busca pelo melhor notebook, você se depare com nomenclaturas diferentes, como Ultrabook, Chromebook ou 2 em 1. Todos eles apresentam as características básicas de um notebook, mas com prioridades diferentes.

notebook 2 em 1

1.1. Notebook 2 em 1

Notebook ou tablet? Basicamente, o notebook 2 em 1 apresenta o melhor dos dois mundos, e pode ser usado de ambas as formas, seja com tela destacável ou com abertura de até 360º. No modo tablet, a navegação é por meio da tela touch, como em um smartphone.

Mas para digitar textos maiores, editar planilhas ou realizar outras ações que ficam mais fácil com o teclado, é só usar como um notebook, normalmente.

Muitas vezes, também é possível colocar a tela em posições intermediárias, como tenda, para apresentações e reprodução de filmes em streaming, por exemplo.

1.2. MacBook

Essa é fácil, os MacBooks são os notebooks da Apple. Simples assim. Esses modelos são bem conhecidos por seu desempenho gráfico, além do sistema operacional exclusivo Mac OS, mas já falamos mais sobre ele.

Vale saber que, normalmente, são indicados para quem pode investir valores mais altos em recursos avançados.

1.3. Chromebook

São notebooks mais simples, com sistema operacional Chrome OS, sobre o qual também vamos falar já. Os Chromebooks têm preços mais baixos e são bem levinhos. Em compensação, abrem mão de espaço de armazenamento.

É uma boa opção para quem quer um notebook para navegar na internet, acessar e-mail e exibir filmes em streaming, por exemplo. Aliás, a conexão com a internet é indispensável, já que até arquivos de texto e planilhas são salvos em sistemas de armazenamento em nuvem.

1.4. Netbooks

Os netbooks já foram descontinuados, mas alguns modelos ainda podem ser encontrados. São versões compactas de notebooks, tanto no tamanho e no peso, quanto nas configurações, que são bem simples.

Entretanto, as tarefas regulares, como armazenamento, acesso e edição de arquivos  e uso de outros programas leves, podem ser realizadas sem problemas.

1.5. Ultrabook

O nome Ultrabook foi criado pela Intel e, para receber essa classificação, o notebook precisa seguir uma série de requisitos, como ser fino e leve, trabalhar com processador Intel e apresentar espessura de até 25mm. Memória SSD e telas touch também são comuns nesses aparelhos.

O objetivo é oferecer modelos que apostem em boa autonomia de bateria e mobilidade, sem abrir mão de boa configuração. Porém, muitas vezes as características são um pouco mais modestas do que em notebooks da mesma faixa de preço.

Vale lembrar dos notebooks ultrafinos, que também apostam em mobilidade, mas não seguem todos os requisitos da Intel para serem classificados como Ultrabook.

2. Processador

Pode-se dizer que o processador é o "cérebro do notebook". Ou seja, é o responsável por comandar todas as ações realizadas.

É nesse ponto em que você deve começar a considerar como você vai usar o notebook, já que processadores mais modestos vão lidar bem com tarefas simples, enquanto processadores avançados são indicados para tarefas exigentes.

notebook processador

2.1. Intel

A Intel é a maior fornecedora de processadores de notebooks atualmente, e suas CPUs estão presentes em modelos das mais variadas fabricantes. Mas os próprios processadores Intel se diferenciam em diferentes categorias.

2.1.1. Intel Core i3, i5, i7 e i9

A linha Intel Core é a mais popular, presente em notebooks que vão desde configurações mais simples para o dia a dia até modelos dedicados a uso profissional exigente.

  • Intel Core i3 - São os processadores mais básicos da linha, indicados para tarefas simples, como edição de textos, navegar na internet e reprodução de filmes em streaming. Também consegue lidar bem com planilhas, mas arquivos maiores demoram um pouco mais a carregar.
  • Intel Core i5 - Os processadores intermediários da Intel, já indicados para lidar com programas um pouco mais pesados, como softwares de edição de imagens e alguns jogos. Garante alta velocidade de trabalho nas tarefas básicas.
  • Intel Core i7 - Esses processadores estão entre os mais avançados da marca, ideal para tarefas pesadas. Legal para quem vai jogar games mais elaborados, editar vídeos ou trabalhar com qualquer outro programa pesado com boa velocidade. Entre os Core i7, os que apresentam nomenclaturas HQ apresentam melhor desempenho gráfico.
  • Intel Core i9 - Lançado em 2019, foi apresentado pela Intel como o "melhor processador para games do mundo". Então, já dá para saber que seu desempenho é totalmente focado nos gráficos de jogos e programas de edições de vídeos em 3D ou 4K.


Aproveitando para tirar uma dúvida bem comum: entre um processador mais avançado de geração anterior ou um mais simples de geração atual, o mais avançado vai garantir maior ganho em desempenho.

2.1.2. Intel Pentium

Aqui entramos na categoria de entrada dos processadores Intel. Na prática, um processador Intel Pentium até pode realizar as mesmas tarefas que um Core i3, mas com desempenho mais lento.

Ou seja, o Intel Pentium pode levar mais tempo para realizar uma tarefa, como exibir arquivos ou carregar uma página da internet, principalmente com mais abas do navegador abertas.

2.1.3. Intel Celeron

Esse é o processador de entrada da Intel, o mais básico atualmente produzido pela marca, com desempenho simples, inclusive na parte gráfica.

Os processadores Intel Celeron são encontrados em modelos mais baratos de notebooks, trabalhando bem em tarefas como navegar em redes sociais e exibição de vídeos.

2.2. Ryzen

É a linha de processadores da AMD, maior concorrente da Intel em notebooks. Seus modelos foram desenvolvidos para competir com a linha Intel Core. Nesse caso, os mais avançados são os processadores Ryzen 7, seguidos pelo Ryzen 5 e pelo Ryzen 3, equivalente ao Core i3.

A AMD oferece, ainda, a linha AMD Athlon, que pode ser comparada aos processadores Pentium e Celeron da Intel, ou seja, os mais básicos e presentes em notebooks de entrada.

3. Tela

notebook tela

Além da definição, as características de tela dos notebooks incluem outras tecnologias de imagem, visualização e até navegação, com as telas touch. Também vale ficar de olho no tamanho, para garantir conforto durante as horas de trabalho, estudos ou distração.

3.1. Resolução: HD, Full HD ou 4K?

Assim como as TVs, as telas de notebooks também variam em resolução e, obviamente, quanto maior o número de pixels, mais ricas em detalhes são as imagens.

  • Tela HD - Com resolução de 1366 x 768 pixels, é suficiente para ver vídeos e filmes com boa qualidade de imagem e visualização confortável.
  • Tela Full HD - Aqui a resolução alcança 1920 x 1080 pixels, ideal para rodar jogos com visual mais detalhado e trabalhos de edição de imagens.
  • Tela 4K - Ainda pouco frequentes em notebooks, as telas 4K têm resolução de 3840 x 2160 pixels que ajuda na realização de trabalhos gráficos de altíssima precisão.

3.2. Brilho e HDR

A qualidade de imagem não é feita apenas da resolução. Então também fique de olho na taxa de brilho do seu notebook, já que, quanto mais alta, maior vai ser a precisão das cores. Normalmente, modelos com mais de 250 nits, garantem bons resultados.

Quem é ligado em alta tecnologia de imagem também pode procurar por notebooks com telas que tenham suporte a HDR, tecnologia que garante otimização de cores e contrastes.

3.3. Tela Antirreflexiva

Essa característica indica que o excesso de luz ambiente não atrapalha a visualização na tela no notebook. Em alguns casos, nem mesmo a luz direta do sol impede a boa qualidade de exibição.

Para saber se isso é essencial no seu dia a dia, considere os locais em que costuma usar o notebook.

Tente lembrar se, em algum momento, você precisou mudar a posição da tela ou teve problemas por conta da luz ambiente. Caso a resposta seja sim, vale investir um uma tela antirreflexiva.

3.4. Tamanhos de tela

O tamanho do notebook costuma ser definido pelo tamanho da tela. Logo, quanto menor a tela, mais compacto o aparelho. Já as telas maiores ganham em qualidade da visualização e mais espaço para área de trabalho.

3.4.1. Telas de 7" a 12.1'

As telas de 7 polegadas chegaram aparecer em alguns netbooks, mas não são mais comuns. Atualmente, os notebooks mais compactos têm telas com, pelo menos, 11".

Os Macbooks de 12" ajudaram nesse sentido, com mais fabricantes investindo em opções para quem foca em mobilidade. Entretanto, muitas vezes as demais configurações são modestas.

3.4.2. Tela a partir de 13,3"

As telas de 13,3 polegadas, também muito vistas em Macbooks, e 14" estão entre as mais comuns nos notebooks. Uma boa alternativa para quem busca equilíbrio entre boa visualização e facilidade de transporte do aparelho.

Depois estão as telas próximas de 15", também muito populares. Bem legal para quem prioriza visualização mais confortável, principalmente em exibição de streaming, jogos e trabalhos gráficos, mas ainda precisa levar o note na mochila de vez em quando.

Também é possível encontrar telas maiores, entre 17" e 18", as mais indicadas para quem raramente precisa transportar o notebook, mas faz questão de ótimo espaço para visualização e área de trabalho.

3.5. Tela sensível ao toque

Quando falamos dos notebooks 2 em 1, falamos sobre a navegação por tela, certo? Bem, nesse caso, é claro que uma tela sensível ao toque, ou touchscreen, é essencial.

Mas também é possível encontrar essa característica em modelo regulares, para que você possa alternar entre a navegação por mouse e teclado e por toque na tela, como nos smartphones, com sistemas operacionais otimizados para as duas alternativas.

4. Memória RAM

A memória RAM é uma memória temporária para as informações dos aplicativos, softwares e informações para uso imediato. Qualquer ação realizada no notebook ocupa uma parte da memória RAM.

Sendo assim, quanto maior for essa configuração, melhor será a capacidade do equipamento em lidar com várias tarefas abertas ou tarefas pesadas ao mesmo tempo.

4.1. Qual a memória RAM ideal: 2 GB, 4 GB, 6 GB, 8 GB ou a partir de 16 GB?

  • RAM de até 2 GB - É a memória RAM vista em modelos de entrada, indicados para atividades realmente simples, como navegar na internet e reproduzir vídeos em streaming.
  • RAM de 4 GB - Essa é a memória RAM mínima indicada para ter boa velocidade de trabalho com mais abas de internet abertas, editores de textos e planilhas.
  • RAM de 6 GB - Além das atividades regulares, permite a reprodução de jogos casuais, programas um pouco mais exigentes e multitarefas com melhor velocidade de trabalho.
  • RAM de 8 GB - É o mínimo indicado para trabalhar com jogos e programas pesados com bom desempenho.
  • RAM de 16 GB ou mais - Presente nos notebooks mais completos, já indicados para uso profissional.

4.2. O que é Memória M.2?

A memória M.2 é uma evolução dos SSD. Quando comparada ao SSD com conexão mSATA, o M.2 oferece vantagens como maior velocidade de trabalho, maior capacidade de armazenamento e tamanho compacto, o que deixa o notebook mais leve.

Além disso, o SSD M.2 também representa menor consumo de energia, além de ser compatível com interfaces SATA e PCI-Express.

4.3. O que memória Intel Optane?

Desenvolvida pela Intel, a memória Intel Optane juntou a memória persistente do SSD com a alta velocidade de leitura da memória temporária (RAM). Com isso, ela aumenta a velocidade do trabalho do disco rígido (HD) do notebook.

Mas atenção: esse elemento não substitui uma memória SSD ou HD. A memória Intel Optane, já disponível em alguns modelos, funciona em conjunto com o disco rígido, dando mais velocidade às ações realizadas no notebook.

5. Alto-falantes

Normalmente, os alto-falantes dos notebooks seguem um mesmo padrão de potência, que não é muito grande. Por conta de limitações físicas, também fica difícil incluir recursos de áudio mais avançados.

Mas quem busca mais atenção aos detalhes de som de filmes e jogos pode procurar por características como alto-falantes estéreos ou com áudio em 3D, que acompanha o movimento das imagens, aumentando a imersão.

Algumas fabricantes também incluem seus próprios recursos de otimização de áudio, principalmente em notebooks para jogos.

6. Armazenamento

As informações de armazenamento são relativas ao espaço para programas e arquivos do notebook, tanto aqueles essenciais para seu funcionamento, quanto o que você escolhe salvar ou baixar.

6.1. HD ou SSD?

Até alguns anos atrás, o armazenamento era sempre realizado com um HD, ou disco rígido (hard drive, em inglês). Essa ainda é a tecnologia mais encontrada, e, atualmente, a maior parte dos modelos já apresentam HD de 1 TB, equivalente a 1.024 GB, suficiente para guardar fotos, vídeos, arquivos e programas do dia a dia sem muitas preocupações.

O padrão mais encontrado é o de 5.400 RPM (rotações por minuto), mas HDs de 7.200 RPM também estão disponíveis em modelos mais avançados.

Com o tempo, o armazenamento em SSD, ou drive em estado sólido (Solid-State Drive, em inglês), começou a ganhar mais espaço nos notebooks.

Mas como seu custo é mais alto, muitas vezes ele aparece como um "suporte" ou HD nos chamados armazenamentos híbridos. Com capacidade entre 8 GB e 32 GB, o armazenamento em SSD auxiliar oferece mais velocidade na inicialização no notebook e no acesso aos arquivos.

Também é possível encontrar notebooks com armazenamento baseado 100% em SSD. As vantagens são a maior velocidade de trabalho e o menor risco de danos, além do peso reduzido.

Mas o custo é mais alto, mesmo que a capacidade não alcance os mesmos 1 TB dos HDs, como notebooks com armazenamento em SSD de 128 GB ou SSD de 512 GB.

7. Placa de vídeo

Também chamada de GPU, a placa de vídeo determina o desempenho gráfico do notebook. Isso não tem relação com a qualidade de imagem, mas com a capacidade de leitura de gráficos pesados, como os de jogos ou programas de edição de fotos e vídeos, por exemplo.

notebook placa de vídeo

7.1. Placa de vídeo compartilhada (on-board) ou dedicada (off-board)

As placas de vídeo compartilhadas, fazem parte da placa-mãe, por isso também são chamadas de placas de vídeo integradas. Esses modelos são indicados para as atividades mais simples, como exibição de vídeos (mesmo em Full HD) e programas que não são focados na alta qualidade gráfica.

Já as placas de vídeo dedicadas são peças independentes, que trabalham exclusivamente no desempenho gráfico. Elas são essenciais para o processamento dos gráficos de jogos e programas de edição de fotos e vídeos, por exemplo.

Mas, assim como os processadores, as placas de vídeo dedicadas apresentam diferentes capacidades. As mais simples, de até 2 GB, são suficientes para jogos casuais e uso do Photoshop, por exemplo.

Placas de vídeo intermediárias atuam melhor em jogos mais exigentes e edição de vídeos. Mas quem vai rodar os jogos mais complexos disponíveis ou trabalhar com edição em 4K ou 3D, por exemplo, deve investir nas placas de vídeo mais potentes.

7.2. AMD Radeon ou NVIDIA GeForce

Essas são as duas marcas de placas de vídeo mais atuantes no mercado, e ambas oferecem modelos que vão dos mais simples aos mais completos.

Na NVIDIA, as placas da linha RTX são as mais avançadas, indicadas para quem precisa de altíssimo desempenho e pode gastar mais por isso. Os modelos GTX 1080, GTX 1070 e a GTX 1060 ainda aparecem entre as chamadas high ends, indicadas para atividades pesadas.

Um pouco mais antiga, e com preços mais baixos, a série 900 vai funcionar bem com boa parte dos jogos, se esse for o seu objetivo, assim como as placas GTX 1050 Ti e 1050. Entre os mais simples, mas que já permitem bom desempenho em muitos dos games, está a GeForce MX150.

A série AMD Radeon tem custo mais baixo, e muitas vezes aparecem em notebooks para jogos de entrada. Entre elas, vale destacar a Radeon R9 M485X, de melhor desempenho, ou as Radeon R7 e R5, de custo reduzido, mas ainda bom resultado.

7.3. Placas de vídeos para jogos

Boa parte da busca por notebooks com placas de vídeo dedicada vem dos fãs de jogos. Felizmente, as opções são muitas, desde placas com custo mais baixo que já dão conta de alguns games, até as mais avançadas, para aqueles jogos cheios de nuances, texturas, detalhes e alta qualidade de imagem.

As placas de vídeo GeForce RTX 1080, RTX 1070 e RTX 1060, da NVIDIA, se encaixam nessa segunda categoria, ideais para quem busca alto desempenho.

Na categoria intermediária, é possível encontrar placas de vídeo com bom custo-benefício que trabalham bem em alguns games mais exigentes. Nesse caso, as placas NVIDIA RTX 1050, a linha RTX 900 e RTX 800 e as placas AMD RX 570 e RX 560 são boas alternativas.

8. Entradas

Dificilmente um notebook vai funcionar sozinho, já que acessórios e equipamentos como mouses, caixas de som ou mesmo impressoras e monitores costumam ser conectados ao aparelho.

Isso sem falar na transferência de arquivos. Por isso é importante considerar quais as entradas presentes nos notebooks.

notebook entradas

8.1. HDMI

A conexão HDMI permite o compartilhamento de imagens sem perder a qualidade digital de imagem. Nos notebooks, seu uso mais comum é conectar o aparelho a um monitor ou TV com tela HD, Full HD ou 4K. Basicamente todos os modelos atuais contam com porta HDMI.

Mas vale ficar de olho no padrão, já que as portas HDMI 1.4 e 2.0 são mais eficientes.

8.2. USB 2.0, USB 3.0 e USB-C

As portas USB dispensam apresentações, usadas na troca de arquivos com pen drives, smartphones e HDs externos, no receptor de dispositivos sem fio, como mouses, e até em impressoras e outros periféricos.

Boa parte dos notebooks atuais já apresentam portas USB 2.0, o padrão mais antigo ainda em uso, e o USB 3.0 ou superior (USB 3.1, por exemplo), que ganham em velocidade de transferência. Mas como eles têm a mesma interface, um dispositivo com USB 2.0 e outro com USB 3.0 são compatíveis, sem problemas.

Isso não ocorre com o USB-C, que tem um formato diferente no conector. Como esse tipo de conexão é muito encontrado em smartphones mais recentes, vale ficar de olho se é uma necessidade no seu dia a dia.

Se você ficar na dúvida, observe se o conector USB do seu smartphone pode ser encaixado em qualquer posição. Se a resposta for sim, é um USB Tipo C.

8.3. DVI

Em termos simples, a conexão DVI é o meio do caminho entre a conexão analógica VGA e a HDMI que, assim como a DVI, é baseado na tecnologia digital.

Boa parte dos equipamentos atuais deixou a conexão DVI de lado para adotar o padrão HDMI ou Display Port, mas alguns monitores, projetores e TVs ainda apresentam esse tipo de entrada.

Mais uma vez, considere quais equipamentos você costuma conectar ao notebook e veja se há necessidade de procurar por um modelo com conexão DVI.

8.4. Firewire

Assim como as conexões Lightning e Thunderbolt, variações do USB nos dispositivos da Apple, a conexão FireWire é encontrada em alguns modelos dos Macbooks. Mas essa tecnologia vem sendo deixada de lado até pela Apple, e é compatível com cada vez menos equipamentos.

8.5. Cartão de memória

A entrada para cartão de um notebook permite que a transferência de arquivos salvos em cartões de memória SD ou micro SD, usados principalmente por smartphones e câmeras ou filmadoras digitais, seja bem simples e rápida.

É só tirar o cartão e encaixar na porta do notebook. Por vezes, pode ser preciso usar um adaptador de cartão SD para Micro SD.

8.6. O que é entrada LAN

A entrada LAN, presente em praticamente qualquer modelo de notebook, deve ser usada por quem quer acessar a rede cabeada da internet local, sem depender da conexão sem fio Wi-Fi.

Sabe aquele cabo parecido com a conexão do telefone fixo que fica no roteador Wi-Fi? Esse é o cabo Ethernet, que deve ser conectado na porta de entrada LAN para acesso à internet cabeada.

9. Conectividade e Bluetooth

Sobre conexão com a rede Wi-Fi, você pode ficar tranquilo, já que ela está presente em qualquer notebook. Mas vale prestar atenção nos padrões compatíveis: o ideal é apostar em um modelo com Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac/ax. Isso quer dizer que ele vai poder acessar todas as gerações, inclusive as mais recentes, e mais rápidas, Wi-Fi 5 e Wi-Fi 6.

Já a conexão sem fio Bluetooth permite a comunicação entre o notebook e smartphones, speakers, Smart TVs e até impressoras ou teclados e mouses sem fio.

Nesse caso, a versão mais recente é o Bluetooth 5.0, mas qualquer versão vai funcionar bem com os demais equipamentos compatíveis.

notebook drive de dvd e blu-ray

10. Drive de DVD e Blu-Ray

O drive de leitor e gravador de DVD já foi obrigatório em um notebook, mas, atualmente, muitos modelos abriram mão dele, principalmente por economia de espaço. Como até mesmo a instalação de programas já costuma ser feita pela internet, essa ausência pode não causar nenhum problema.

Por outro lado, já é possível encontrar notebooks com drive para Blu-Ray, compatível com tecnologias de imagens mais avançadas.

Mais uma vez, a dica é considerar os seus hábitos do dia a dia. Você tem, ou pretende começar, uma coleção de Blu-Ray Discs de filmes e shows? Se tiver, e quiser ver esses discos no notebook, procure pelo drive.

11. Bateria

O consumo de bateria do notebook varia de acordo com as atividades realizadas ou mesmo a capacidade de desempenho. Modelos robustos para jogos e edição de imagens costumam apresentar um gasto mais alto, enquanto notebooks para tarefas simples, mesmo os modelos mais leves, apostam em maior autonomia.

Muitas vezes as fabricantes incluem essa informação na ficha técnica de seus notebooks, mas vale dar uma olhada nas avaliações. Quem tem o hábito de trabalhar com o notebook longe das tomadas deve procurar por uma duração de, pelo menos, 8 horas.

12. Sistema operacional

O sistema operacional é o responsável por definir a interface de trabalho e, em alguns casos, a compatibilidade com softwares e hardwares.

12.1. Windows 10

O Windows é o sistema operacional mais usado no mundo, sendo que a versão vista nos notebooks atuais é o Windows 10, que otimiza a navegação por tela touch e trouxe um Menu Iniciar renovado, além de novo gerenciamento de arquivos e tarefas. Sem muitos mistérios, ganha pontos pela familiaridade.

notebook windows 10

12.2. Linux

Embora esteja um pouco esquecido, o Linux ainda conta com uma base de fãs. Entre as principais vantagens apontadas, estão a licença gratuita, o desempenho mais leve em relação ao Windows e o sistema de open source, ou seja, fonte aberta, que oferece maior personalização. Por isso ele é lembrado como o preferido dos programadores.

Mas a compatibilidade com softwares, inclusive alguns jogos, e hardwares, pede atenção. Além disso, também vai ser preciso se adaptar a uma nova interface, o que torna a navegação mais complicada.

12.3. Chrome OS

Esse é o sistema operacional exclusivo dos Chromebooks, com aplicativos e programas baseados em nuvem que só podem ser acessados com uma conexão com a internet.

Em compensação, a navegação é bem simples e intuitiva, legal para acessar em sites, e-mails, ver filmes em streaming e editar arquivos simples armazenados na nuvem.

12.4 Mac OS

Finalmente, chegamos ao sistema operacional exclusivo dos Macbooks. Sua integração com os componentes de hardware do notebooks garantem ótimo desempenho, além de bons recursos de otimização de bateria. Assim como o Windows e o Chrome, oferece navegação super intuitiva e garante a melhor integração possível com aplicativos, recursos e outros dispositivos da Apple.

13. Outros recursos e funções extras do notebook

Chegou a hora de ficar de olho nos detalhes, com recursos de um notebook que podem atuar na segurança das suas informações ou deixar o trabalho mais produtivo.

13.1. Teclado retroiluminado

A função básica do teclado retroiluminado é facilitar o trabalho com o notebook em lugares escuros. Essa característica é muito vista em notebooks para jogos, mas também é útil para digitar e navegar mesmo sem luz ambiente.

13.2. Leitor biométrico

Assim como no smartphone, o leitor biométrico no notebook aumenta a segurança de seus dados e informações. Normalmente, os modelos com esse recurso podem usar a autenticação por impressões digitais para bloquear e desbloquear o acesso à área de trabalho, autorizar pagamentos e até acessar aplicativos.

13.3. Toutchpad

O touchpad reproduz o movimento de cursor e cliques do mouse na tela do notebook. Um touchpad de qualidade vai apresentar boa resposta aos movimentos e função multitoques na realização de ações como alternar entre aplicativos, dar zoom na tela ou alterar o volume do áudio. Mas essas possibilidades variam de acordo com o modelo.

13.4. Reconhecimento facial

Alguns notebooks dão um passo a mais na segurança e oferecem reconhecimento facial. Mais uma vez, o objetivo é garantir que ninguém acesse sua área de trabalho e arquivos sem autorização. Esse tipo de desbloqueio pode ser combinado com outras verificações, como senha e padrão na tela.

13.5. Webcam

A câmera integrada é outra característica presente em, praticamente, qualquer notebook no mercado. Normalmente, a definição de imagem é mais simples, mas suficiente para participação em chamadas ou conferências por vídeos.

14. Qual a melhor marca de notebook?

Apontar a melhor marca de notebook é bem relativo, já que a questão pessoal conta bastante nesse ponto. Mas é inegável que algumas fabricantes têm destaque no mercado, seja pela alta qualidade ou pela relação custo/benefício de seus equipamentos. Separamos algumas das mais bem conceituadas para você conhecer:

14.1. Dell

Sempre lembrados quando falamos em alta qualidade, os notebooks Dell costumam ganhar pontos pelo material, que garante boa durabilidade.

Além disso, conta com um bom sistema de suporte e assistência técnica. Esses pontos compensam o custo um pouco mais alto desses notebooks, já que oferecem o que há de melhor no mercado.

A Dell tem forte presença entre as categorias intermediárias e avançadas, ideal para quem busca ótimo desempenho.

Suas linhas mais famosas são os notebooks Dell Inspiron, com configurações variadas para o dia a dia, Dell G Series e Dell Alienware para jogos e alta performance, e Dell XPS, os notebooks premium da fabricante.

14.2. Asus

Com modelos que cobrem do uso básico aos gamers, os notebooks Asus costumam apresentar bom custo/benefício. Uma boa alternativa para quem busca notebooks com processadores como Core i5 ou Core i7, e possibilidade de placa de vídeo dedicada, com faixas de preços amigáveis.

A marca também oferece boas opções de notebooks para jogos e tarefas pesadas com os notebooks Asus VivoBook.

14.3. Lenovo

Nem sempre lembrada pelo mercado brasileiro, a Lenovo já levou o título de melhor marca de notebooks do mundo.

Sua linha mais famosa é a dos notebooks Lenovo Ideapad, que também contempla desde as necessidades mais simples do dia a dia, com modelos mais baratos, até notebooks avançados para as tarefas e games mais pesados.

Falando em jogos, a linha da marca focada nesse público é a Lenovo Legion, com direito a visual e estrutura robustos que acompanham os movimentos frenéticos de algumas partidas. Já os notebooks Lenovo Yoga são focados na mobilidade, com opções de notebooks 2 em 1.

14.4. Samsung

Embora muito lembrada por Smart TVs e Smartphones, ainda tem quem fique em dúvida sobre os notebooks Samsung. Mas a boa rede de assistência técnica da fabricante sul-coreana no Brasil e os equipamentos com design refinado e funcional, contam a seu favor.

Vale ficar de olho na linha de notebooks Samsung Essentials, para o dia a dia, Samsung Expert, para busca melhor desempenho, e Chromebooks Samsung, bem legais para quem pretende gastar menos um um notebook dedicado a atividades online.

14.5. Acer

Os notebooks Acer da linha Aspire, são os mais famosos e buscados da marca, com configurações para necessidades variadas do dia a dia. Outras linhas da fabricante são formadas por Ultrafinos, com os notebooks Acer Swift, notebooks 2 em 1 com a linha Acer Spin, e notebooks para jogos com os modelos Acer Nitro e Acer V Nitro. Entre os mais econômicos, estão os Acer Chromebooks.

14.6. Apple

Sim, os preços dos Macbooks costumam ser bem mais altos. Em compensação, os notebooks Apple oferecem altíssimo desempenho e ferramentas especialmente indicadas para quem trabalha com design e produção gráfica.

Até mesmo os modelos mais simples, como os Macbooks Air, que são focados em mobilidade, se destacam pela ótima velocidade de trabalho. Já os profissionais costumam dar preferência aos tops de linha Macbook Pro.

15. Qual notebook comprar

Se perdeu com todos esses detalhes e configurações? Sem problemas, podemos simplificar! Vamos mostrar o que deve ter um notebook de acordo com o seu uso cotidiano:

notebook entrada pra fone de ouvido

15.1. Entretenimento, como música e filmes

Se ver filmes, séries e vídeos em streaming é uma das atividades mais realizadas no notebooks, não tem motivos para investir em modelos avançados. Mas vale considerar um notebook com tela maior, de, pelo menos, 15,6". Os mais exigentes em relação à qualidade de imagem também podem buscar notebooks com tela Full HD.

Uma configuração com Intel Core i3 e memória RAM de 4 GB é suficiente para essas tarefas, além de segurar bem navegação em sites, edições de textos e planilhas, por exemplo.

Mas, quem preferir gastar menos, pode apostar sem medo em um notebook barato, com processador Intel Celeron ou Intel Pentium e RAM a partir de 2 GB. Outra boa opção de custo baixo é um Chromebook.

 

 

15.2. Estudos e atividades diárias

Essa é a categoria mais comum de notebooks, com características e preços que variam bastante. Vamos considerar atividades como navegação na internet, exibição de vídeos, trabalhos em textos e até edição de planilhas simples, além de outros programas leves.

Em um notebook com Core i3 e RAM de 4 GB, você já pode realizar essas tarefas sem dificuldades e com boa velocidade de trabalho. Mas um modelo um pouco mais avançado, com processador Core i5 e RAM de 8 GB, e até uma memória SSD, vai oferecer excelente desempenho nesses casos, bem legal para quem quer navegação ainda mais fluída.

 

 

15.3. Viagem ou muito trabalho móvel

Precisa estar sempre com o notebook por perto, em viagens e trabalhos fora de casa ou do escritório? Então um notebook leve é essencial. Nesse ponto, um Ultrabook ou Ultrafino é a melhor solução, principalmente aqueles que oferecem maior autonomia de energia.

Sobre a configuração, depende de cada caso, e vale considerar as mesmas indicações de configuração do tópico anterior.

Sem esquecer que, caso seu trabalho envolva tarefas mais pesadas, também é possível encontrar notebooks leves com processadores Core i5 ou Core i7, com RAM a partir de 8 GB e, em caso de trabalhos gráficos, placa de vídeo dedicada.

 

 

15.4. Muito trabalho gráfico, multimídia ou jogos

Aqui a configuração mais alta é indispensável. Para lidar com trabalhos gráficos e jogos mais exigentes, o ideal é que o notebook tenha, no mínimo, processador Core i5, RAM de 8 GB e, claro, uma placa de vídeo dedicada.

Se for possível, um modelo com processador Core i7, com RAM de 8 GB e uma boa placa de vídeo vai oferecer excelente velocidade de trabalho. Também vale ficar de olho em notebooks com memória SSD, mesmo que combinadas a um HD de maior capacidade.

 

 

15.5. Para obter o melhor desempenho

Agora, se o objetivo é ter o melhor desempenho possível, invista em um notebook com processador Intel Core i7 com RAM a partir de 12 GB. Memória SSD também é uma excelente característica.

Esses modelos também costumam apresentar placas de vídeo mais potentes, ideais para quem vai trabalhar com edição de vídeos ou rodar os jogos mais pesados.

 

 

16. Faixas de preços

Vamos separar, também, alguns notebooks de acordo com suas faixas de preço. É uma boa para saber quais características você deve encontrar dentro de um orçamento disponível.

16.1. R$ 900 a R$ 1.500

Nessa faixa de preço estão os notebooks de entrada, com configuração modesta, muitas vezes com processadores Intel Celeron e RAM de até 4 GB. Para trabalhos online, vale a pena considerar os Chromebooks.

 

16.2. R$ 1.500 a R$ 3.000

Aqui as opções já incluem notebooks intermediários, um pouco mais avançados e até alguns notebooks mais básicos para jogos. Essas características devem incluir processador Core i5 ou Core i7, RAM de 8 GB e mesmo alguns modelos com placa de vídeo dedicada, inclusive de fabricantes mais conceituadas, como a Dell.

 

16.3. R$ 3.000 a R$ 5.000

Com essa faixa de preço entramos na categoria de notebooks avançados, com processador poderoso, boa memória RAM, placas de vídeo potentes e extras como SSD. Também aparecem mais opções de notebooks 2 em 1, para quem quer mobilidade sem abrir mão de bom desempenho.

 

 

16.4. A partir de R$ 5.000

Bem, aqui estão os notebooks mais avançados do mercado, com direito aos conceituados Ultrabooks, Macbooks e notebooks profissionais tops de linha. Quem pretende investir no que há de melhor, com processador avançado, alta memória RAM, ótimo armazenamento, agilidade da memória SSD e até telas conversíveis, pode se preparar para ficar nessa faixa de preço.

 

 

17. Quando comprar um notebook novo?

É claro que boas promoções de notebooks podem aparecer a qualquer momento. Mas algumas épocas são especialmente favoráveis a encontrar as pechinchas.

O período da Black Friday, que é sempre na quarta sexta-feira do mês de novembro, costuma ser o melhor para encontrar descontos em notebooks. Afinal, dependendo da faixa de preço, uma redução de 10% ou 15% no valor pode representar uma grande economia.

Vale pegar o embalo e ficar de olho nos preços de notebooks nos meses seguintes, entre dezembro e janeiro. Muitas lojas aproveitam as vendas de Natal e a troca de modelos desse período para oferecer bons negócios e reduzir os estoques antigos.

Outra dica: com a chegada de novos modelos no mercado, as linhas anteriores podem apresentar uma boa queda no preço. Então, se souber que uma nova edição chegou às lojas, procure pelos modelos mais antigos.

Falando nisso, quem quer economizar deve fugir dos lançamentos. Logo que chegam às prateleiras, os valores costumam ser bem altos, mas podem cair depois de um tempinho. Tudo bem que ficar pode dentro dos recursos mais avançados é legal, mas em alguns casos, vale a pena esperar um pouquinho.

Confira o tutorial em vídeo:

O artigo foi útil?
Sim
Não
Obrigado!

Top 5 em notebook