Review Samsung Odyssey 2: um dos melhores notebooks gamer com RTX 2060

O titã da sul coreana conta com GPU e processador de alto desempenho, mas preço de R$ 9 mil pode assustar.

Murilo TunholiEditor(a)

Publicado e atualizado 10 min. de leitura.

O Samsung Odyssey 2 é o notebook gamer da Samsung equipado com placa de vídeo GeForce RTX 2060 e processador Intel Core i7 de nona geração na versão de alto desempenho (i7 9750H). Lançado em 2019, o laptop foi um dos primeiros a trazer a nova geração das GPUs da NVIDIA com suporte à tecnologia Ray Tracing ao Brasil. O preço, no entanto, é bastante salgado: começa a partir de R$ 9 mil para a versão mais potente.

Neste review, você vai ficar por dentro de como foi usar a versão top de linha do Odyssey 2 por pouco mais de um mês. Nos testes de performance do Zoom, rodamos os seguintes jogos: Assassin’s Creed Odyssey, Doom Eternal, Devil May Cry 5, Shadow of the Tomb Raider, Overwatch e Fortnite. Os resultados você confere nas linhas a seguir.

Leia também: Melhor notebook gamer em 2020: veja 7 modelos para comprar

Samsung Odyssey 2 é um dos melhores notebooks gamer do mercado. Foto: (Muril Tunholi/Zoom)
Samsung Odyssey 2 é um dos melhores notebooks gamer do mercado. Foto: (Muril Tunholi/Zoom)

Resumo da avaliação

Veja as notas que o Samsung Odyssey 2 obteve em nossa análise prática

Prós:

  • Hardware poderoso capaz de rodar qualquer jogo;
  • Resfriamento eficiente;
  • Tela rápida com frequência de 144 Hz;
  • Design estiloso e elegante;
  • Construção em metal.

Contras:

  • Ventoinhas barulhentas;
  • Notebook bastante pesado;
  • Tela com pouco brilho;
  • Preço muito caro.

Design

Construído em metal, o notebook é elegante e estiloso

O Samsung Odyssey 2 é elegante e estiloso. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)
O Samsung Odyssey 2 é elegante e estiloso. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)

No quesito “visual gamer”, o Odyssey 2 executa o que promete com muito estilo e elegância. Por fora, o laptop chama atenção por ser bastante fino e construído inteiramente em metal, sem deixar de lado a cara “gamer”. O peso, contudo, aumentou bastante por conta da estrutura metálica e do sistema de resfriação, chegando a 2,5 kg.

Logo na tampa, o aparelho tem o símbolo da linha Odyssey em uma textura muito bonita que imita mármore. Há também relevos que garantem ainda mais personalidade ao aparelho. Na parte de trás do notebook, as saídas de ar no padrão de grelhas ajudam na refrigeração e completam o estilo mais agressivo visto em máquinas do segmento gamer.

Quando aberto, o laptop já se mostra bastante diferente dos demais por conta da tela com dobradiça centralizada, que foge do padrão em que o display todo fica conectado à parte de baixo. O touchpad tem a mesma textura que imita mármore vista na tampa do aparelho, mas continua sendo uma mudança somente estética e não altera a qualidade ou a sensação ao toque do touchpad.

Por dentro, o Samsung Odyssey 2 conta com mouse pad estilizado. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)
Por dentro, o Samsung Odyssey 2 conta com mouse pad estilizado. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)

Em relação à geração anterior do Odyssey, lançada em 2017, que tinha carcaça de plástico e ficha técnica mais fraca, a Samsung investiu bastante tanto em componentes internos de alta performance quanto em materiais de qualidade na construção externa.

Como nem tudo são flores, há alguns aspectos da estrutura do notebook que deixam a desejar. A começar pelas entradas de ar que ficam acima do teclado. Elas acumulam poeira facilmente e precisam ser limpas com frequência. O teclado, por mais que seja retroiluminado, só tem opção de luz vermelha. Isso pode não ser um ponto negativo para alguns, mas é no mínimo decepcionante para um produto que custa mais de R$ 9 mil.

A tela, por mais que seja estilosa com a dobradiça centralizada, traz certa insegurança em relação à durabilidade do aparelho. Com pouco esforço é possível dobrar o display para os lados. Isso pode ser ainda mais preocupante caso você tenha o costume de levantar a tela pelas beiradas.

Tela

Display de 144 Hz é rápido, mas peca no brilho

A tela do Samsung Odyssey 2 tem alta resolução e contraste, mas peca no brilho em ambientes mais iluminados. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)
A tela do Samsung Odyssey 2 tem alta resolução e contraste, mas peca no brilho em ambientes mais iluminados. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)

Um dos pontos mais interessantes do Odyssey 2 é a tela de 15,6 polegadas com 144 Hz. No Brasil, poucos notebooks vêm equipados com displays de frequência alta e isso se torna uma característica forte para o notebook da Samsung. Mas, o que essa taxa significa?

Em poucas palavras, quanto mais alta for a frequência da tela, mais quadros por segundo (FPS, do inglês frames per second) ela vai exibir. Ou seja, em um display de 60 Hz, os jogos só vão mostrar até 60 FPS, independente se o game estiver rodando a mais quadros. Já em painéis de 144 Hz, é possível ver até 144 FPS, o que garante mais fluidez para as imagens.

Na prática, isso resulta em gameplays mais fluidas, principalmente em jogos onde muita coisa acontece em muita velocidade. Um exemplo é no Overwatch, um jogo de tiro em primeira pessoa em que a frequência alta da tela ajuda a ver o movimentos dos adversários com mais precisão. E não tem nada melhor que mais precisão em um jogo de tiro.

A frequência de 144Hz na tela promete melhorar a experiência em jogos mais rápidos. Foto: (Divulgação/Samsung)
A frequência de 144Hz na tela promete melhorar a experiência em jogos mais rápidos. Foto: (Divulgação/Samsung)

O lado negativo é que, por ser um painel mais caro que os convencionais, a Samsung precisou sacrificar o brilho da tela. Por isso, não é recomendado usar o Odyssey 2 para jogar em ambientes muito iluminados ou até mesmo ao ar livre. O mínimo de luz solar já pode estragar a sua experiência por completo.

Vale mencionar também que a unidade de testes emprestada para o Zoom apresentava um bug frequente na tela: Ao ser sair da hibernação com a tela fechada, o notebook ficava com a tela bastante esbranquiçada, como se faltasse saturação. O problema era resolvido ao fechar a tela e abrir novamente.

Desempenho em jogos

GeForce RTX 2060 é capaz de rodar todos os jogos disponíveis até hoje com tranquilidade

O Samsung Odyssey 2 roda todos os jogos lançados até hoje. Foto: (Muril Tunholi/Zoom)
O Samsung Odyssey 2 roda todos os jogos lançados até hoje. Foto: (Muril Tunholi/Zoom)

Agora vem a parte importante: como o Odyssey 2 se comporta rodando desde os jogos mais leves até os games mais exigentes com o recurso de Ray Tracing ativado. Nesses testes, focamos em trazer informações como temperatura da CPU, GPU e taxa de quadros média durante alguns minutos de gameplay.

Para começar, testamos o Fortnite, um jogo que é bastante leve e roda até mesmo nos computadores mais fracos. Nesse caso, o objetivo não é executar o game em resoluções maiores, mas sim chegar a 144 FPS para aproveitar a frequência da tela. Na configuração “Épico”, o notebook chegou a 90 FPS sem problemas. Para chegar à marca de 144, foi preciso diminuir a qualidade do jogo para “Médio”, pelo menos. A temperatura da CPU chegou a 92 graus e a da GPU atingiu 78º.

No Overwatch o resultado foi bastante diferente. Logo na configuração “Ultra” o jogo chegou a 175 FPS sem problemas. Em qualidades mais baixas, é possível ter taxas ainda maiores de quadros. Assim como no Fortnite, as temperaturas ficaram em 92 e 78 graus para a CPU e GPU, respectivamente.

Passando para os jogos mais pesados, o objetivo é alcançar boas taxas de quadros por segundos sem perder qualidade gráfica. Em jogos que suportam Ray Tracing, ativamos o recurso para ver até que ponto a RTX 2060 aguenta em um notebook.

Inicialmente testamos dois jogos de ação que tem gameplay acelerado: Doom Eternal e Devil May Cry 5. Ambos aproveitam tanto a qualidade gráfica alta quanto as taxas de quadros por segundo acima de 144 Hz. Para a alegria de muitos, o Odyssey 2 rodou ambos nas configurações mais altas a mais de 144 FPS e sem qualquer queda. Nos dois games as temperaturas também ficaram iguais: GPU em 70 graus e CPU em 90 graus.

Em jogos mais pesados e que exigem bastante do processador, a RTX 2060 teve algumas dificuldades. A começar pelo Assassins Creed Odyssey, que é um game bastante exigente por conta do mundo aberto. Na configuração “Muito alto”, o jogo atingia até 70 FPS, mas em alguns momentos apresentou quedas para até 45 FPS.

Assassin's Creed Odyssey rodando no Samsung Odyssey 2. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)
Assassin's Creed Odyssey rodando no Samsung Odyssey 2. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)

Em Shadow of the Tomb Raider, por ser um título que suporta Ray Tracing, testamos o recurso na ferramenta de benchmark nativa do game. Com a tecnologia desativada, o título alcança mais de 70 FPS sem problemas na configuração “Máxima”. Quando o Ray Tracing foi ativado, esses números caíram bastante, chegando a até 47 FPS nos modos mais altos de luz dinâmica.

Shadow of the Tomb Raider rodando no Samsung Odyssey 2 com Ray Tracing. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)
Shadow of the Tomb Raider rodando no Samsung Odyssey 2 com Ray Tracing. Foto: (Murilo Tunholi/Zoom)

Desempenho geral

Além da GPU poderosa, o processador de alto desempenho e o SSD tornam o notebook ideal para trabalhos muito exigentes

Por mais que o Odyssey 2 seja um notebook do segmento gamer, a máquina também é poderosa o bastante para rodar softwares que exigem componentes de alto desempenho, como editores de vídeo, ferramentas de design e programas de modelagem em 3D.

O processador Intel Core i7 9750H tem seis núcleos, pode trabalhar em até 12 threads e chega a 4,5 GHz de frequência. Em questão de processador, ele não vai te deixar na mão mesmo nas tarefas mais exigentes. O fato do chip ser hexa-core ajuda bastante durante a edição de vídeos e até mesmo em transmissão ao vivo de jogos.

O Samsung Odyssey 2 também é um notebook poderoso para trabalhar com softwares pesados. Foto: (Divulgação/Samsung)
O Samsung Odyssey 2 também é um notebook poderoso para trabalhar com softwares pesados. Foto: (Divulgação/Samsung)

Essa versão do Odyssey 2 vem com 16 GB de memória RAM e um SSD de 512 GB de fábrica. Esse pacote permite não só abrir os programas e o sistema operacional com muita velocidade, como também aguenta vários softwares abertos ao mesmo tempo.

A ficha técnica poderosa aliada ao visual que não chama tanta atenção quanto outros notebook gamer fazem com que o Odyssey 2 também seja uma boa opção de laptop para trabalhar.

Recursos extras

Odyssey Control e Samsung Settings são importantes, mas poderiam ser um software único

O Odyssey Control permite ativar filtros de tela, perfis de áudio e o modo Beast Mode, que promete aumentar a performance do notebook em até 15%. Foto: (Divulgação/Samsung)
O Odyssey Control permite ativar filtros de tela, perfis de áudio e o modo Beast Mode, que promete aumentar a performance do notebook em até 15%. Foto: (Divulgação/Samsung)

Aqui, vale falar sobre os programas de controle de desempenho do Odyssey 2, o Odyssey Control e o Samsung Settings. Ambos têm opções para deixar o notebook mais poderoso ou mais silencioso, dependendo da necessidade do momento.

O Odyssey Control é o mais completo. Ele oferece recursos de monitoramento de FPS, temperatura e uso dos componentes internos em tempo real, filtros de imagens que mudam a tonalidade das cores na tela, modos Dolby Atmos que prometem melhorar a qualidade do áudio e o mais importante: o Beast Mode, que, segundo a Samsung, aumenta em até 15% a performance do notebook em jogos.

Já o Samsung Settings é um pouco mais limitado, mas também tem funcionalidades úteis. A principal é ativar o modo silencioso, que diminui consideravelmente a velocidade das ventoinhas. Esse recurso é muito útil e recomendado na hora de assistir a séries e filmes no aparelho, já que o sistema de resfriamento do Odyssey 2 costuma ser muito barulhento.

As duas ferramentas são indispensáveis no caso do Odyssey 2, contudo seria mais interessante todas essas configurações estarem em um mesmo aplicativo. Não chega a ser um ponto negativo, mas é chato precisar abrir vários programas diferentes ao mesmo tempo para mudar poucos recursos.

Custo-benefício

Por ser um notebook poderoso e bem construído, o preço não é muito acessível

Por no mínimo R$ 9 mil, o Samsung Odyssey 2 é um investimento que precisa ser pensado. Foto: (Divulgação/Samsung)
Por no mínimo R$ 9 mil, o Samsung Odyssey 2 é um investimento que precisa ser pensado. Foto: (Divulgação/Samsung)

Os notebooks gamer no Brasil são famosos por não serem as opções mais baratas do mercado; e isso se repete com o Odyssey 2. Com preço mínimo de R$ 5,8 mil para a versão mais básica e R$ 9 mil para a edição mais poderosa, o laptop é um produto de luxo indicado para quem realmente precisa de um hardware potente em um aparelho portátil.

Se você não pretende se movimentar muito com o notebook, pode valer mais a pena investir em um desktop. É possível, por exemplo, montar um PC gamer tão poderoso quanto o Odyssey 2 gastando menos. É tudo uma questão de necessidade.

Caso você queira um laptop para levar ao trabalho, jogar em diversas partes da casa ou simplesmente precisa de um equipamento mais compacto, o Samsung Odyssey 2 é uma das melhores opções de compra atualmente.

Veredito: vale a pena comprar?

Samsung Odyssey 2 é um dos melhores notebooks gamer no mercado

O Samsung Odyssey 2 é, sem dúvidas, um dos melhores notebooks gamer na faixa de preço de até R$ 10 mil. Claro, não é todo mundo que pode pagar por uma máquina como essa, mas é uma boa opção para quem precisa de uma máquina potente para rodar os jogos mais recentes em boa qualidade e que seja portátil ao mesmo tempo.

Além de ser uma excelente opção para os gamers, o Odyssey 2 também é recomendado para profissionais que precisam de desempenho, como criadores de conteúdo, designers, arquitetos, entre outros. Neste caso, não vale comparar com um desktop para dizer qual a melhor opção, visto que o maior atrativo de um notebook é a portabilidade.

Por ser um modelo muito caro, é possível não encontrá-lo no varejo nacional com facilidade, principalmente durante o período de pandemia do novo coronavírus no mundo em 2020.

Encontre os melhores preços para as outras versões do Samsung Odyssey 2 no Zoom!

Confira o canal do Zoom no YouTube!

Leia também: