Automação residencial: saiba o que é uma casa inteligente

Já imaginou chegar em casa e a sala já estar limpa? Conheça a casa inteligente e a automação residencial

Maria Paula BrunoEditor(a)

Publicado e atualizado 4 min. de leitura.

Compartilhe:

Chegou em casa com todas as luzes apagadas, bateu palmas e pronto: sala iluminada. A intenção das smart homes é basicamente tornar as atividades diárias mais práticas e simples.

Nesse contexto, a automação acontece através de um sinal de internet e comandos infravermelhos, que conectam as frequências dos eletrodomésticos, e possibilita programar predefinições de uso, como, por exemplo, para assistir um filme: as luzes alteram automaticamente de cor e a TV liga no seu canal de streaming preferido. Tudo coordenado apenas pelo comando da sua voz. Quer entender melhor como funciona a automação residencial? Dê um Zoom que a gente te explica!

O que é uma casa inteligente?

A casa inteligente tem seus eletrodomésticos e funções controladas por voz ou pelo celular, incluindo a automação dos mesmos. (Imagem:Reprodução/Shutterstock)
A casa inteligente tem seus eletrodomésticos e funções controladas por voz ou pelo celular, incluindo a automação dos mesmos. (Imagem:Reprodução/Shutterstock)

Uma casa inteligente é um ambiente em que os eletrodomésticos e dispositivos conectados e integrados entre si, através da internet, funcionam com apenas um comando. Por exemplo, é possível controlar uma TV ou um ar-condicionado por comando de voz. Ou até mesmo ter uma geladeira que sinaliza o que precisa entrar na lista de compras, de acordo com o que acaba nas prateleiras.

Dentro desse universo, surge a automação residencial. A automação é uma maneira, um pouco mais complexa, de tornar alguns desses processos automáticos. Para ficar mais claro, podemos falar das fechaduras inteligentes, ou smart locks.

Existem modelos que permitem a abertura da porta através de aplicativos no celular. Alguém chega, você confere, mesmo distante, as câmeras de segurança, também pelo celular, e libera a entrada. Ou seja, esse hábito foi automatizado, uma vez que você não precisa mais estar perto do objeto para realizar a ação, assim como a possibilidade de criar ambientes, como Sala de Estar, por exemplo, e fazer com que todos os aparelhos inteligentes do local estejam funcionando em harmonia.

O objetivo da smart home é tornar sua vida mais prática. É claro que nem sempre é possível ter exatamente tudo tecnológico nesse nível, até pelo alto valor de instalação de alguns produtos. Porém, ter algumas dessas funcionalidades em casa não demanda um investimento tão absurdo assim, como é o caso dos smart speakers.

Como funciona a automação residencial?

Controle Remoto Inteligente Geonav, o HUB que, através de sinais infravermelhos, comanda parte da sua automação residencial. (Imagem:Divulgação/Geonav)
Controle Remoto Inteligente Geonav, o HUB que, através de sinais infravermelhos, comanda parte da sua automação residencial. (Imagem:Divulgação/Geonav)

Quando falamos do simples controle inteligente de eletrodomésticos, tudo começa com uma boa conexão de internet. Em seguida, entram as assistentes virtuais. Elas irão te auxiliar na execução de tarefas. Depois, você precisa dos controles universais, ou HUBs, e, claro, aparelhos domésticos compatíveis com a tecnologia de infravermelhos, para que sejam comandados por controle remoto.

A partir daí, a sequência é a seguinte:

  • Você dá o comando para a assistente, como a Alexa, da Amazon, ou a Google Assistente, do Google, por exemplo;
  • Ela o redirecionada para o controle remoto e ele, então, se conecta através de infravermelhos com os itens da casa.

Tudo acontece de maneira instantânea e rápida. É esse fluxo que torna possível ligar uma caixa de som apenas com a fala, no caso dos aparelhos não terem suporte sozinhos à assistente virtual.

Esse processo permite a predefinição de modos específicos que você mais utiliza no dia a dia. Você pode, por exemplo, avisar para a Alexa que chegou em casa e ela acender as luzes do cômodo, ligar a TV no canal preferido e acionar um som ambiente automaticamente, como um padrão predefinido para a sua chegada. A maioria desses serviços também permite controle através do celular ou tablet, se preferir.

Quando os aparelhos já tem suporte às assistentes pessoais, como é o caso da LG CX, por exemplo, é possível com a ajuda do smart speaker, ligar e desligar a TV, mudar de canal, aumentar o volume, dentre outras funções. E, claro, isso pode acontecer com outros dispositivos inteligentes que tenha em casa, como uma pipoqueira, por exemplo, desde que tenham suporte à assistente que está sendo utilizada.

Em relação às demais tecnologias, como as fechaduras ou sensores de presença, é preciso adquirir os produtos específicos, instalá-los e integrá-los com seu celular através da internet. Muitos deles não chegam com o controle infravermelho, pois já acompanham todos os dispositivos necessários para o funcionamento. Itens referentes à segurança, como câmeras, sensores de movimento etc. costumam ter bastante procura no mercado da automação.

Quer conhecer melhor os assistentes virtuais e ver se a popular Alexa vale a pena? Leia também: Melhor Smart Speaker 2020: confira 5 opções

Eletrodomésticos inteligentes

Geladeira Samsung Family Hub, exemplo de eletrodoméstico para sua casa inteligente. (Imagem:Divulgação/Samsung)
Geladeira Samsung Family Hub, exemplo de eletrodoméstico para sua casa inteligente. (Imagem:Divulgação/Samsung)

Se sua intenção não é necessariamente uma casa tão conectada e automatizada assim, é possível apenas comprar produtos que disponham de mais tecnologia e usufruir de seus benefícios.

Um dos modelos mais famosos, e mais caros, de geladeiras inteligentes no mercado é a Samsung Family Hub. Ela conta com uma tela na porta do refrigerador que avisa quais produtos estão acabando, informa a previsão do tempo, permite escrever notas e até mesmo fazer o espelhamento da tela do smartphone. Ou seja, é um pequeno alívio na rotina.

Outro item similar são os aspiradores de pó robôs. Alguns modelos permitem configuração à distância pelo celular e realizam a tarefa sem nem precisar de alguém em casa.

Conclusão

Uma casa inteligente pode ter vários níveis de complexidade, incluindo uma automação residencial completa ou mais simples. (Imagem:Reprodução/Shutterstock)
Uma casa inteligente pode ter vários níveis de complexidade, incluindo uma automação residencial completa ou mais simples. (Imagem:Reprodução/Shutterstock)

Portanto, a automação residencial tem vários níveis de complexidade. Você pode comprar eletrodomésticos mais tecnológicos ou até integrar sua casa inteira para ser comandada pela fala.

Alguns aparelhos são, relativamente, mais baratos, como as smart locks, e mais simples de instalar. Já outros, demandam maior investimento. E, claro, tudo depende do quanto você deseja tornar o lar mais conectado, e logo, inteligente e automatizado.

Leia também: