Seguro para celular: cinco coisas para ficar atento antes de contratar

Erros que você não deve cometer na hora de buscar um serviço como esses para seu smartphone

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 5 min. de leitura.

Compartilhe:

Não houve Carnaval por conta da pandemia e, consequentemente, menos smartphones foram roubados no meio da folia na multidão, mas mesmo assim, é importante estar atento à possibilidade de ter um seguro para celular. De acordo com números das Secretarias de Segurança, para se ter uma ideia, 27 aparelhos são roubados por hora no Rio de Janeiro e somente um a menos, 26, em São Paulo. E é por isso que a gente te explica qual o melhor seguro para celular e como escolher um sem cair em furadas.

Já estamos habituados a fazer seguros para carro, casa, entre outro. Mas ainda há muita gente que torce o nariz na hora de gastar pela proteção do smartphone. Afinal, o seguro para celular vale a pena? Existem boas opções no mercado? O que é preciso levar em consideração na hora de buscar tal serviço?

LEIA TAMBÉM: Como comprar celular? Saiba o que considerar na hora de escolher um modelo

Confira as dicas para contratar um bom seguro para celular (ImYanis/Shutterstock)
Confira as dicas para contratar um bom seguro para celular (ImYanis/Shutterstock)

É claro que, se você tem um aparelho já desgastado ou ainda cultiva o velho tijolão com o “jogo da cobrinha”, este não é o seu caso. Porém, como o mobile faz cada vez mais parte do nosso dia a dia, seja no trabalho ou na diversão, as pessoas têm investido uma quantia maior na compra do seu modelo. Os valores de seguro para celular sobem ou diminuem conforme modelo, marca, capacidade de armazenamento, preço do aparelho, entre outros aspectos.

Então, se você abriu a mão e comprou um smartphone de qualidade e não quer correr o risco de continuar pagando o aparelho - para o caso de ser parcelado - sem tê-lo nas mãos, a resposta é: sim, vale a pena gastar um pouco mais pela sua tranquilidade e contratar um seguro para celular.

SAIBA MAIS: Melhores celulares em 2021: 16 aparelhos para comprar no Brasil

Como todo seguro que você contrata, é importante não ler apenas a propaganda e estar atento às letrinhas miúdas do contrato. Não é só de dinheiro que se trata a economia, mas de dor de cabeça também. Existem vários tipos de seguro para celular. Os mais comercializados são os contra roubo, quedas e líquidos, além de quebra acidental. O cliente pode escolher uma das opções, em geral de pacotes mais básicos, ou um plano que abranja todas elas, o que também aumenta o custo final.

Para não errar na hora de escolher o melhor seguro para celular, o Zoom elenca alguns itens fundamentais que vão te guiar no momento de fechar o contrato.

CONFIRA TAMBÉM: Celular bom e barato em 2021: 8 modelos até R$ 1.200

Já imaginou como será o celular do futuro? Quer saber todas as novidades que os fabricantes estão preparando para os próximos anos? Leia a nossa reportagem especial e descubra!

Verifique as coberturas

São as tais letrinhas miúdas. Dependendo da empresa de seguro para celular, nem todos os riscos citados anteriormente estão contemplados. Mesmo em caso de roubos, pode haver diferenciação entre furto e roubo. Há também os que não consideram danos por negligência do dono como aptos a ressarcimento. Perca um tempinho e leia o contrato para não sofrer com surpresas desagradáveis no futuro.

LEIA TAMBÉM: Celulares Samsung baratos: 8 modelos para comprar em 2021

Compare os preços

É a regra de ouro para quem quer comprar ou contratar o que quer que seja. Entre nos sites das seguradoras, confira o preço de cada pacote, veja o que os concorrentes oferecem, se precisar ligue para tirar dúvidas, anote tudo e, principalmente, não tenha pressa. O valor do seguro para celular em geral é concebido a partir do valor do aparelho (podendo chegar a 25%). Esteja certo de que, ao fim de toda essa pesquisa, você fez a escolha certa.

Compare preços de celular no Zoom (Poravute Siriphiroon/Shutterstock)
Compare preços de celular no Zoom (Poravute Siriphiroon/Shutterstock)

Cheque o valor da franquia

Algumas empresas não cobram, mas a maioria tem um valor de franquia que será faturado no momento em que você precise acionar seu seguro. A taxa pode chegar também a 25% do valor total do smartphone, então é realmente importante que as contas sejam feitas para que o seguro para celular seja um bom negócio, e não uma furada.

LEIA TAMBÉM: Celulares mais vendidos em janeiro de 2021: Galaxy M51 é destaque

Fique atento ao período de carência

Outro fator importantíssimo é saber a partir de quando o seu mobile estará protegido. Enquanto algumas seguradoras oferecem carência zero, outras contam 30 dias para que somente então o cliente possa acionar a apólice. Certifique-se se foi esta realmente sua escolha, o que não é recomendável, mas eventualmente possa ser vantajoso no preço final do seguro para celular.

Procure uma empresa confiável

Outra regra fundamental. Se vale para tudo o que contratamos em nossas vidas, vale também na escolha do seguro para celular. Uma rápida busca na web e em sites de reclamações ajuda a descartar de cara algumas opções. Leia opiniões, comentários e críticas. Cheque se a empresa é fiscalizada pela Susep, órgão responsável pelo mercado de seguros. E sempre desconfie de preços muito abaixo dos praticados pela média do setor.

LEIA TAMBÉM: Celular Motorola barato: modelos por até R$ 1.000 em 2021

Boas opções de seguro para celular no mercado

Há cada vez mais opções no mercado de seguro para celular. A Pier, por exemplo, promete proteção em caso de roubo e furto simples ou qualificado, além de pagamento mensal no cartão de crédito com cancelamento a qualquer hora e sem pagamento de multa. É possível contratar o serviço pelo aplicativo, e ele começa a valer no mesmo momento, sem carência ou franquia. A Pier não exige nota fiscal do aparelho, que pode ser novo ou usado (ou mesmo comprado fora do Brasil). Queda acidental ou perda do smartphone, porém, não estão no contrato.

Ao contrário da Pier, a Porto Seguro oferece proteção também em viagens para o exterior. A empresa promete seguro para danos físicos por incêndio, batida de carro ou tentativa de roubo, e em subtração sob ameaça direta, além de problemas causados por descargas elétricas e líquido, de maneira acidental ou involuntária. Ela também protege aparelhos comprados fora do Brasil.

LEIA TAMBÉM: Melhores celulares em 2020: 20 smartphones para comprar no Brasil

A Ciclic, por sua vez, oferece proteção, além de roubo e furto, contra quedas, danos por líquido e oxidação. A empresa permite que o segurado escolha o número de parcelas e não cobra multa em caso de cancelamento. São 18 meses de contrato a partir do momento da compra, inclusive os adquiridos no exterior (também tem cobertura internacional). Em caso de troca, a entrega é realizada na casa do cliente.

As operadoras também oferecem seguros no momento da compra do celular. Neste caso, o procedimento é semelhante ao exposto neste texto. Saiba quem é a empresa parceira, siga todas as dicas do Zoom e faça um bom negócio!

LEIA TAMBÉM: Celular intermediário: os melhores aparelhos para comprar em 2021

Se você está em busca de um celular novo, veja abaixo algumas das ofertas entre os mais vendidos do Zoom:

Quer receber notificações quando um aparelho chegar no valor que deseja pagar? Crie um Alerta de Preço! Veja como abaixo: