Chapinha preta sendo usada em cabelo marrom

Como escolher a melhor prancha de cabelo?

Confira as dicas e saiba como escolher a chapinha de cabelo mais adequada para os seus fios

Redação - Zoom

Publicado e atualizado 5 min. de leitura.

Compartilhe:

Está em busca de uma prancha de cabelo para chamar de sua? Nada como essa ferramenta para ajeitar os fios lisos e ondulados em casa – dá para tirar o frizz, deixar o cabelo bem liso, apenas alisar algumas mechas ou até fazer cachos, com a técnica adequada. Além disso, a chapinha também consegue deixar uma escova de salão mais brilhosa e soltinha nos dias seguintes, por exemplo!

Antigamente, a chapinha de cabelo era feita de placas de alumínio e acabava com a saúde dos fios. No entanto, hoje a ferramenta possui revestimentos bem mais avançados e seguros, sendo usada até mesmo em procedimentos de reconstrução e tratamento. Elaboramos um Guia de Compras com uma série de dicas para te ajudar a escolher a melhor prancha para o seu cabelo!

Veja também a nossa seleção de melhores chapinhas do momento!

Que características devem ser levadas em conta no design da prancha?

Existe uma infinidade de modelos e marcas no mercado de chapinha, e o design acaba sendo uma decisão pessoal. Para começar, observe se o acessório é arredondado ou achatado e se tem detalhes ergométricos. Para não tornar o alisamento ou modelagem cansativos, opte por modelos leves, com menos de 900g.

É importante também prestar atenção ao comprimento do cabo. As chapinhas com 2m ou mais facilitam o alcance em qualquer ambiente. Muitos modelos possuem cabo elétrico giratório em 360°. Essa característica facilita a sua vida ao evitar que o cabo atrapalhe na hora de alisar o seu cabelo, como a prancha de cabelo MQ Professional MQ Pro 480, que tem ainda aquecimento rápido e constante e display digital. Suas placas de titânio se unem a um controle de temperatura que pode chegar a até 250ºC.

Qual a temperatura de prancha ideal para o meu cabelo?

No quesito temperatura, a escolha certa, sem dúvida, é por um tipo de chapinha que tenha opção de regulagem. Isso porque cada tipo de cabelo pede um calor diferente. Um dos melhores modelos com controle de temperatura também é a MQ Pro 480, com 17 níveis diferentes de calor que podem chegar até 250ºC.

Cabelos tingidos ou com química são os mais frágeis. Eles suportam temperatura máxima de 140ºC – mais alta que isso, a cor pode desbotar e os fios serem danificados. Quem tem cabelo fino não deve passar dos 190ºC. Já quem tem cabelos mais grossos e volumosos pode facilitar o processo chegando aos 220ºC. Na dúvida, fique com uma média entre 160 a 180°C, o ideal para a maioria dos cabelos.

Vale lembrar, no entanto, que a temperatura realmente transferida aos cabelos é um pouco mais baixa que a marcada na chapinha. Então, para garantir um alisamento mais eficiente, a temperatura máxima da chapinha pode ser um pouco acima da desejada.

O formato da chapinha de cabelo também é importante

Chapinha preta sendo usada em cabelo loiro
O modelo da chapinha deve ser adequar ao tipo de cabelo (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

Para cabelos grossos

Além da temperatura, é importante ter em atenção o formato da prancha de cabelo. As madeixas longas e volumosas, com fios grossos, terão um alisamento mais efetivo com uma chapinha maior. São aquelas com uma largura de mais de 4cm, que conseguem alisar uma quantidade grande de cabelos ao mesmo tempo.

Para cabelos finos

Os modelos mais estreitos têm a vantagem de serem mais fáceis de manipular, mas não alisam muitos fios de uma vez. Por isso, as pranchas entre 2,5 a 4cm de largura são as ideais para cabelos curtos e franjas. Outra aspecto positivo é ser fácil de transportar, perfeito para quem viaja muito.

As mais fininhas ainda têm a vantagem de modelar cachos e ondas. Basta pegar a ponta da mecha, prender entre na chapinha e enrolar o cabelo pelo lado de fora. Alguns modelos têm laterais desenhadas especialmente para fazer cachos, como a chapinha Taiff Diamante. Além de alisar, esse modelo tem cabo giratório e frisos externos que garantem um efeito ondulado ou com volumoso ao enrolar as mexas sobre a superfície.

Revestimento das placas da prancha de cabelo

Chapinha preta sendo usada em cabelo marrom
A chapinha é um excelente recurso pra quem busca um cabelo mais liso (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

Cerâmica

Outro ponto importante a se observar na hora de comprar uma chapinha: como escolher o revestimento. As pranchas de cerâmica são as mais acessíveis. Elas mantêm o calor equilibrado e a temperatura estável, evitando passar várias vezes na mesma mecha, o que facilita o processo e evita queimaduras. Elas deslizam mais facilmente pelo cabelo, evitando quebras no fio.

Titanium

A nanotecnologia de titânio ajuda na melhor condução do calor e promete uma maior saúde para os fios, reduzindo a ação de fungos, bactérias e radicais livres. Ele cauteriza os fios, mantendo a umidade e assim deixando o cabelo mais macio e brilhoso. A prancha de cabelo Babyliss Pro Nano Titânio apresenta tecnologia Pro Titanium com resistência de cerâmica, o que garante a proteção da estrutura do cabelo. O modelo também tem emissão de íons e controle de temperatura.

Turmalina

A prancha com placas de turmalina mantém a umidade do fio. Ela é uma das mais indicadas para cabelos quimicamente tratados ou ressecados. Ela oferece um aspecto mais saudável aos fios, combatendo o ressecamento e selando as cutículas. A chapinha de cabelo Mondial P-11 possui chapas de turmalina que potencializam a ação dos íons negativos, mantendo os fios saudáveis. Suas oito saídas de vapor permitem que o cabelo seja alisado mesmo úmido.

Safira

A chapinha de safira geralmente é mais fina e que tem melhor performance no quesito deslizamento pois tem superfície dura e lisa. É o material que cria menos atrito com os fios, evitando quebras durante o processo de alisamento.

Entenda as tecnologias de tratamento presentes na prancha

Íons negativos

Cada material de revestimento do acessório carrega uma determinada tecnologia de tratamento. A mais comum é a dos íons negativos, que ajudam a selar as cutículas dos cabelos. Sua maior qualidade é reduzir o efeito frizz, aqueles fios arrepiados insistentes e desagradáveis na finalização do penteado. Os íons também ajudam a manter a hidratação natural e os nutrientes dos fios, os deixando mais macios e brilhantes.

Infravermelho

Essa é a melhor opção de prancha para quem tem cabelos quimicamente tratados. Os modelos com infravermelho são os mais indicados, já que emitem uma radiação eletromagnética que ajuda a eliminar as toxinas que deixam os cabelos com aparência envelhecida e opaca. Essa tecnologia limpa os fios de dentro para fora, ativando moléculas de água da fibra do cabelo, deixando-os com a sensação de hidratação.

Dicas extras para escolher uma prancha de cabelo

Além das características descritas anteriormente, há outros detalhes importantes para escolher a melhor chapinha. Sempre prefira os tipos bivolt, para poder ser usada em qualquer lugar que você estiver. Assim que adquirir uma chapinha, compre junto um creme protetor, de preferência termoativado, que é produto indispensável para proteger os fios da alta temperatura. O ideal é também utilizar um reparador de pontas para finalizar o alisamento.

Veja mais sobre o universo de cabelos: