Fortnite é removido da App Store e Google Play; entenda caso

Antes de ser banido da App Store, Fortnite era um dos jogos mais lucrativos e rendeu R$ 2 bilhões para a Apple.

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 3 min. de leitura.

Fortnite é um dos jogos mais famosos do mundo. O Battle Royale faz sucesso nos PCs, consoles e até mesmo nos celulares iOS e Android. Na última quinta-feira (13), contudo, a versão mobile de Fortnite foi removida das lojas de aplicativos App Store e Google Play, e a Epic Games comprou uma gigante com a Apple e Google. Vale mencionar que desde o lançamento nos iPhones e iPads, o título rendeu cerca de R$ 2 bilhões para a Apple, segundo apuração do site Business Insider.

Leia também: Lançamentos de jogos em agosto de 2020: os games mais esperados do mês

Skin do Capitão América no Fornite. (Foto: Reprodução/Fortnite)
Skin do Capitão América no Fornite. (Foto: Reprodução/Fortnite)

Tudo isso aconteceu porque a Epic começou a oferecer aos jogadores um sistema alternativo de compra das moedas virtuais V-Bucks fora da lojas de aplicativos. Apesar de ser um jogo totalmente gratuito, os usuários podem usar dinheiro real para comprar essas moedas e, com elas, adquirir cosméticos dentro do Fortnite, como skins, emotes, entre outras coisas.

O problema é que toda compra feita dentro do jogo é intermediada pela Apple Store ou Play Store, por isso elas ficam com parte da receita das vendas como pagamento, algo em torno de 30%. Como a Epic começou a oferecer uma forma de pagamento “direta”, que tornava as moedas mais baratas e, consequentemente, não repassava o lucro para Apple e Google.

Sistema de compra “direta” implementado pela Epic no Fortnite. (Foto: Reprodução/Fortnite)
Sistema de compra “direta” implementado pela Epic no Fortnite. (Foto: Reprodução/Fortnite)

A Apple alegou que as diretrizes da App Store foram violadas, por isso removeu o Fortnite da sua plataforma, e não demorou para o Google tomar as mesmas medidas na Play Store. A Epic abriu um processo contra as duas empresas alegando monopólio e deslealdade, e dizendo que elas eram idealizadoras e revolucionárias quando foram criadas, mas hoje perderam essa “essência”.

A desenvolvedora ainda criou um vídeo em que faz referência a um dos comerciais mais famosos e emblemáticos do mundo, do Macintosh, lançado em 1984.

"A Epic Games desafiou o monopólio da App Store. Em retaliação, a Apple está bloqueando o Fortnite de um bilhão de dispositivos. Junte-se à luta para impedir que 2020 se torne ‘1984’. #FreeFortnite", ressaltou a empresa na mensagem exibida no telão do vídeo acima.

Lucros bilionários da Apple com Fortnite

Essa regra de “taxar” as compras digitais na App Store vale para todos os aplicativos da plataforma, que é responsável por 40% do lucro total da Apple. Em 2019, a empresa movimentou cerca de US$ 61 bilhões (R$ 336 bilhões) em conteúdo digital, sendo que lucrou US$ 18,3 bilhões (R$ 100 bilhões) deste valor. Grande parte destas vendas vem dos jogos que adotam a estratégia de serem grátis, mas venderem customizações ou vantagens dentro dos games.

Em 2019, Fortnite foi o jogo que mais gerou lucros na indústria, com um total de US$ 1,8 bilhões (R$ 9,9 bilhões), contabilizando todas as suas plataformas. Ele foi lançado em 2017 na Play Store, e de lá para cá foi baixado 133 milhões de vezes, de acordo com relatórios da Sensor Tower. O jogo já rendeu US$ 1,2 bilhão (R$ 6,6 bilhões), gerando um lucro de US$ 360 milhões para a Apple, que em conversão direta dá quase R$ 2 bilhões.

Jogos mais lucrativos de 2019 de acordo com relatórios da Statista. (Foto: Divulgação/Statista)
Jogos mais lucrativos de 2019 de acordo com relatórios da Statista. (Foto: Divulgação/Statista)

O game foi lançado na Play Store em abril de 2020 e já foi baixado mais de 11 milhões de vezes, gerando uma receita de US$ 10 milhões em vendas de cosméticos. Assim como a Apple, a Google também cobra uma “taxa” de 30% deste valor, o que significa que até o momento lucrou cerca de US$ 3 milhões (R$ 16 milhões).

Quem já baixou o Fortnite ainda consegue jogar?

Quem já tem o Fortnite baixado ainda consegue jogar normalmente, porém se a pessoa excluir o game, não terá como fazer o download novamente. Outro problema é que ele ficará preso na atualização 13.40 até que toda essa “briga” da Epic com as Apple e Google seja resolvida. Até lá, o jogo não poderá receber atualizações e nem ter transações internas, ou seja, nada de compra de skins ou jogar na Season 4.

Com informações de: Business Insider, The Verge e Statista