Notebook para programar: quais são os melhores? Confira!

Consultamos a equipe de desenvolvimento da Mosaico para saber o que procurar em um notebook para programar

Filipe SallesEditor(a)

Publicado e atualizado 7 min. de leitura.

Compartilhe:

Se você está procurando um notebook para programar, antes de tudo, saiba que é preciso estar atento a algumas especificações importantes. Escolher a opção certa para melhorar a produtividade na programação pode ser um processo difícil.

Dessa maneira, falamos com as equipes de desenvolvimento da Mosaico para te ajudar a definir qual é o notebook para programar que é ideal para você. Durante a nossa conversa, pudemos identificar os pilares de um bom notebook para programar, assim como detalhes complementares importantes e que podem trazer mais conforto na hora de trabalhar.

Sendo assim, veja abaixo o que considerar na hora da escolha e, ao final, veja nossa seleção de notebook para programar que atendem aos critérios da nossa própria equipe de desenvolvedores!

Os três pilares de um notebook para programar

De acordo com Rodrigo Coelho, analista de Infraestrutura da Mosaico, "processador, memória RAM e armazenamento são os três pilares mínimos de atenção" na hora de selecionar um notebook. Entenda a seguir como cada uma dessas peças vai te ajudar ao trabalhar com desenvolvimento de aplicações.

Processador

O processador é o responsável por agilizar o processamento dos dados usados em seu trabalho (Fonte: Shutterstock/yucelyiulmaz)
O processador é o responsável por agilizar o processamento dos dados usados em seu trabalho (Fonte: Shutterstock/yucelyiulmaz)

É relevante dar preferência aos modelos com processadores das gerações mais atuais da Intel e AMD, que são mais potentes e adaptados para as exigências das diversas linguagens de programação. Recentemente, a própria Intel anunciou sua linha de processadores de 11ª geração, por exemplo.

Em março de 2021, a indicação de nossa equipe é que o seu processador seja um Intel Core i5 a partir da 10ª geração, que conta com seis núcleos de processamento. Alternativamente, é possível adotar um i7 da nona geração, já que se trata de uma linha com mais desempenho que o i5.

Dica: confira aqui no Zoom alguns dos melhores notebooks com processador i7!

Para usuários da AMD, o mais indicado é o AMD Ryzen 5 5000. De acordo com a nossa equipe, ele é "mais do que o suficiente" para lidar com todo tipo de programa que desenvolver nele.

Memória RAM

O segundo pilar na hora de escolher um notebook para programar é a quantidade de memória RAM disponível. Aqui, o padrão é um pouco mais alto do que costuma ser exigido nos notebooks custo-benefício que mostramos aqui no Zoom.

Ainda assim, vale mencionar que a quantidade de memória RAM que irá precisar depende bastante do seu objetivo na área de desenvolvimento. Programadores Java e quem trabalha com processamento de dados, por exemplo, não podem ter menos que 16GB de memória RAM.

Dica: aprenda aqui no Zoom para que serve a memória RAM!

A memória RAM é um componente essencial no trabalho dos cientistas de dados (Fonte: Shutterstock/Mike_shots)
A memória RAM é um componente essencial no trabalho dos cientistas de dados (Fonte: Shutterstock/Mike_shots)

Armazenamento

Quando falamos em armazenamento, é comum imaginar que vamos falar que o importante é ter o máximo de terabytes possível, certo? Não necessariamente.

O que torna o armazenamento tão importante na hora de escolher um notebook para programar não é a capacidade dele, mas o tipo. A recomendação da nossa equipe de desenvolvimento é usar um SSD, de preferência no padrão NVMe. De acordo com Rodrigo Coelho, esse SSD faz com que o "ganho de velocidade seja absurdo, na casa de 100% a 200%".

Ainda não sabe a diferença entre o HD e o SSD? Dá um Zoom aqui que explicamos tudo!

O que também devo considerar em um notebook para programar?

Embora os três elementos acima sejam os pilares de um bom notebook para programar, é interessante observar alguns detalhes antes. Um deles é a tela do próprio notebook.

A nossa equipe de desenvolvimento recomenda o uso de um notebook com tela em Full HD, no mínimo. De preferência, com tecnologia antirreflexiva. Afinal de contas, trabalhar com desenvolvimento significa muitas horas de frente a tela do computador. Por conta desse tempo demasiado, a tela antirreflexiva ameniza os danos causados aos olhos por conta dessa longa exposição.

Horas de trabalho prejudicam a vista, então telas antirreflexivas também são importantes em um notebook para programar (Fonte: Shutterstock/REDPIXEL.PL)
Horas de trabalho prejudicam a vista, então telas antirreflexivas também são importantes em um notebook para programar (Fonte: Shutterstock/REDPIXEL.PL)

Outro detalhe que parece pequeno, mas faz uma grande diferença na produtividade, é o teclado. Sempre busque por notebooks no padrão ABNT2. Além disso, evite padrões de teclas diferentes do que já está acostumado. Uma disposição diferente de teclas como "|, \, /, ", ', [ e ]" pode atrapalhar a escrita de código, por exemplo.

Placa de vídeo

Contando com as peças que mencionamos, ter uma boa placa de vídeo dedicada também faz a diferença na área de programação 3D e inteligência artificial. A primeira é bastante usada no desenvolvimento de jogos e produtos, por exemplo.

Tecnologias como a DLSS, por exemplo, agilizam consideravelmente o trabalho nessa área, como nos contou Leandro Ortolan, analista de marketing da Mosaico e entusiasta na área de impressão 3D, que usa softwares de programação 3D para as impressões. O DLSS é uma tecnologia recente, que utiliza inteligência artificial para otimizar a renderização de elementos gráficos, como mostramos nesse guia com tudo sobre a tecnologia.

Ainda assim, vale considerar que ter uma placa de vídeo dedicada pode ajudar bastante na velocidade de processamento de programas. Considerando isso, confira nosso guia com alguns dos melhores notebooks com placa de vídeo dedicada aqui no Zoom!

Placas de vídeo dedicadas são importantes em notebook para programar em tarefas de desenvolvimento 3D (Fonte: Shutterstock/Kravtzov)
Placas de vídeo dedicadas são importantes em notebook para programar em tarefas de desenvolvimento 3D (Fonte: Shutterstock/Kravtzov)

Sistema operacional: Windows ou Linux?

Se você não é um desenvolvedor e procura um computador, parece bem claro que o sistema operacional mais indicado é o Windows. Muitas vezes, nem chegamos a conhecer outros sistemas, por exemplo. Ainda mais considerando que a maioria dos notebooks são vendidos com uma licença oficial, facilitando bastante.

Usar o Linux pode parecer até mesmo algo de outro planeta para quem não tem tanta afinidade com computadores. Esse não é o caso dos profissionais de desenvolvimento. Em nossa conversa, muitos inclusive mostraram preferir de longe o Linux.

Assim como em outros critérios, o importante é entender para que você precisa de um notebook para programar. Dependendo do tipo de desenvolvimento que pretende se aprofundar, um sistema pode ser melhor que o outro. De acordo com Carlos Yberê, desenvolvedor Fullstack da Mosaico, a "aversão ao Linux costuma ser bem menor entre desenvolvedores do que entre os usuários comuns".

Isso porque algumas áreas de desenvolvimento, como a de "backend" (a estrutura que fica por trás da interface de um aplicativo e dá suporte ao seu funcionamento), ciência de dados e inteligência artificial, o Linux costuma usar melhor o desempenho do computador, sendo assim preferido por desenvolvedores da área

Já no frontend, que trata da interface que o usuário interage em um aplicativo, o Windows acaba por ser o mais indicado, principalmente por ter melhor compatibilidade com programas do pacote Adobe, muito usados no design dessas páginas.

Ainda assim, o importante para quem está nos primeiros passos no caminho do desenvolvimento, é se "expor ao desafio inicial de conhecer o Linux, já que para frente é certo que ela migrará para o sistema".

Qual é o melhor notebook para programar?

Com tudo isso em mente, chegou a hora de começar a escolher! Claro que, com os critérios que mostramos acima, a busca pode acabar ficando bastante filtrada. Pensando nisso, selecionamos três modelos da nossa lista de melhor notebook em 2021 que também podem ser seu melhor notebook para programar.

Confira a seguir!

3. Asus Vivobook 15 (X512JP-EJ228T)

Essa é uma opção com preço mais acessível para quem quer ingressar na 10ª geração de processadores Intel. O Asus Vivobook 15 é um bom notebook para programar e também próprio para o trabalho em geral, oferecendo acessibilidade e agilidade. Ele cumpre com boa parte dos requisitos que mencionamos ao longo do artigo, embora não todos.

Sua tela é LED Full HD antirreflexo, com resolução de 1920x1080, carregando um processador Intel Core i7 de 10ª geração, 16GB de memória RAM e SSD de 512GB no padrão NVMe, o mais indicado para programação.

Destaques do notebook:

  • Processador Intel Core i7-1065G7 de quatro núcleos e frequência de 1,3GHz com Turbo Max até 3,9GHz
  • Memória RAM de 16GB DDR4
  • SSD 512GB
  • Tela Full HD de 15,6"

2. Notebook Gamer Dell G3 (G3-3500-M40P)

Apesar de estarmos falando de um notebook feito para jogar, o Dell G3 traz a placa de vídeo dedicada GeForce RTX 2060, que conta com DLSS, o que o torna uma opção interessante para quem quer um notebook para programar gráficos 3D. Além disso, sua disposição de teclado é confortável também para escrita, além dos jogos.

Somado a isso, temos um processador Intel Core i7-10750H, feito para oferecer alta performance em notebooks. Seus 16GB de memória RAM e SSD NVMe de 512GB também dão o desempenho necessário para trabalhar e se divertir.

Destaques do notebook:

  • Processador Intel Core i7-10750H de seis núcleos e frequência de 2,6GHz e Turbo Max até 5GHz
  • Memória RAM de 16GB
  • Placa de vídeo dedicada GeForce RTX 2060 com DLSS
  • SSD NVMe de 512GB
  • Tela Full HD de 15,6"

1. Macbook Apple Pro MV972

Um detalhe interessante sobre os notebooks Mac é que o Mac OS, seu sistema operacional, é baseado em Unix, assim como o Linux. Ou seja, ele é uma opção mais interessante de notebook para programar para quem quer se adaptar a esse ambiente.

Carlos Yberê, desenvolvedor fullstack da Mosaico, nos contou que, por conta de uma comunidade de desenvolvedores interessada em oferecer melhor experiência, "no Mac OS alguns programas funcionam de forma muito mais mágica que no Linux".

A experiência, no entanto, é uma faca de dois gumes. Embora ele auxilie desenvolvedores iniciantes a evitar esbarrar com problemas mais avançados no começo, ele perde a experiência de superar alguns desafios.

Ainda assim, se você quer um notebook para programar da Apple, esse modelo pode ser o ideal. Apesar de contar com um Intel Core i5 de oitava geração e memória RAM de 8GB, esses fatores são compensados pela maneira como o Mac OS é otimizado.

Ou seja, ele permite ao desenvolvedor extrair mais performance das peças, enquanto o Windows acaba exigindo melhor processador e memória RAM por conta de o sistema drenar uma parte maior dessa performance. Ainda assim, ele também conta com SSD NVMe de 512GB.

Destaques do notebook:

  • Processador Intel Core i5 de 8ª geração
  • Sistema operacional Mac OS Mojave, que te permite usar mais do hardware
  • Memória RAM de 8GB DDR4
  • SSD NVMe 512GB

Leia também: