Qual a diferença entre USB 3.2, USB 3.1, USB Tipo-C e USB 2.0?

Veja aqui um comparativo entre USB 3.2, USB 3.1 e USB 2.0, além de também entender o que é o USB Tipo-C

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 6 min. de leitura.

Compartilhe:

Se você utiliza qualquer aparelho eletrônico, desde televisores até celulares, já deve ter usado também uma porta USB. Elas estão presentes em todos os lugares e parecem inquestionáveis como padrão e tendência na transmissão de dados. Além disso, vêm ganhando importância como fontes de energia para o carregamento de diversos dispositivos. O que complica é que muitas vezes não se diz nada sobre o que é USB 3.2, USB 3.1 ou até mesmo o USB 2.0, um padrão que perdurou por muitos anos.

É com um cabo USB que você carrega o seu telefone, transfere fotos da câmera para o computador e também conecta periféricos como teclado, mouse e até fone de ouvido. Saber a diferença entre esses padrões é essencial na hora de comprar headsets gamers ou um mouse gamer aqui no Zoom.

Você sabe dizer com segurança qual a vantagem da USB 3.2 em relação ao USB 3.1 e USB 2.0? O que é o USB Tipo-C? É o mesmo que USB 3.1 ou estamos falando de algo totalmente diferente? Bom, se respondeu não para alguma dessas perguntas, este texto é para você.

Nós vamos explicar detalhadamente quais são as tecnologias que o padrão USB oferece e como ele funciona.

Também vamos adiantar um pouco do que está por vir e como o USB pode se tornar ainda mais importante nos próximos anos. Vamos dar um Zoom neste assunto para você ampliar o seu conhecimento sobre o tema!

O que é a tecnologia USB?

Basicamente, um cabo que possui conectores com barramento serial universal. A sigla em inglês que dá nome à tecnologia ("Universal Serial Bus") surgiu quando grandes fabricantes de eletrônicos e empresas de tecnologias se uniram para criar um novo padrão para transferência de dados e de energia que pudesse ser utilizado por diversos produtos e que facilitasse a conexão entre eles.

O objetivo dessa padronização era evitar que os consumidores ficassem frustrados tendo que lidar com muitos cabos e conectores para ligar dispositivos de diferentes fabricantes e com funções complementares. Assim, seria possível que as empresas pudessem oferecer produtos melhores, e os consumidores não teriam mais que usar adaptadores para conectarem seus dispositivos.

USB 2.0

Com a padronização, foi possível nivelar por cima a transmissão de dados, utilizando as melhores referências técnicas de cada fabricante. A partir daí, houve um salto imediato em velocidade de transferência, que pôde ser sentido por todos os usuários. O surgimento de um padrão descomplicado — e que aumentava de forma exponencial a velocidade de transmissão — só chegou de forma massiva aos usuários com a primeira atualização, o

Foi uma revolução na indústria e na forma como as pessoas utilizavam os eletrônicos. A nova versão do padrão de conexão levou até os dispositivos diversas facilidades e utilidades, que fizeram com que ela caísse no gosto dos usuários. Desse momento em diante, o padrão se popularizou em todas as categorias de eletrônicos.

Entre as qualidades que fizeram dessa forma de conexão um sucesso, podemos citar:

  • velocidade de 480 Mb/s na transmissão de dados, muito superior aos 12 Mb/s oferecidos na versão 1.1 do USB;
  • plug & play, que é a possibilidade de utilizar o aparelho conectado instantaneamente, sem a necessidade de instalação de drivers.;
  • possibilidade da conexão de mais de um dispositivo à mesma porta USB;
  • "Hot Swap", uma tecnologia que eliminou a necessidade de desligar os dispositivos antes de desconectá-los.

Basicamente, hoje você pode procurar volante para PC aqui no Zoom sem se preocupar em fazer muitas configurações para aproveitar seus jogos de corrida favoritos por causa do avanço que o USB 2.0 proporcionou. Inclusive, confira abaixo uma das opções de volantes gamers que temos aqui no Zoom.

USB 3.1 ou USB 3.2 Gen 2x1

Mas a evolução do USB não parou por aí. Ultimamente, os telefones celulares são capazes de produzir vídeos e fotos com definições cada vez mais altas, e, por consequência, com tamanhos de arquivos imensamente maiores do que os que existiam (mesmo em câmeras profissionais) na época do lançamento do padrão USB. Além disso, os aparelhos passaram a consumir mais energia na medida em que se tornaram mais potentes.

Com isso, foi preciso uma nova versão, com maior capacidade de transmissão e uma velocidade compatível, que não tornasse inviável a transferência de arquivos maiores, além do aumento na amperagem oferecida. Isso foi alcançado com a chegada da versão 3.1.

O novo padrão possui muito mais velocidade do tráfego de dados e elimina a necessidade da utilização de outros padrões que começavam a surgir para suprir a necessidade dos usuários.

Porém, o padrão dos nomes foi alterado e o USB 3.1 agora é conhecido como USB 3.2 Gen 2. Ele mantém as mesmas características que mostramos aqui, embora os novos nomes tenham tornado a interpretação mais confusa. Por isso, caso veja algum notebook que tenha portas USB 3.2 Gen 2, lembre-se que se trata do mesmo padrão do USB 3.1.

Conservando as vantagens que a versão 2.0 já oferecia, ela ainda acrescentou à lista alguns itens:

  • velocidade de transmissão aumentada para 4.8 Gb/s, o que representa um aumento de 60 vezes na taxa de transferência;
  • possibilidade de enviar e receber informações ao mesmo tempo, o que também tornou a porta muito mais eficiente;
  • aumento para 900 miliamperes de corrente elétrica, quase o dobro dos 500 miliamperes oferecidos na versão 2.0.

Lembre-se: além do computador, seu pendrive também deverá ter o padrão USB 3.1 para funcionar! Confira esse modelo da Sandisk aqui no Zoom:

USB 3.2 ou USB 3.2 Gen 2x2

Fechando a lista, o USB 3.2 trouxe mais avanços em relação ao padrão anterior, mas sem introduzir grandes novidades. Nela, podemos ver um aumento em relação à velocidade de transferência, o que torna o USB 3.2 ideal para mover arquivos entre computadores e outros aparelhos.

Por conta de uma mudança recente na nomenclatura das portas USB, hoje o USB 3.2 é chamado de USB 3.2 Gen 2x2, que possui duas vias de transferência. Elas fazem com que a velocidade de transmissão seja o dobro do antigo USB 3.1.

Veja abaixo as principais diferenças entre USB 3.2 e USB 3.1. Ou melhor, USB 3.2 Gen 2x2 e USB 3.2 Gen 2x1.

  • Velocidade de transmissão de 20 GBp/s.
  • Esse tipo de USB só existe nos USB Tipo-C.
  • Mais compacto, já que se trata de conectores e entradas menores que o USB Tipo-A.

USB Tipo-C

Agora que você já sabe o que é USB 3.2, USB 3.1 e USB 2.0, além de saber quais são as principais evoluções ao compará-los, é hora de eliminar a dúvida sobre o que é o USB Tipo-C e como ele alterou a tecnologia USB. Para isso, é preciso, primeiro, explicar que não se trata de uma nova versão na forma de transferência dos arquivos, mas sim no conector presente nas extremidades do cabo.

O novo conector tornou a tecnologia ainda mais eficiente e trouxe vantagens práticas que agradaram muito aos usuários. Além de possibilitar o aumento da velocidade, ele foi determinante para, mais uma vez, unificar a porta de conexão dos aparelhos.

É que mesmo com a simplificação das conexões que o padrão USB trouxe, ainda existiam vários tipos de porta, como o Micro USB, muito utilizado em smartphones, e o USB tipo-A, encontrado em computadores e outros eletrônicos, além de outras variações menos comuns. Em relação ao tamanho do conector e a porta, o USB Tipo-C está entre o Micro USB e o USB tipo-A, que é conhecido como o USB tradicional.

O USB Tipo-C tem sido bastante usado em notebooks compactos e smartphones atuais (Fonte: Shutterstock/kontrymphoto)
O USB Tipo-C tem sido bastante usado em notebooks compactos e smartphones atuais (Fonte: Shutterstock/kontrymphoto)

As evoluções mais aguardadas pelos usuários que o Tipo-C oferece são:

  • aumento para até 10 GB/s da velocidade da transmissão;
  • mais praticidade, já que o conector USB Tipo-C é reversível, então você não precisa encontrar a posição correta para o encaixe;
  • unificação nos tamanhos das portas, o que elimina a necessidade de ter cabos diferentes para conectar aparelhos maiores e menores.

Precisa de um notebook compacto que tenha portas USB Tipo-C? Então conheça abaixo o recém-lançado Samsung Galaxy Book S!

Qual é o futuro da tecnologia?

O padrão USB vem atendendo prontamente às necessidades dos usuários e sufocando os concorrentes, como foi o caso do padrão Thunderbolt — criado pela Intel e instalado em produtos Apple, a tecnologia acabou sendo incorporada ao USB. Também se aguarda o anúncio de um novo padrão para o USB, o USB 4.0.

USB Power Delivery

Uma das expectativas dos usuários para as próximas atualizações do padrão USB parece estar perto de se tornar uma realidade: a possibilidade de aumentar a corrente elétrica fornecida, aumentando a gama de produtos que podem ser alimentados a partir desse tipo de conexão.

O USB Power Delivery pode aumentar de 10 para 100 Watts a capacidade de fornecimento de eletricidade da conexão. Isso geraria uma economia muito significativa, eliminando um grande volume de cabos e melhorando a inteligência da interação entre os aparelhos.

E aí, já está craque em matéria de USB? Então se liga nesse artigo com os melhores carregadores portáteis, e escolha o melhor modelo com o novo padrão USB Tipo-C.