Chromecast 3, 2, 1 e Ultra: o que muda entre as gerações?

Descubra quais são as principais diferenças entre cada geração do dongle da Google e se vale a pena comprar um.

Redação - ZoomEditor(a)

Publicado e atualizado 5 min. de leitura.

Quem está pesquisando sobre o dongle da Google pode se deparar com a seguinte dúvida: qual é a diferença entre o Chromecast 1, 2, 3 e Ultra? Afinal, o objetivo desse dispositivo é transformar TVs convencionais em smarts. Para isso, o Chromecast tem acesso à internet e aplicativos de streaming, disponíveis no Google Play.

Ao todo, desde 2013, já foram lançadas quatro versões: primeira geração, segunda, terceira e Ultra. Ainda que não de maneira acentuada, é possível perceber as atualizações apresentadas pela Google, como, por exemplo, suportar resoluções em 4K (desde que o conteúdo original tenha sido produzido neste formato).

Vale destacar, porém, que cada modelo pode oferecer diferentes recursos tecnológicos e, claro, preços. Por isso, caso você queira descobrir o que mudou entre as diferentes gerações do Chromecast, confira este artigo que o Zoom preparou para sanar as principais dúvidas que podem surgir!

Saiba mais:

Como funcionam os Chromecasts?

Eles espelham conteúdos de aplicativos previamente baixados no celular

Quem deseja assistir séries da Netflix, Amazon Prime ou Globoplay diretamente na telona não precisa comprar um aparelho novo de televisão e ainda vai investir muito menos. Conectado via Wi-Fi à internet, o Chromecast espelha o conteúdo reproduzido no celular, seja Android ou iOS, bem como tablet e notebook.

Contudo, é importante destacar que, ao contrário de uma TV Box, nenhuma versão do Chromecast é capaz de introduzir um sistema operacional no televisor. Desta maneira, não é possível fazer o download de aplicativos diretamente na televisão – mas, sim, baixá-los no celular e transmitir o conteúdo na tela da TV. Além disso, é possível encontrar modelos de smart TV Box que oferecem resoluções 4K ou Full HD custando até menos que um Chromecast.

Ademais, o dongle da Google conta com conexão HDMI e também USB. Além disso, as gerações mais recentes permitem a conexão do cabo Ethernet, desde que usando um adaptador, a fim de melhorar o desempenho do conteúdo reproduzido. Mas, afinal, o que mudou de uma geração para outra?

Chromecast 1

Resolução Full HD, mas com menos conexões

O Chromecast 1 não é mais produzido pela Google e conta com menos conexões (Imagem: Shutterstock/Robert Fruehauf).
O Chromecast 1 não é mais produzido pela Google e conta com menos conexões (Imagem: Shutterstock/Robert Fruehauf).

Lançado em 2013, o primeiro Chromecast já não é mais produzido pela Google. Com formato semelhante a um pen drive, o dispositivo dispõe de uma resolução Full HD (1080 pixels), porém tem conexões bastante restritas – que, inclusive, podem comprometer a experiência do usuário.

Não sendo um aparelho dual-band, o Chromecast 1 é restrito a conexões de internet com frequência de 2,4 GHz. Desta maneira, fica limitado a uma rede de internet mais lenta e que não necessariamente seja a realidade atual das casas brasileiras, visto que a frequência 5 GHz tem sido cada vez mais presente. Além disso, uma internet mais lenta pode acabar por comprometer a reprodução dos conteúdos audiovisuais.

Chromecast 2

Resolução HD e Full HD

O Chromecast 2 suporta resoluções HD e Full HD (Imagem: Shutterstock/Robert Fruehauf).
O Chromecast 2 suporta resoluções HD e Full HD (Imagem: Shutterstock/Robert Fruehauf).

Não mais fabricado pela Google também, o Chromecast 2 conseguiu agradar os usuários por conta da sua usabilidade. Ainda que não suportasse uma resolução 4K, esse dispositivo suporta resolução Full HD (1080 pixels) e HD (720 pixels) – o que não desagrada, visto que uma parcela significativa dos conteúdos audiovisuais foi produzida nesses formatos.

Além disso, lembra quando falamos que a versão anterior suportava apenas conexões wi-fi de 2,4 GHz? Pois bem, a segunda geração oferece wi-fi dual-band, suportando uma frequência de 2,4 GHz e de 5 GHz. Desta maneira, independentemente da potência da internet, ele estava apto a entregar um bom desempenho ao usuário.

Chromecast 3

Resolução Full HD a 60 fps

O Chromecast 3 oferece 60 frames por segundo (Imagem: Shutterstock/CoinUp).
O Chromecast 3 oferece 60 frames por segundo (Imagem: Shutterstock/CoinUp).

Já a terceira geração do Chromecast, lançado em 2018 (modelo mais recente, porém não necessariamente o mais tecnológico), apresentou algumas melhorias em relação à versão anterior. Ainda que não suporte resolução 4K, o dispositivo se destaca por oferecer o Full HD (1080 pixels) e ainda oferece 60 frames por segundo, o dobro das duas gerações anteriores.

Desta maneira, vídeos e jogos são carregados mais rapidamente e há menos ocorrências de borrões. E assim como a segunda geração, esse dongle também conta com wi-fi dual-band, permitindo a conexão com uma frequência de 5 GHz.

Chromecast Ultra

Resolução 4K

Chromecast Ultra é capaz de reproduzir imagens com resolução 4K. (Imagem: Reprodução/Amazon)
Chromecast Ultra é capaz de reproduzir imagens com resolução 4K. (Imagem: Reprodução/Amazon)

Por fim, temos o Chromecast Ultra, lançado em 2016, que é o único dispositivo que é capaz de suportar a resolução 4K – mas, para ter acesso a isso é necessário que o televisor também suporte essa resolução. Além disso, outro fator a ser considerado é a rede de internet em casa, visto que que quanto maior é a qualidade da imagem, mais potente deverá ser a banda larga.

Pensando nesse tipo de situação, o Google incluiu uma porta Ethernet no Chromecast Ultra. Apesar disso, o modelo ganhou a tecnologia MISO, que melhora a recepção do sinal. Então, mesmo que você use a conexão sem fio, ganha mais estabilidade no sinal de internet.

Ah! E caso o televisor não suporte a resolução 4K, ou o conteúdo não tenha sido produzido com essa qualidade, o dongle conta com recursos HDR e Dolby Vision. Desta maneira, ele também alcança uma resolução Ultra HD, permitindo cores, contrate e brilho de muita qualidade.

Custo-benefício

Vale a pena comprar um Chromecast?

O Chromecast é uma opção bastante viável para quem deseja ter alguns recursos de uma smart TV, mas que não pode gastar muito. Afinal, na faixa dos R$ 450,00, o Chromecast Ultra, por exemplo, chega a custar a metade do preço de uma smart TV de 32 polegadas. A economia, assim, é bastante significativa.

No entanto, é importante frisar que o Chromecast, seja qual for geração, não é capaz de reproduzir conteúdos a partir dele mesmo – é necessário que os aplicativos sejam baixados no celular ou computador para, então, serem espelhados na televisão. Enquanto isso, uma TV Box não apenas é capaz disso, sendo independente de outros aparelho, como também pode custar menos que o dongle da Google.

Desta maneira, a conclusão é que Chromecast não é uma opção ruim, muito pelo contrário! Afinal, ainda que dependa de outros dispositivos, ele conta com toda a gama de aplicativos disponíveis na Play Store. Se a simplicidade de transmitir conteúdos audiovisuais do celular para a TV agrada, ele é o dispositivo ideal.

Leia também: