Como usar a yoga como escape ao estresse do dia a dia?

A yoga pode ser essencial em uma rotina de estresse, ansiedade e insônia; entenda como usá-la

Maria Clara CunhaColunista

Publicado e atualizado 4 min. de leitura.

Compartilhe:

Hoje, nós vivemos no mundo dos prazos, em que para tudo se há pressa demais. Para entregar o trabalho, para pagar as contas, para fazer as compras... Até mesmo para ser feliz. É tudo para ontem. Esse ritmo acelerado nos deixa com a sensação de que estamos atrasados, de que deveríamos ter feito isso ou aquilo, de que poderíamos ter feito melhor.

Todo esse corre-corre nos coloca de frente com o grande vilão do século: o estresse. Com ele, às vezes ainda precisamos lidar com a ansiedade – combo que está na casa de grande parte da população. Ainal somos a"era dos estressados". E como a yoga pode ajudar no estresse do dia a dia? Eu explico!

Conheça mais sobre a colunista Maria Clara Cunha (@varandayoga):

Aproveite também para conhecer os principais tipos de yoga e escolher a ideal para você!

O estresse, suas causas e consequências

O estresse pode ter solução (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
O estresse pode ter solução (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

A definição de estresse é: reação natural do organismo que ocorre quando estamos em situações de perigo ou ameaça. Esse mecanismo nos coloca em estado de alerta ou alarme, provocando alterações físicas e emocionais. A partir desse estímulo, são liberados em nosso corpo hormônios como adrenalina e cortisol, que nos deixam prontos para o ataque ou para a fuga.

Isso é o que acontece com o corpo fisiologicamente quando estamos sob situações de estresse. E o desenrolar dessa história você provavelmente já vivenciou: dores de cabeça, coração acelerado, suor excessivo, dor de estômago, alterações no trânsito intestinal... Todo esse acontecimento interno reflete no nosso corpo físico, trazendo algum desses sintomas.

Para além disso, o desenrolar pode ser ainda mais extenso (e intenso), dependendo do nível de estresse, e variando de pessoa para pessoa. Cada organismo responde de uma forma diferente a essa descarga de hormônios desnecessária no corpo. O problema é certo, mas e a solução? É certa também?

Como desacelerar do estresse do dia a dia?

A yoga pode ser uma forma de desacelerar no dia a dia (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
A yoga pode ser uma forma de desacelerar no dia a dia (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

É claro: onde existe um problema, é preciso existir uma solução. Neste caso, a solução nada mais é do que desacelerar. Dizem por aí que está na moda, né? O nosso organismo possui duas formas de funcionar: um é no estado de ataque, que acabamos de falar, e o outro é no de relaxamento.

Na vida, o nosso objetivo é o equilíbrio, é buscar estar ativo nesse estado de calma em grande parte do tempo. E a yoga vem para ensinar exatamente isso: a ir com calma. Parar, respirar, observar e, depois, seguir. Todas as posturas, mantras e respiração têm como finalidade te fazer dar uma pausa. Limpar a mente, o corpo, as energias e ativar um estado de equilíbrio.

A importância da yoga na rotina

Entenda a importância da yoga em uma rotina estressante (Imagem: Reprodução/Shutterstock)
Entenda a importância da yoga em uma rotina estressante (Imagem: Reprodução/Shutterstock)

Durante a prática da yoga, nós usamos a respiração como o nosso guia – e é com ela que fluímos no tapete. Independentemente do tipo de yoga, você vai precisar estar conectado com o seu inspirar e expirar, tentando mantê-la firme, profunda e tranquila, buscando um ritmo.

Quando estamos praticando yoga, nós saímos de uma respiração automática, que muitas vezes está acelerada, para uma respiração controlada, consciente. E esse controle vem também com a intenção de regular os batimentos cardíacos, os hormônios e a mente agitada.

No corpo

Nesse processo, duas coisas acontecem. A primeira é explicada em termos fisiológicos. Uma respiração mais profunda ativa o nosso sistema nervoso parasimpático, que é o do estado de "repouso". Consequentemente, nós diminuímos a frequência cardíaca, a pressão arterial, a adrenalina, a quantidade de açúcar no sangue e controlamos o tamanho das pupilas. Esse é o estado emocional mais estável, o qual deveríamos ter durante o dia – literalmente, sem estresse.

Na mente

A segunda transformação se dá no campo mental. Uma mente muito agitada estressa. Pensar demais, antecipar as coisas, voltar no passado... São milhares de pensamentos que deixam a cabeça a mil. Automaticamente, o corpo e a respiração também ficam a mil. Se não pararmos para esvaziar essa mente de tempos em tempos, entramos em uma grande bola de neve, que vai ficando cada vez maior. Vamos acumulando agitação, estresse, ansiedade e insônia.

Ao abrir o tapete e começar a yoga, estamos em busca de presença. De silenciar um pouco essa mente acelerada, de diminuir essas oscilações, de não ficar no passado e nem no futuro, mas, sim, no presente. E é o que acontece. Até porque, realizar as posturas mantendo a respiração sincronizada só é possível com total presença. Na yoga, é preciso deixar todos os pensamentos de lado e se concentrar por completo naquilo que se está fazendo: sua prática.

Saímos de uma prática de yoga mais leves, mais presentes e mais conscientes. Prontos para poder seguir, ou recalcular a rota se for preciso. E da forma correta: em um estado tranquilo e calmo, como realmente deveria ser. As situações de estresse deveriam ser pontuais, e não o estado "natural" do ser humano. Mas, a yoga está aí para nos lembrar disso. Adicionar aulas na sua rotina é manter um compromisso com o autocuidado, e ter a certeza de que em algum momento do dia você pode desacelerar.

A ferramenta está aí. Basta querer!

Veja mais sobre o universo da yoga: