Mão segurando tablet e diversas sacolas escrito Black Friday

Como saber se um desconto é real ou fraude?

Aprenda a identificar descontos reais e garantir boas compras na Black Friday

Redação - Zoom

Publicado e atualizado 6 min. de leitura.

Compartilhe:

Conforme a Black Friday vai chegando, é comum o aumento no número de ocorrências abertas em sites como Consumidor.gov. Com o bombardeio de ofertas, os consumidores devem ficar atentos a diversos detalhes para saber se os descontos são mesmo reais.

Para que você descubra se os preços são verdadeiros, nós conversamos com a especialista em Relações Institucionais da Proteste, Juliana Moya, e a advogada especializada em direitos civis e do consumidor, Carolina Correia. A seguir, elas dão dicas de medidas que podem poupar gastos desnecessários na Black Friday, como a busca por lojas confiáveis e a conferência do nosso Histórico de Preços dentro das páginas de produto. Confira!

Fique por dentro da Black Friday: Saiba tudo sobre o evento no Brasil e confira as melhores ofertas!

Arte com teclado de computador e diversos ícones de compras
Veja todas as dicas para identificar um desconto falso (Foto: Shutterstock)

Compre em lojas confiáveis

É importante pesquisar sobre as lojas especializadas nos produtos que deseja realizar as compras. Para facilitar, você pode criar uma lista com essas lojas e verificar a reputação delas junto aos consumidores.

Para isso, você pode acessar sites, como a Proteste, para verificar testes e reclamações de usuários. Avalie os comentários de outros compradores sobre como é o comportamento da loja escolhida, se elas realmente entregam os produtos dentro do prazo, se elas resolvem problemas que podem surgir durante a compra e se prestam um bom atendimento ao consumidor. Vale ressaltar que os associados da plataforma podem contar um serviço de assessoria jurídica dos seus especialistas, caso a queixa feita não seja solucionada.

Outra dica é verificar como a loja conduz as reclamações de compradores no Reclame Aqui. Além disso, cheque os sites do Procon de diversos estados para consular lojas que não são confiáveis. O Procon de São Paulo, por exemplo, mantém uma lista atualizada com sites que devem ser evitados.

A advogada Carolina Correia acrescenta outro ponto: "Outra dica super importante é verificar se o site em que irá realizar a compra possui um cadeado próximo à barra de endereços ou no fim da página, já que isso que atesta ao certificado de segurança do e-commerce."

Página inicial do site Buscapé com seta apontando para cadeado que mostra a segurança da página
Sites confiáveis têm um ícone de cadeado ao lado da barra de endereços (Foto: Reprodução)

Confira se os sites são verdadeiros

Os sites falsos, principalmente nessa época do ano, acabam ganhando força por mostrarem preços mais atrativos do que as lojas confiáveis. Por isso, atraem os olhares dos consumidores. Em alguns casos, é mais difícil ainda descobrir se são falsos, pois eles são idênticos aos originais.

De acordo com a advogada Carolina Correa, é importante:

  • Desconfiar do endereço do site, comparando-o com a página principal ou com e-mails já recebidos;
  • Ficar de olho nos erros gramaticais do site;
  • Atentar-se ao fato da conexão ser segura, ou seja, é necessário ter o "https" antes do "www" pois, dessa forma, todos os dados fornecidos pelo consumidor serão criptografados.
Página inicial do site Buscapé com seta apontando para cadeado endereço https
Sites com "https" oferecem mais segurança para dados dos usuários (Foto: Reprodução)

Desconfie de preços muito baixos

Principalmente semanas antes da Black Friday é preciso ficar atento aos preços dos sites. Isso porque, segundo a advogada Carolina Correa, "ainda existem lojas que aumentam o preço de determinados produtos pouco antes da Black Friday, para no dia voltar ao preço original e anunciar como se fosse uma promoção."

Ela também acrescenta: "Desconfie de preços muito abaixo do praticado no mercado para aquele determinado produto, ou até mesmo de ofertas que oferecem brindes incomuns, tudo isso tem um grande potencial de tratar-se de fraude."

Para se prevenir, é preciso acompanhar os valores dos produtos que quer comprar com antecedência. Uma dica da advogada é montar uma planilha com o nome do que deseja adquirir e o valor de cada um deles por loja. Aí basta pesquisar e incluir as informações na planilha. Isso vai evitar que você caia no golpe dos falsos descontos.

O Buscapé pode te ajudar com isso. Primeiro, porque reúne as maiores lojas do mercado, compara os preços e te mostra o menor valor. Depois, por contar com a ferramenta de Histórico de Preço, que é bem simples de usar. Veja a seguir!

Como conferir o Histórico de Preços do Buscapé:

É bem simples! Primeiro é só entrar no Buscapé e procurar, na nossa barra de pesquisa, pelo produto que deseja analisar. Utilizamos o celular Galaxy S21 como exemplo:

Página do site Buscapé com resultados da busca por Galaxy S21
Pesquise o produto que deseja comprar no Buscapé (Foto: Reprodução)

Depois, é só clicar no produto escolhido para chegar à página com todas as informações sobre ele.

Página do celular Galaxy S21 no site Buscapé
Página com todas as informações sobre o Galaxy S21

Agora, você deve clicar no gráfico azul embaixo do preço. Então, você vai cair diretamente no Histórico.

Gráfico do Histórico de Preço mostra variação de preço nos últimos seis meses (Foto: Reprodução)
Gráfico do Histórico de Preço mostra variação de preço nos últimos seis meses (Foto: Reprodução)

Aqui você consegue acompanhar, mês a mês, os preços dos últimos 6 meses ou 40 dias daquele produto que você tá de olho. Assim fica fácil saber se a promoção é real ou "Black Fraude"!

Ah! E você ainda pode criar um Alerta de Preço, pra gente te avisar quando o produto escolhido chegar ao melhor valor para você. Para conhecer o recurso, veja como criar um Alerta de Preço.

Preço maior que o anunciado

Outra má prática comum, seja na Black Friday ou não, é a divergência entre o preço anunciado e o valor final que aparece na página de pagamento, na hora de finalizar a compra.

Nesses casos, de acordo com a especialista em Relações Institucionais da Proteste, Juliana Moya, "o fornecedor deve assegurar o preço mais baixo anunciado, a não ser que o consumidor esteja agindo de má-fé ou se o menor preço for manifestamente incompatível com o produto (por exemplo, uma televisão anunciada por R$ 2,00 em vez de R$ 2.000,00)."

Homem sentado no sofá em frente a um notebook segurando um cartão de crédito
Fique atento na hora de colocar seus dados bancários em sites de compras (Foto: Shutterstock)

Cuidado com seus dados!

Esse é um dos pontos mais importantes. Com todo avanço da tecnologia, é preciso ficar muito atento aos seus dados, pois eles podem ser roubados com uma velocidade surpreendente, principalmente por meio de compras online.

Por isso, todo cuidado é pouco. A advogada Carolina Correia dá a dica de utilizar o cartão digital ao realizar compras online nos sites, como forma de prevenção.

"Uma ótima alternativa ao consumidor que irá realizar compras na Black Friday através de e-commerces é usar o cartão digital, que geralmente é solicitado através do aplicativo do banco e que ao ser requisitado é gerado um número específico para realização única e exclusivamente daquela compra, ou seja, o número e código de segurança expiram após a finalização do pedido."

Mas não é só com o cartão de crédito que é preciso ter cuidado. O boleto também precisa ser verificado antes de ser pago, já que o beneficiário da compra pode ser um fraudador.

"A primeira dica é na hora de emissão do boleto, sempre emita para pagamento no site oficial da loja em que estiver realizando a compra, eis que, fraudadores costumam encaminhar o boleto através de e-mail ou até mesmo WhatsApp. Adiante, observe o valor da compra e o que consta no boleto, assim como a data de vencimento, nome do beneficiário e se este corresponde com o CNPJ informado. Por fim, confira os primeiros dígitos do código de pagamento e observe se coincide com o código do banco emissor", comenta Carolina.

Resumindo: é importante pesquisar para sempre efetuar a compra da melhor maneira e não passar por situações complicadas que acabam deixando a experiência online ruim. Caso caia em alguma cilada, não esqueça de acionar a loja, pois é um direito seu, como consumidor, correr atrás das resoluções.

Veja outras dicas para aproveitar a Black Friday:

  • Saiba quando é a Black Friday e como funciona no Brasil
  • Black Friday e Direito do Consumidor: como resolver problemas após a compra
  • Dicas para aproveitar as melhores ofertas da Black Friday
  • Código de Defesa do Consumidor: conheça seus direitos ao fazer compras